Às vésperas do clássico, Jair afirma: "Vamos defender nossa campanha de melhor do Rio"

Técnico do Botafogo citou alguns pontos do clássico, volta ao Maracanã, encontro com Zé Ricardo e escondeu o jogo quanto o time titular para o duelo contra o Vasco da Gama

Às vésperas do clássico, Jair afirma: "Vamos defender nossa campanha de melhor do Rio"
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Após treino desta sexta-feira (13) no campo anexo do estádio Nilon Santos, o técnico do Botafogo, Jair Ventura, concedeu coletiva à imprensa na véspera do clássico contra o Vasco, que acontecerá neste sábado (14), às 19h, no Maracanã

Após treino fechado, muito mistério toma conta de General Severiano por conta de alguns reforços ou desfalques no time. Matheus Fernandes não joga por estar suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Quem substitui? Outra dúvida é quem formará dupla de ataque com Brenner. Jair escondeu o jogo ao ser perguntado sobre quem joga.

“Ai eu conto para o Zé. O Pimpão vinha de lesão, já voltou e agora depende do treinador. Pimpão e Guilherme são jogadores com a mesma característica. Não posso contar para o Zé Ricardo”, disse o comandante.

Perguntado sobre o reencontro do Vasco com sua torcida em pleno Maracanã, Jair Ventura não se sente intimidado: “Quando o estádio está cheio, o time da casa se esforça mais. Ao mesmo tempo, a torcida adversária empurra o time também. A gente quando criança sonhava em participar de um jogo assim. É bom para o futebol Carioca. Vamos defender nossa campanha de melhor do Rio”, afirmou o técnico.

Relembrado da vitória no primeiro turno, o técnico da equipe da zona sul do Rio de Janeiro rechaçou favoritismo, lembrou a mudança de treinador no Vasco e citou a volta ao Maracanã: “É um outro momento. O Vasco mudou de treinador e já tem o dedo do Zé Ricardo, que está resgatando esse futebol. O time é bom e vem conseguindo os resultados positivos. Falei que a vitória do Vasco seria boa para o jogo desse sábado. Expectativa de um estádio cheio. Voltar ao Maracanã é sempre emblemático”, comentou.

Já sobre Zé Ricardo, que enfrentou Jair quando comandava o Flamengo, o técnico do Glorioso comentou a amizade e os vínculos entre eles: “O Zé Ricardo se tornou um bom amigo. Fez um curso na CBF comigo no fim do ano. O preparador físico dele trabalhou comigo aqui no Botafogo. Ele (Zé) é um cara do bem”, disse Jair.

Sobre a possível volta de Jefferson, Jair comentou que o goleiro está debilitado e alegando nunca ter sentido algo semelhante antes: “A gente ainda está vendo. Ele está debilitado. Disse que nunca havia sentido isso. Bom que já está de volta, e vou conversar com os médicos. Ele ia jogar no último jogo e acabou que aceleramos a volta do Gatito”, comentou. 

Jair comentou também o assédio de outros clubes e alegou ser gratificante ver seu nome sendo citado, mas que o foco é no Botafogo: “Estou muito focado no hoje, no Botafogo, temos nosso objetivo, que é difícil. Não está nada garantida a classificação. Estou focado para levar o Botafogo o mais longe possível. Bom ver seu nome especulado, mas meu pensamento é aqui”, afirmou.

Por fim, o treinador comentou sobre a relação com o elenco do Alvinegro e ressaltou a transparência e a alegria do ambiente: “O futebol é como colocar uma meia, a gente não sabe qual a melhor. Acredito que para as coisas funcionarem você precisa de um ambiente alegre. Você tem que ser transparente e tento levar isso na minha carreira”, finalizou.