Presidente do Botafogo sugere torcida única e nega Maracanã: "Seria perder dinheiro"

Por conta de posição do Gepe, Carlos Eduardo Pereira sugere que os confrontos pela Copa do Brasil sejam com apenas uma torcida e descarta jogos no Maracanã

Presidente do Botafogo sugere torcida única e nega Maracanã: "Seria perder dinheiro"
Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Ocorreu, nessa segunda(31), na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o sorteio que definiu os mandos de campo para os dois jogos das semi finais da Copa do Brasil. O Botafogo abrirá o confronto, no dia 16 de agosto, e o jogo da volta, que acontecerá no dia 23, terá o mando do Flamengo.

Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo, apresentou a sua posição ainda no dia da partida de volta contra o Atlético-MG que o jogo com mando do Glorioso será realizado no Estádio Nilton Santos. A diretoria do Flamengo, por outro lado, definiu que o segundo encontro entre as equipes seria na Ilha do Urubu. Desse jeito, haveria a regra do gol qualificado fora de casa e uma divisão de ingressos 90/10 entre os torcedores.

Porém, o mandatário do clube de General Severiano soube que o Gepe (Grupamento Especial de Policiamentos de Estádios) tem em mente de colocar, por conta de questões de segurança, apenas 5% da carga total de ingressos para a torcida visitante em vez de 10%, número que, geralmente, é acordado entre as duas partes. Assim, CEP declarou o seu desejo pela torcida única nas partidas:

“Se o Gepe confirmar esta posição de 5%,acho que a gente podia evoluir para torcida única. Porque 5% vai demandar um aparato de segurança e uma possibilidade de conflito muito maior do que se a gente tiver torcida única nos dois jogos. Isso é uma coisa que o comando da Polícia Militar podia refletir e fazer uma experiência. Acredito que em termos de segurança e presença de público nós podemos maximizar nosso resultado sem risco de conflitos no ambiente da partida” - disse.

A última novidade é que a CBF, nos bastidores, tenta convencer os dois presidentes, no meio de todas essas questões, a concordarem em ter as duas partidas no Maracanã – apesar da entidade já ter anunciado que os dois jogos ocorreriam, respectivamente, no Nilton Santos e na Ilha da Urubu. Sobre esse assunto, Carlos Eduardo se mostrou imprescindível:

“A posição do Botafogo é que o jogo será no Nilton Santos. Temos um estádio de primeira linha, para 45 mil espectadores, com totais condições de receber a partida e, principalmente, com compromisso com os 34 mil sócios-torcedores dos clubes. Não tenho como tirar esse jogo de lá. Sem falar que os custos com o Maracanã beiram o absurdo. Seria perder dinheiro. A hora que cobrar que os dirigentes sejam profissionais, essa é uma das horas que precisamos ser profissionais. Não podemos fazer um jogo apenas por diletantismo no Maracanã e perder dinheiro.”  - completou.