Bruno Rangel marca três vezes, Chapecoense vence fora de casa e agrava crise do Coritiba

Em jogo de muitas emoções, Chape vence por 4 a 3 na Vila Capanema e Coxa sai de campo sob muitos protestos

Bruno Rangel marca três vezes, Chapecoense vence fora de casa e agrava crise do Coritiba
Maior goleador da história da Chape, Bruno Rangel divide artilharia do Brasileiro com Grafite (Foto: Divulgação/Chapecoense)
Coritiba
3 4
Chapecoense
Coritiba: Wilson, Dodô, Rafael Marques, Juninho, César Benítez; João Paulo, Thiago Lopes (Vinícius, intervalo), Juan, César González (Ruy, min. 18/2ºt), Negueba (Evandro, intervalo), Jorge Ortega. Técnico: Gilson Kleina
Chapecoense: Danilo; Gimenez, Marcelo, Thiego, Dener Assunção; Josimar (Moisés, min. 10/2ºt), Cleber Santana, Hyoran (Arthur Maia, min. 23/2ºt); Lucas Gomes, Silvinho (Lourency, min. 29/2ºt), Bruno Rangel. Técnico: Guto Ferreira
Placar: 1-0, min. 9/1ºt, Rafael Marques. 1-1, min. 23/1ºt, Bruno Rangel (pên). 1-2, min. 39/1ºt, Bruno Rangel (pên). 2-2, min. 22/2ºt, Jorge Ortega. 2-3, min. 36/2ºt, Bruno Rangel. 2-4, min. 44/2ºt, Lucas Gomes. 3-4, min. 48/2ºt, Juninho
ÁRBITRO: Pablo dos Santos Alves (PB), auxiliado por Luis Filipe Gonçalves Corrêa (PB) e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS). Amarelos: Negueba, João Paulo, César Benítez, Rafael Marques, Vinícius (CTB); Bruno Rangel, Danilo, Cleber Santana, Gimenez (CHA)
INCIDENCIAS: 5ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2016, na Vila Capanema, em Curitiba, PR. Público Total: 2.979 torcedores; Renda: R$ 31.920,00

Em jogo que era essencial para a sequência do trabalho de Gilson Kleina, o Coritiba acabou perdendo em casa para a Chapecoense por 4 a 3. O Coxa abriu o placar com Rafael Marques, mas Bruno Rangel marcou duas vezes de pênalti no primeiro tempo para virar. No segundo tempo, Ortega empatou, mas Bruno Rangel, novamente, e Lucas Gomes marcaram para a Chape. Juninho descontou nos acréscimos.

Com quatro pontos, o Coritiba é o 16º colocado no Campeonato Brasileiro, com quatro pontos, mas terminará a rodada da zona de rebaixamento, pois será ultrapassado ou por América-MG ou por Ponte Preta. Já a Chape foi a nove pontos e está em 4º. No próximo sábado (4), as equipes jogam às 20h30. O Coxa visita o Corinthians, enquanto a Chapecoense recebe o Fluminense

Arbitragem polêmica influencia em primeiro tempo movimentado

Precisando da vitória, o Coritiba tentou desde o começo o ataque para tentar aliviar a pressão sob o técnico Gilson Kleina. Logo aos 9, González bateu escanteio para a área e Rafael Marques desviou de cabeça para botar o Coxa na frente. A resposta da Chape foi logo na sequência. Silvinho tabelou com Bruno Rangel e arriscou de fora da área, mas Wilson fez a primeira de muitas defesas no jogo. Na sequência, em cobrança de escanteio de Hyoran, Marcelo subiu livre, mas cabeceou para fora.

A primeira parte do jogo foi muito movimentada. Foram 15 finalizações: oito do Coxa e sete da Chapecoense. Aos 23, Bruno Rangel recebeu dentro da área, foi derrubado por Juninho e o árbitro Pabol dos Santos Alves marcou pênalti. O próprio Bruno Rangel cobrou no canto esquerdo e empatou o jogo.

Com a pressão vinda das arquibancadas crescendo, o Coxa teve dificuldades para manter os nervos em ordem e o jogo ficou muito aberto. Aos 30, João Paulo arriscou de longe e exigiu grande defesa de Danilo. Dois minutos depois foi a vez de Hyoran chutar de fora da área, mas Wilson se esticou e salvou.

Aos 37, após bola lançada na área, Rafael Marques dividiu no alto com Marcelo, a bola bateu em suas costas, mas o árbitro viu toque de mão e marcou novo pênalti para a Chape, sob muitos protestos do Coxa. Bruno Rangel agora bateu no lado direito, virou o jogo e chegou a cinco gols no campeonato. O Coritiba tentou buscar o empate, mas a Chapecoense foi mais perigosa. Aos 45, Hyoran bateu com muita categoria no ângulo, mas Wilson se esticou para dar um tapa e a bola ainda bateu no travessão antes de sair. Debaixo de chuva, os mandantes foram para o intervalo sob muitas vaias da torcida.

Coxa cria esperanças, mas Bruno Rangel resolve

O Coritiba veio para o segundo tempo com duas alterações - entradas de Vinícius e Evandro nas vagas de Negueba e Thiago Lopes -, e pressionou a Chape, apesar de não transformar em muitas finalizações. A primeira chance da segunda etapa foi dos visitantes. Aos 4, após cobrança curta de escanteio, Cleber Santana bateu falta e Wilson fez nova grande intervenção para evitar o terceiro da Chapecoense.

O Coxa se manteve rondando a área rival, mesmo sem chutes perigosos, mas sempre esteve pressionando. O resultado veio aos 23. Dodô fez ótima jogada pela direita e cruzou para Ortega, que pegou mal, mas conseguiu vencer Danilo para empatar na Vila Capanema.

Mesmo com o empate, o Coxa continuou com a postura muito ofensiva buscando a vitória e a Chapecoense soube aproveitar. Aos 16, Lucas Gomes fez jogada individual pela direita e cruzou na segunda trave para Bruno Rangel, que se livrou da marcação de Dodô e tocou de cabeça para marcar seu terceiro no jogo e recolocar a Chape na frente. Dois minutos depois, quase novo empate do Coritiba. Vinícius arriscou da entrada da área, a bola explodiu na defesa e voltou para Evandro, que bateu para o gol, mas Danilo espalmou. Na sequência, Juan cruzou fechado e Thiego apareceu para cortar praticamente em cima da linha.

O golpe final veio aos 44. Com o Coritiba todo no ataque, Lucas Gomes passou por dois marcadores e avançou com campo livre até sair frente a frente com Wilson e tocar por cobertura para marcar o quatro da Chape. Já sob vaias, protestos contra o técnico e o presidente Rogério Bacellar, o Coxa descontou nos acréscimos. Ruy levantou para a área e Juninho aproveitou falha do goleiro Danilo para fazer o terceiro do Coritiba, mas não conseguiu amenizar a situação do clube no Brasileiro.