Mesmo com vitória, Jair despista sobre Libertadores: "Vai ser decidido até a última rodada"

Treinador elogia atuação da equipe, fica impressionado com melhora de Marcos Vinicius e diz que a briga por Libertadores será disputada até os instantes finais do campeonato

Mesmo com vitória, Jair despista sobre Libertadores: "Vai ser decidido até a última rodada"
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Após a boa vitória do Botafogo por 2 a 1 contra o Sport, na Ilha do Retiro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, Jair Ventura, treinador do Glorioso, falou sobre a estratégia adotada pela sua equipe na partida, que ficou marcada pelos gols de Bruno Silva e Marcos Vinicius ainda no primeiro tempo, que construíram essa vitória da equipe da Estrela Solitária.

"Um dos pontos fortes do Botafogo é o número de desarmes, temos jogadores com essa característica. Temos duas maneiras diferentes de jogar: o jogo apoiado quanto temos a posse da bola e o jogo de transição, de menos toques possíveis para sair em velocidade. A gente soube fazer isso. Acho que poderia ter sido um pouquinho menos sofrido pela quantidade de chances que criamos e não fizemos. Várias cara a cara com o gol, mas está bom. Tem que ser comemorado. Valeu pela luta, pelos três pontos e pelas outras situações que falei", disse.

Outro assunto comentado foi o da torcida do Botafogo, que ensaiou algumas vaias na última partida no Estádio Nilton Santos, em que o Glorioso perdeu por 2 a 1, de virada, para o Fluminense. "A torcida é o grande patrimônio de uma equipe, eu não tenho que pedir nada para eles. Têm todo o direito de me vaiarem, e se quiserem aplaudir quando a gente ganhar eles podem. Não tenho que pedir nada, sigo fazendo o meu trabalho. Realmente, nem sempre vou agradar a todos, e eu tenho minhas convicções. E com elas eu vou morrer. Vou acertar e errar com as minhas convicções", declarou.

Um dos destaques da partida foi o meia Marcos Vinicius, que marcou o seu terceiro gol nas últimas cinco partidas e teve grande contribuição no resultado final. "Jogador que desde o Náutico já o acompanhava, depois esteve no Cruzeiro e teve essa oportunidade de fazer essa troca com o Sassá. Jogador que eu quis, eu mesmo liguei para ele, conversamos. Sei do potencial dele. Peço bastante para o meu camisa 10 pisar na área, ser o elemento surpresa. A gente faz muito isso com o Bruno, com os volantes e os médios também. E ele vem fazendo gols, é importante. É o nosso camisa 10 hoje, fazendo grandes jogos, ajudando com gols. Conseguir dar sequência para ele, aguentar mais os jogos, os 90 minutos na mesma intensidade, que ele vai nos ajudar ainda mais", completou.

Sobre a partida, Jair Ventura destacou a dificuldade de jogar em uma Ilha do Retiro com muitos torcedores, que pressionaram até o último minuto: "É sempre difícil jogar na casa do adversário lotada. Nós fizemos bastantes jogos assim na Libertadores esse ano. A torcida empurra, eles fizeram uma linda festa. Eu não posso dizer que é uma pena que não venceram porque estaria me prejudicando, mas o caminho é esse. A torcida tem sempre que apoiar o time, e o que me chamou a atenção é que só começaram a reclamar quando o jogo terminou. Mesmo com 2 a 0 eles ficaram incentivando, incentivando. Foi uma linda festa, infelizmente o Sport não conseguiu a vitória. Mas tenho certeza que se a torcida continuar indo lado a lado com o time, eles vão sair dessa situação delicada".

Com a vitória, o Botafogo subiu para a quinta colocação na tabela do Campeonato Brasileiro e, mais do que nunca, almeja a classificação direta para a próxima Taça Libertadores. Apesar disso, o jovem treinador mostrou cautela pela situação equilibrada do campeonato. "Quando eu perdi o jogo (contra o Fluminense) falei que não estava nada decidido, e quando vence também não. Faltam muitos jogos ainda, vai ser decidido sempre nos detalhes. Vai ser um perde e ganha, difícil abrir uma grande sequência de vitórias pelo equilíbrio do Campeonato Brasileiro. É o mais equilibrado do mundo, não que seja o melhor campeonato, mas o mais equilibrado, onde todo mundo pode ganhar de todo mundo. Vai ser decidido até a última rodada, só mais um passo, mais nada decidido", disse.