Chapecoense vence América-MG e conquista a primeira vitória no Brasileirão

Após sair perdendo na primeira etapa, a Chapecoense reagiu na etapa final, marcando três gols, sendo dois do artilheiro Bruno Rangel

Chapecoense vence América-MG e conquista a primeira vitória no Brasileirão
Foto: Giba Pace Thomaz/Chapecoense
Chapecoense
3 1
América-MG
Chapecoense : Danilo; Gimenez, Marcelo, Rafael Lima e Dener; Gil, Josimar e Cleber Santana; Lucas Gomes (Hyoran, min. 67), Bruno Rangel (Kempes, min. 81) e Ananias (Silvinho, min. 11). Técnico: Guto Ferreira
América-MG: João Ricardo; Artur (Bruno Sávio, min. 79), Alison e Sueliton; Helder, Claudinei, Leandro Guerreiro, Rafael Bastos e Danilo; Tiago Luis e William Barbio (Vitinho, min. 44). Técnico: Givanildo Oliveira
Placar: 0-1, min. 19, Rafael Bastos (pênalti), 1-1, min. 47, Bruno Rangel (pênalti), 2-1, min. 76, Silvinho e 3-1, min. 77, Bruno Rangel.
ÁRBITRO: Eduardo Aquino Valadão (GO).
INCIDENCIAS: Segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Partida disputada na Arena Condá, em Chapecó (SC). Público: 2.177 pagantes. Renda: R$ 21.450.

Na disputa entre duas equipes que ainda não venceram no Campeonato Brasileiro, a Chapecoense levou a melhor sobre o América-MG. Em partida disputa na Arena Condá, a Chape venceu o Coelho por 3 a 1 e anotou o primeiro resultado positivo no Brasileirão.

O jogo foi burocrático por parte dos dois times, principalmente no primeiro tempo. Na etapa final, com a necessidade da vitória, ambas as equipes saíram para o ataque, fator que foi essencial para o Verdão do Oeste, que marcou dois gols rápidos e definiu a vitória em casa.

A Chapecoense enfrentará o Flamengo, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, na próxima quarta-feira (25), às 21h. No mesmo dia e horário, o América-MG receberá o Vitória, no Independência.

Primeiro tempo equilibrado, mas com vantagem mineira

Tanto Guto Ferreira quanto Givanildo Oliveira buscaram mostrar que estavam por dentro do que o adversário poderia mostrar dentro de campo. Desta forma, os dois treinadores apresentaram novidades. A Chape apareceu com um esquema formado por três atacantes, enquanto o América-MG iniciou a partida com esquema formado por três zagueiros e sem um centroavante de origem.

O começo da partida foi equilibrado, com os dois times buscando se fechar em uma marcação cerrada, evitando dar espaços ao adversário. O América apresentava mais alternativas para chegar em direção ao gol da Chape. O Chapecoense se apegava nas jogadas armadas pelo veterano Cleber Santana. 

O primeiro gol da partida aconteceu após penalidade máxima marcada pelo árbitro Eduardo Aquino Valadão, cometida pelo zagueiro Rafael Lima em cima de Rafael Bastos. A infração foi contestada pelos jogadores da Chape, mas o juiz não quis conversa. Na cobrança, o próprio Bastos bateu forte colocado, no canto direito alto do goleiro Danilo e abriu o marcador. 

A Chapecoense buscou sair para o jogo, soltou os laterais na intenção de jogar nas costas de Helder e Danilo, os alas do América, mas não tiveram sucesso em suas ações. O América se fechou, buscou reduzir os espaços e sair nos contra-ataques, no entanto, apenas uma grande oportunidade aconteceu após o cabeceio de Tiago Luis no cruzamento de William Barbio. 

No final da primeira etapa, o atacante William Barbio saiu com dores na costela para dar lugar a Vitinho no América. No último minuto, a Chapecoense teve oportunidade em bola parada, mas não acertou o alvo. 

Empate no começo e virada em dois minutos

Nenhuma das equipes voltaram com mudanças para o segundo tempo. No entanto, o placar foi alterado no começo da etapa final. O árbitro marcou novo pênalti, agora a favor da Chapecoense em cima de Marcelo. Na cobrança, Bruno Rangel, artilheiro da Chape na temporada, bateu no canto esquerdo baixo de João Ricardo, que foi na bola, mas não pegou. 

Empolgado com o gol, a Chapecoense imprimiu uma pressão em cima da defesa americana na intenção de virar a partida, mas a segurança da defesa, aliado ao talento do goleiro João Ricardo seguraram o marcador.

No decorrer da partida, o ímpeto da Chapecoense caiu bastante, e dando maior tranquilidade para o América sair da defesa e tentar alterar o marcador. No entanto, a queda da Chape só fez retornar o futebol apresentado pelos dois times no primeiro tempo. Burocrático, mas equilibrado dentro da proposta das duas equipes. 

Sentindo a necessidade do resultado, Chapecoense e América-MG buscaram o ataque, dando espaços dentro de campo. Era tudo o que a Chape queria. Aos 31 minutos, na bola cabeceada no meio campo, Bruno Rangel saiu frente a frente com João Ricardo, finalizou, com grande defesa do goleiro americano. Na sobra, Silvinho bateu para as redes. Um minuto depois, novamente o Verdão do Oeste partiu em contra-ataque. Hyoran começou a jogada e passou a Cleber Santana, que recebeu na grande área. O meia serviu a Bruno Rangel, que dominou e bateu no canto do goleiro mineiro. 

O América-MG tentou partir para cima, mas sem obter sucesso em suas iniciativas. Já a Chapecoense, segurou o jogo, visando os contra-ataques, mas também não conseguiu marcar mais gols.