Botafogo recebe Chapecoense de olho na classificação imediata para Libertadores

Glorioso defende sete partidas de invencibilidade no Campeonato Brasileiro, enquanto Verdão chega ao duelo sem responsabilidade na competição

Botafogo recebe Chapecoense de olho na classificação imediata para Libertadores
Flickr Oficial Chapecoense
Botafogo
Chapecoense
Botafogo: Sidão; Alemão, Carli, Emerson e Victor Luís; Airton, Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Diogo e Camilo; Neilton e Rodrigo Pimpão
Chapecoense: Danilo; Mateus Caramelo, Neto, Thiego e Dener; Mateus Biteco, Sérgio Manoel e Cleber Santana; Lucas Gomes, Tiaguinho e Kempes.
ÁRBITRO: Dewson Freitas da Silva, auxiliado por Márcio Gleidson Correira Dias e Helcio Neves
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, a ser disputada na Arena Botafogo, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (16), às 19h30.

Com vontade de encaminhar a classificação para a Taça Libertadores o quanto antes, o Botafogo vai encarar a Chapecoense na noite desta quarta-feira (16), às 19:30, pela 35º rodada do Campeonato Brasileiro. Desde a 28ª rodada, que a equipe carioca não sofre uma derrota e com esse retrospecto favorável no returno do Brasileirão, busca mais um resultado positivo diante de seu torcedor na Arena Botafogo.

Atualmente na 5ª colocação, com 55 pontos, cinco atrás do Atlético Mineiro, o Botafogo quer reencontrar o caminho da vitória, pois nas últimas duas rodadas, empatou em 0 a 0 contra Coritiba e Flamengo, respectivamente. Entretanto, o retrospecto em casa é favorável. Até o momento, como mandante na Arena Botafogo, a equipe só teve um resultado negativo contra o Santos. Depois de onze dias fora dos gramados, a diretoria alvinegra fez uma promoção para a torcida estar presente em peso nesse confronto, apoio que tem sido fundamental, com ingressos a partir de 10 reais

Já a equipe de Chapecó, chega para essa partida com pensamento na competição Sul-Americana que tem uma decisão contra o San Lorenzo. Está na 10º colocação mas, precisa de resultados positivos para garantir uma posição melhor e eliminar as chances de rebaixamento nessas últimas rodadas. 

O jogo será apitado pelo árbitro Dewson Freitas da Silva (PA) auxiliado por Márcio Gleidson Correira Dias (PA) e Helcio Neves (PA). No primeiro turno, a equipe catarinense conquistou a vitória por 2 a 1 na Arena Condá. 

As portas abriram e por isso, o reconhecimento

O Botafogo começou a conversar sobre a permanência de Jair Ventura para 2017. O treinador responsável pela arrancada do clube, com a melhor campanha do returno do Campeonato Brasileiro, livrou o clube do risco de rebaixamento e perto de garantir uma vaga na Taça Libertadores, tem recebido sondagens e despertando interesse do mercado da bola. Os torcedores alvinegros portanto, podem ficar tranquilos, pois em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, o comandante revelou seu desejou de continuar em General Severiano no próximo ano. 

"O Cacá (Antônio Carlos Azeredo, vice-presidente de futebol) já me procurou, está bem encaminhada a minha permanência. Fico feliz por ter sido procurado e valorizado pelo clube que me abriu as portas. Não tem como não ser a prioridade o Botafogo hoje", afirmou o treinador. 

Atualmente, Jair não tem um contrato de treinador. Ele é um funcionário do Botafogo com vínculo de empregado e empresa, sem prazo de validade ou multa rescisória. Ao ser efetivado no cargo, após a saída do Ricardo Gomes que foi dirigir o São Paulo, ele recebeu um aumento. Para 2017, o clube tem a intenção firmar cláusulas e especificações próprias de treinadores além, uma promoção com salário no patamar de outros profissionais da beira de campo que passaram por General Severiano. 

Confiante na possibilidade de disputar a Libertadores, Jair não esconde a satisfação com isso, prevendo um final feliz na temporada: "Muito gostoso, gratificante."

Em 2014, foi demitido com a comissão técnica de Oswaldo de Oliveira após classificar a equipe no Brasileirão de 2013, quando era auxiliar do treinador. 

Para uma primeira experiência a frente de um equipe grande, é uma conquista. Com 37 anos e quase três meses de trabalho, são feitos diversos elogios internamente, a opinião pública e da imprensa também destacam, inclusive no jornal português "A Bola". Conhecido por um termo "intensidade", pois nos treinamentos cobra bastante, ele gosta de fazer treinos pela manhã e de fechar a maioria das atividades e isso é visto na forma como o time é trabalhado com estratégias e variações táticas. 

Filho do ídolo do Botafogo e Seleção Brasileira Jairzinho, Jair está a oito anos no clube: chegou em 2008, foi demitido no fim de 2013, pela antiga diretoria e recontratado no início de 2015 sob a administração de Carlos Eduardo Pereira. Ele já passou por várias funções na instituição como: estagiário de preparação física, técnico do sub-20, treinador interino e auxiliar permanente antes de chegar ao comando da equipe principal. 

Foco em outra competição entretanto, valoriza o Brasileirão

Com posição agradável na competição mas ainda, com quatro jogos a disputar, Chapecoense não tem como esquecer o jogo mais importante do ano. Antes da partida de volta da semifinal da Sul-Americana, dia 23 de novembro, contra o San Lorenzo, o time de Santa Catarina enfrenta Botafogo e São Paulo pela Série A. E por isso, o treinador Caio Júnior, preza o respeito ao Campeonato Brasileiro com valorização até o fim. 

A equipe de Chapecó vai ao Rio de Janeiro enfrentar o time carioca no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, nesta quarta-feira, às 19:30, com um time diferente ao que venceu o seu rival Figueirense, na última rodada.

Para Caio, manter o padrão é fundamental e por isso, focar no Campeonato Brasileiro é o correto, mesmo com a partida na competição internacional após os dois próximos confrontos: "E só a partir do jogo contra o São Paulo que vamos pensar no jogo contra o San Lorenzo. É preciso a gente ter o melhor possível, 100%, e se não fizermos isso, será um erro grave", disse.


A manutenção do sistema de jogo é o detalhe para chegar a semifinal confiante. O treinador conserva a mesma forma de atuação e conceito da equipe. "Acho que isso faz diferença". Com isso, para enfrentar o Alvinegro carioca ele já sabe o que esperar. Já trabalhou com o comandante rival e conhece os defeitos do time adversário e dessa forma, busca um resultado positivo no Rio. Além disso, espera que a sorte esteja com Jair Ventura, seu auxiliar em 2011, a partir de quinta-feira apenas: "Vai ser um prazer dar um abraço nele lá, desejar boa sorte nos próximos jogos, não contra o nosso, né?"