Cada vez mais próximo do G-4, Botafogo recebe Atlético-PR em jogo com interesse em comum

Glorioso chegou à quinta colocação e busca a vaga direta na Libertadores; Furacão, por sua vez, quer alcançar o G-7 e tenta a vaga na fase preliminar da competição continental

Cada vez mais próximo do G-4, Botafogo recebe Atlético-PR em jogo com interesse em comum
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Botafogo
Atlético-PR
Botafogo: GATITO FERNÁNDEZ; ARNALDO, JOEL CARLI, EMERSON SILVA E VICTOR LUÍS; RODRIGO LINDOSO, BRUNO SILVA, JOÃO PAULO E MARCOS VINICIUS; PIMPÃO E BRENNER. TÉCNICO: JAIR VENTURA.
Atlético-PR: WEVERTON; JONATHAN, PAULO ANDRÉ, THIAGO HELENO E FABRÍCIO; PAVEZ E LUCHO GONZÁLEZ; PABLO, LUCAS FERNANDES, DOUGLAS COUTINHO; RIBAMAR. TÉCNICO: FABIANO SOARES.
ÁRBITRO: ANDERSON DARONCO, AUXILIADO POR RAFAEL DA SILVA ALVES E ELIO NEPOMUCENO DE ANDRADE JUNIOR. TODOS DO RIO GRANDE DO SUL
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 34ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2017, A SER DISPUTADA NO ESTÁDIO NILTON SANTOS, NO RIO DE JANEIRO, NA NOITE DESTE SÁBADO (11)

Em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, o Botafogo recebe o Atlético-PR neste sábado (11) no Estádio Nilton Santos, às 17h (de Brasília). No confronto disputado na Arena da Baixada válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A, as duas equipes ficaram no 0 a 0.

O Alvinegro vem de uma importante vitória diante do Sport por 2 a 1, na Ilha do Retiro e chegou à 5ª colocação, com 51 pontos, entrando de vez na briga pela classificação direta para a Libertadores 2018, foco principal do clube na competição. Depois de perder em casa para o líder Corinthians por 1 a 0, o Furacão, que ocupa a 13ª colocação com 42 pontos, viaja ao Rio de Janeiro buscando somar pontos e voltar a sonhar com a Libertadores 2018, já que o G-7, que ficou um pouco mais longe após o resultado da última partida, pode virar G-9, caso Flamengo e Grêmio vençam a Sul-Americana e Libertadores, respectivamente.

Concentração e entrega na luta pela vaga direta na Libertadores 2018

Após a eliminação para o Grêmio nas Quartas de Final da Competição Continental em 2017, o objetivo do Botafogo foi traçado: voltar à  Libertadores em 2018; e o grupo enxuto, mas guerreiro, que fez uma boa campanha esse ano comprou a ideia.

Marcos Vinicius, que vem atuando bem, marcando gols e recebendo elogios, concedeu entrevista coletiva após o treino dessa sexta-feira: “Ele (Jair) sempre me pede para estar próximo da área, pois tenho uma boa finalização. Graças a Deus está dando certo. Elogio é bom, mas não vou deixar subir para a cabeça. Estou me sentindo bem. Os gols passam confiança! Seu do meu potencial e posso render mais”, disse.

“Não podemos vacilar. Já perdemos alguns pontos em casa. Por isso, é preciso entrar concentrado. Temos que encarar esses cinco jogos como verdadeiras finais. A gente estava disputando várias competições e acabou atrapalhando um pouco” comentou o meia, rechaçando a necessidade de entrega na reta final do Campeonato.

“Seca de gols”, pressão e desfalques

A falta de importantes peças na parte ofensiva da equipe rubro-negra pode dificultar um pouco mais a vida do Atlético-PR. Felipe Gedoz, Nikão e Matheus Anjos estão no departamento médico e não enfrentam o Botafogo no Nilton Santos.

Além dos desfalques, o Furacão vem sofrendo pressão pois está há 3 jogos sem vencer e sem sequer marcar um gol. O treinador Fabiano Soares falou sobre a fase vivida pela equipe: “Quando você está numa grande equipe, a cobrança é total. E o treinador depende de resultados. Os resultados agora não estão saindo. A equipe tem jogado bem e temos uma crise de resultado e não de jogo”, avaliou.

O comandante ainda reiterou a importância de todos os jogos no decorrer do campeonato: “As decisões são desde o primeiro jogo. Não se ganha, não se baixa e não se é campeão nos últimos jogos. O primeiro jogo vale os mesmos pontos que o último, logicamente se você não começar bem, tem mais necessidade no final. Mas as decisões são todos os jogos”, finalizou.