Jair comemora bom jogo e superioridade da equipe: "Poderia ter sido um placar ainda melhor"

Botafogo muda de estratégia e demonstra intensidade e confiança na vitória contra o Flamengo, no Nilton Santos.

Jair comemora bom jogo e superioridade da equipe: "Poderia ter sido um placar ainda melhor"
(Foto: Divulgação/Botafogo)

Com duas semanas de descanso por conta das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, o Botafogo voltou a campo nesse domingo (10) para enfrentar o rival Flamengo, no Estádio Nilton Santos. Mesmo com as lembranças da eliminação, contra o mesmo adversário, pela Copa do Brasil, a equipe do técnico Jair Ventura resolveu escrever, dessa vez, um novo final. Para o treinador, a principal diferença foi a entrega, intensidade e confiança: a cara do Botafogo de 2017.

 “Hoje teve a cara do nosso time. Ficamos aquem na Copa do Brasil. Voltamos a jogar bem. Foi um grande jogo, de entrega, de intensidade, confiança. Corremos riscos, mas fomos efetivos. Ainda tivemos mais chances. Poderia ter sido um placar ainda melhor. Mas o mais importante foi vencer”, comemorou.

Uma das características principais do Botafogo na temporada é a menor posse de bola e os contra-ataques. Para a partida desse domingo, Jair resolveu ir com uma nova estratégia a campo: ficar mais com a bola.

“Tínhamos essa estratégia (ficar mais com a bola), mas foi difícil. Mudamos um pouco a estratégia. Criamos bastante. O Gatito fez uma grande defesa em chute do Guerrero e mais nada”, disse. Para efetuar a nova estratégia, o treinador fechou o treino durante a semana, mas a escalação acabou vazando. “Eu fecho os treinos para vocês não terem a escalação. Mas dessa vez vasou, não teve jeito, vocês descobriram e estragaram toda a minha estratégia”, confessou. “Vamos ver se vaza o do Grêmio também”, brincou fazendo menção ao jogo de quarta pela Libertadores.

O Botafogo não foi o único a surpreender com um novo estilo de jogo, Jair afirmou ter sido surpreendido pela escalação do colombiano Rueda, que mexeu no time e deu lugar a jogadores reservas. “Fomos surpreendidos pela escalação hoje. Não esperava isso, mas acabou não mudando muito”, confessou.

Durante o tempo de recesso, a principal dúvida do treinador era com que time entrar: os titulares ou reservas, visto que enfrenta o Grêmio já na quarta. Para ele, pesou a questão do ritmo de jogo. “Readquirir ritmo após 15 dias sem jogar. Por isso o time titular”, justificou. Apesar da equipe semelhante a que jogou a Copa do Brasil, o técnico reconheceu que no jogo desse domingo (10), Botafogo foi bem diferente das duas partidas da semifinal. “Tivemos 16 finalizações. Não dá para comparar com a Copa do Brasil. Imagina se todos os jogos fossem iguais. Cada jogo é uma história. A gente não esconde o que passou na Copa do Brasil, mas já foi. Hoje jogamos bem, voltamos a vencer”.

Além do resultado positivo, outro grato acontecimento na partida foi a atuação do chileno Léo Valencia, que saiu aplaudido pelo torcedor alvinegro. “No momento em que perdemos jogadores por lesão, você vê o Valencia performando”, disse. A boa partida do jogador pode virar um trunfo para o jogo contra o Grêmio, segundo Jair. ”Se tivermos a volta dos quatro jogadores, ganhamos novas opções até para entrar durante o jogo”.

Com a vitória, o Botafogo foi para o sétimo lugar na tabela com 34 pontos, mesmo número de pontos do Cruzeiro, que ocupa o sexto lugar. O salto na tabela, para o treinador, é prova que, embora esteja disputando a Libertadores, o Botafogo não deixará de pensar no G6. “Mais uma vitória no Brasileiro. Demos um salto. Estamos brigando na parte de cima da tabela. Mostra que não abdicamos do Brasileiro, mas é claro que a nossa grande competição é a Libertadores”.

Jogo pela Libertadores e lesões

A próxima missão do Botafogo é pela Libertadores, quarta-feira (13), no Estádio Nilton Santos pelas quartas-de-final. Com a lesão de Leandrinho, são cinco jogadores (Carli, Lindoso, João Paulo, Marcos Vinícius e Leandrinho) no departamento médico, como dúvida para a decisão.

“Todos em fase de recuperação. Não tenho como precisar. Alguns tem 40% de chance, outros 50%, outros 60%. Tomara que joguem os quatro”, torceu. Segundo o treinador, todos os atletas serão avaliados amanhã.

Do lado do Grêmio, o principal jogador da equipe, Luan, também é dúvida para a decisão após ser constatado um edema na coxa direita. Embora possa parecer uma força para o Botafogo, o técnico Jair Ventura assegura que não há motivo para ver o Grêmio mais fraco sem Luan. “O Grêmio é muito forte com o Luan e sem o Luan. É uma equipe que joga um futebol vistoso”, elogiou. O jogador gremista ainda será reavaliado e segue em treinamento.

Com o jogo apenas na quarta, nesse fim de semana o Botafogo levou a melhor no Campeonato Brasileiro: a equipe do Rio Grande do Sul perdeu para o Vasco, por 1 a 0, em São Januário. Atento para a Libertadores, Jair Ventura assistiu ao confronto e elogiou o adversário. “Achei o Grêmio bem na partida, teve o controle Jogou dentro do campo do Vasco, teve várias chances”.

O Botafogo se reapresenta nessa segunda (11), às 15h, para começar os preparativos para a Libertadores, onde o alvinegro tem motivo de sobra para se manter confiante. “Será mais um grande jogo, mais uma decisão, e que esse espírito de Libertadores continue com a gente. Que a torcida compareça para uma grande festa e a  gente consiga uma boa vantagem para decidir na casa do adversário”, finalizou o treinador.