Botafogo recebe Chapecoense no Nilton Santos com equipes em momentos distintos

Oito pontos separam o Alvinegro do Alviverde; o clube carioca visa Libertadores enquanto o clube catarinense quer se ver longe do Z-4

Botafogo recebe Chapecoense no Nilton Santos com equipes em momentos distintos
(Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
Botafogo
Chapecoense
Botafogo: Jefferson (Helton Leite ou Gatito); Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luís; Lindoso, Burno Silva, Matheus Fernandes e João Paulo; Rodrigo Pimpão e Brenner
Chapecoense: Jandrei, Apodi, Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro, Lucas Mineiro e Canteros; Alan Ruschel, Wellington Paulista e Túlio de Melo.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, disputada no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Botafogo e Chapecoense se enfrentam nesta quarta-feira (11), às 19h30, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Em momentos opostos na tabela, as equipes precisam somar os seis pontos. O Glorioso quer se manter no G-6, já o Alviverde quer se afastar ainda mais da zona da degola.

O clube carioca é o 6º colocado e possui 11 vitórias na competição. Nos últimos cinco jogos foram quatro vitórias e uma derrota. O clube catarinense tem nove vitórias e oito pontos a menos, 32 no caso. Nos últimos cinco jogos do Índio Condá foram duas vitórias, duas derrotas e um empate.

No primeiro turno, a partida na Arena Condá teve o clube de General Severiano como vitorioso. Com gols de Roger e Rodrigo Pimpão, os cariocas venceram por 2 a 0 com plena autoridade. Agora as equipes se encaram na casa do Botafogo, que precisa se recuperar da dolorida derrota nos acréscimos para o Vitória.

Botafogo tem uma dúvida importante e desfalque certo contra a Chapecoense

Léo Valência está fora do jogo diante da Chapecoense nesta quarta (11). O meia, que foi expulso contra o Vitória, foi punido pelo STJD devido à agressão e pegou um gancho de 4 jogos. O primeiro será diante da Chape.

A dúvida está no gol. Jefferson, Gatito ou Helton Leite? O primeiro está com amigdalite e é dúvida, mas não está descartado. O paraguaio está com a seleção e só chega ao Rio nesta quarta. Já Helton Leite é a última opção de Jair Ventura.

Igor Rabello falou na última segunda-feira e alertou sobre o apagão nos minutos finais jogando em casa, algo que já ocorreu contra São Paulo e Vitórias neste Campeonato: “A gente perdeu alguns pontos importantes em casa, mas ganhamos fora. Acontecem apagões, assim como teve contra o São Paulo e o Vitória. Não pode deixar acontecer. Aqueles minutos finais em que não pode vacila. Se ganharmos todas em casa, temos grandes chances de classificar para a Libertadores do ano que vem”, afirmou.

Bruno Silva também falou, mas nesta terça (10). O meia também lembrou dos apagões e pediu atenção para o Botafogo voltar a vencer diante da Chapecoense: “Campeonato Brasileiro é difícil. Ficamos chateados com a forma que a gente perdeu, mas méritos do Vitória, eles ganharam de adversários difíceis fora. Ali no final teve um apagão que o Jair já cobrou da gente. Jogo para pegar alguns exemplos, já esquecemos desse jogo, pensar na Chapecoense e voltar a vencer", completou.

Com mudanças e presença de Alan Ruschel, Chape busca três pontos no Rio

O Alviverde não terá o atacante Arthur Caíke, que está com amigdalite. No último treino, nesta terça, o lateral Alan Ruschel foi testado no ataque e é o provável substituto de Arthur.

Outra novidade que pintou no rachão desta terça foi a do meia argentino Héctor Canteros, que assume a vaga de Elicarlos. O técnico Emerson Cris promoveu a entrada do argentino no meio da Chape e o jogador deve iniciar a partida.

O treinador divulgou algumas estratégias treinadas pela Chapecoense para o jogo diante do Botafogo. A princípio, só a vitória interessa ao treinador: “A gente buscou a manutenção daquele setor de marcação forte, de pegada, que dificulta o adversário criar. Também demos uma ênfase maior a parte ofensiva. Fizemos vários treinos com essa proposta, treinos específicos de finalizações, com cruzamento, chute de fora da área, com triangulações, infiltrações, penetrações, tudo no setor ofensivo”, completou. 

Botafogo de Futebol e Regatas