Pimpão lembra de trajetória no Botafogo e rasga elogios à torcida: "Mostrou como se faz um show"

Artilheiro alvinegro na Libertadores ressaltou que pretende fazer história no clube, mas rejeitou status de ídolo

Pimpão lembra de trajetória no Botafogo e rasga elogios à torcida: "Mostrou como se faz um show"
Decisivo! Pimpão é o artilheiro do Botafogo na Libertadores (Foto: Satiro Sodré/ SSPress/ Botafogo)

Na noite desta quinta-feira (18), o Botafogo voltou a derrotar o Atlético Nacional, e garantiu a classificação antecipada para as oitavas de final da Copa Libertadores. O atacante Rodrigo Pimpão marcou o único gol do triunfo alvinegro, no estádio Nilton Santos, que recebeu mais de 33 mil torcedores. 

Artilheiro do Botafogo na competição, com quatro gols, e eleito o melhor jogador no duelo contra o time colombiano, Rodrigo Pimpão fez questão de dividir a honra com seus companheiros. O atacante ainda destacou a dedicação do grupo. 

"Como eu sempre falo, não sou eu o decisivo. Decisivo é o grupo. A gente entra em campo com vontade e determinação, esse é o lema da nossa equipe.  Isso começa desde os atacantes que ajudam na marcação, os meias e os volantes. Todos se superam. Fico feliz de poder ajudar nesses momentos que o Botafogo precisou de mim. A equipe pode sempre contar comigo", afirmou. 

Sobre ser ídolo da torcida alvinegra, o atacante foi cauteloso: “Falta muito pra chegar nesse status. Não fico pensando nisso diariamente e nem colocando como meta da minha carreira. Vai depender do meu trabalho, e eu vou focar para que eu faça história aqui no Botafogo. Tenho que me dedicar jogo a jogo para que isso possa acontecer naturalmente”, declarou. 

Os torcedores têm observado cada gota de suor que Pimpão tem deixado em campo. A disposição com que o atleta entra nas divididas e corre para marcar, somado ao oportunismo que tem mostrado para fazer gols importantes, fez com que Rodrigo Pimpão tivesse o nome gritado pela torcida como uma forma de agradecimento.

"Hoje nós mostramos o que é o Botafogo e essa torcida mostrou como se faz um show no estádio.  No momento em que fui substituído, quando escutei a torcida gritando pelo meu nome, começou a passar muita coisa na cabeça. Quando eu tinha 20 anos, não imaginava jogar futebol e, de repente, a minha vida mudou. Sair de uma partida como essa com 33 mil torcedores e a maioria gritando pelo meu nome, é difícil explicar."

Eleito melhor jogador da partida, Pimpão participou da coletiva de imprensa ao lado do técnico Jair Ventura Foto: Reprodução/ Twitter
Eleito melhor jogador da partida, Pimpão participou da coletiva de imprensa ao lado do técnico Jair Ventura Foto: Reprodução/ Twitter

 Na última temporada, o camisa 17 chegou em um momento complicado. O Botafogo era dado como um dos candidatos ao rebaixamento. Pimpão falou sobre a volta por cima que o clube deu em tão pouco tempo. 

"Em 2015 o Botafogo estava na Série B e eu aceitei o projeto do René Simões. Fui bem naquele início da temporada, recebi uma proposta para deixar o clube, e voltei após um ano. Quando retornei o Botafogo estava vivendo aquela situação de brigar contra o rebaixamento. Mas houve uma mudança de comando. Os jogadores passaram a entender o que o treinador queria. Brigamos por essa causa. E agora chegamos onde chegamos, é para poucos", finalizou. 

Já classificado, o Botafogo enfrenta o Estudiantes na última rodada da fase de grupos. O duelo acontece na próxima quinta-feira (25) às 21h45 (de Brasília), no Estádio Ciudad de La Plata. Porém, antes de ir a Argentina, o Glorioso recebe a Ponte, no domingo (21), às 18h, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.