Negócio complicado: Botafogo e Albirex não chegam a acordo e Rony deve voltar ao Japão

Clube japonês e Alvinegro não chegam a acordo e possibilidade de atacante jogar no Rio de Janeiro em 2018 diminui

Negócio complicado: Botafogo e Albirex não chegam a acordo e Rony deve voltar ao Japão
Foto: Ken Ishii - JL/Japan Football/Getty Images

Oito de janeiro de 2018. Em contato com a VAVEL Brasil, Hércules Júnior, empresário de Rony, afirmou que o jogador estava para o Rio de Janeiro para assinar contrato com o Botafogo, já que foi envolvido na negociação que levou Bruno Silva ao Cruzeiro. Além disso, o jogador havia sido anunciado oficialmente pela equipe de General Severiano.

No decorrer do tempo, porém, o Albirex Niigata, clube japonês que detém os direitos do atleta, indicou pela volta do jogador ao país nipônico, já que ele ainda possuía contrato com eles. Se o Botafogo quisesse permanecer com o atacante, teria que pagar 10 milhões de dólares ao Albirex, que era referente ao valor da multa do atleta. O Alvinegro, obviamente, não possuía caixa para pagar por essa negociação, então tentaria convencer os japoneses a liberar o jogador por empréstimo, já que o desejo dele era jogar no Rio de Janeiro.

Durante o mês de janeiro, a diretoria do Botafogo buscou convencer o clube japonês para liberar o atacante ao clube carioca. Alguns dirigentes, por sua vez, chegaram a viajar ao país asiático para tentar resolver essa negociação diretamente com os diretores do Albirex Niigata. O negócio, porém, não chegou a esquentar e, consequentemente, a possibilidade do jogador em defender o Alvinegro não aumentou.

Nessa sexta-feira (2), a VAVEL Brasil entrou em contato novamente com o empresário do atleta e com Bichara Neto, seu advogado. Os dois afirmaram que a situação é difícil, já que os japoneses são irredutíveis e um possível “retorno” de Rony é muito complicado – praticamente descartando a possibilidade de que o atacante jogue no clube de General Severiano, por ora, em 2018. “Houve uma reunião esta semana. Botafogo e Albirex não se resolveram por questões envolvendo valores”, afirmou o advogado.

De acordo com o que foi acordado previamente, o Cruzeiro terá que pagar mais um milhão de reais ao Botafogo por conta da não-ida de Rony. A Raposa, porém, tentará envolver outro jogador na negociação. “Vamos ver com o Botafogo para saber sobre isso e saber qual decisão tomar. Ainda não decidimos, mas a princípio temos que mandar algum jogador ou pagar o valor. Estou aguardando a decisão do empresário. Quanto ao Botafogo, se eles quiserem algum jogador, vamos ver para mandar. Precisamos aguardar para tomar uma decisão”, disse Marcelo Dijan, diretor de futebol do clube de Minas.