Aprendiz de Cuca, Jair agradece "tutor", mas ressalta: "Sorte pra eles depois do nosso jogo"

Com ausências importantes, treinador alvinegro não divulga titulares que irão enfrentar o Palmeiras

Aprendiz de Cuca, Jair agradece "tutor", mas ressalta: "Sorte pra eles depois do nosso jogo"
(Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)

Mais uma decisão para o Botafogo. Neste domingo (20), o time enfrentará o Palmeiras, pela 36ª rodada, no Allianz Parque. Com expectativa de conquistar um resultado positivo, após três partidas sem vitória, a equipe carioca está em 5º lugar do Campeonato Brasileiro, com intenção de assegurar a vaga para a Libertadores de 2017. Do outro lado, tem um adversário perigoso que está na briga pelo título e vai em busca dos três pontos para antecipar a festa de campeão. 

Ser um péssimo visitante. Dessa forma, o time de Jair Ventura entrará em campo para conquistar o objetivo esperado. Além disso, o jogo é mais do que importante. A equipe alvinegra precisa reencontrar o caminho da vitória, caso queira, não se complicar na tabela. O treinador entende a briga pelo título mas cita porque a partida é fundamental para o Botafogo: "Também precisamos fazer o nosso, o campeonato ainda não acabou para gente e depois vemos como fica o final no fim do ano."

O alvinegro pretende estragar a festa mas, sabe da pressão que enfrentará. Todos os ingressos foram vendidos entretanto, a equipe carioca quer mostrar o bom futebol do primeiro turno na vitória por 3 a 1, na Arena Botafogo. Com isso, a sensação é esperança de um grande jogo com muitos gols. O momento do Glorioso deixa a desejar nesse quesito. Há três jogos sem marcar, o técnico entende que essa situação incomoda pois, os atacantes não estão balançando a rede porém, o time está criando.

Eles são cobrados por essa função deles no entanto, Jair tira a pressão: "O legal da nossa equipe é que jogadores de outras posições também fazem gols." Ainda completa: "Estamos tranquilos, sem esse peso e naturalmente as coisas acontecem." Com ausências importantes, a equipe conta com o equilíbrio do seu elenco pra surpreender o Cuca, técnico do Palmeiras. 

Então, chegou a hora de mostrar ao mestre o que aprendeu. Jair, foi auxiliar do treinador alviverde no Botafogo, em 2008, sua primeira experiência no clube: "Cheguei cheio de vergonha". Agora, na equipe principal, relembra que a oportunidade foi dada: "Cuca foi um cara que me ajudou bastante e sou grato".  

O treinador considera um trunfo o sigilo na escalação "O Cuca deve estar doido para saber". A ansiedade do adversário para conquistar o título torna essa partida mais emocionante entretanto, Jair deixa claro: "Desejo sorte para eles, mas depois do nosso jogo", concluiu.