Chapecoense vence Cruzeiro de virada na estreia de Caio Junior

Equipe catarinense ganha a segunda partida em casa e termina a rodada a dois pontos do G-4; Raposa perde chance de vencer o terceiro duelo consecutivo

Chapecoense vence Cruzeiro de virada na estreia de Caio Junior
Depois dessa partida, histórico do confronto tem duas vitórias para cada lado e um empate (Foto: Marcio Cunha/Light Press/Cruzeiro)
Chapecoense
3 2
Cruzeiro
Chapecoense: Marcelo Boeck; Gimenez, Marcelo (min. 8, Rafael Lima, 1ºT), Thiego, Sérgio Manoel, Josimar, Gil (min. 21, Arthur Maia, 2ºT), Cleber Santana, Ananias (min. 29, Kempes, 2ºT), Bruno Rangel, Silvinho.
Cruzeiro: Fábio; Mayke (intervalo, Lucas), Bruno Viana, Fabrício Bruno, Bryan, Lucas Romero, Henrique (min. 17, Frederico Gino, 1ºT), Bruno Ramires, Arrascaeta, Pisano (min. 13, Élber, 2ºT), Willian.
Placar: 0-1, min. 6, Pisano; 1-1, min. 42, Silvinho; 2-1, min. 68, Arthur Maia; 2-2, min. 83, Fabrício Bruno; 3-2, min. 88, Kempes.
ÁRBITRO: Árbitro: RODOLPHO TOSKI MARQUES (PR), AUXILIADO POR LUIZ SOUZA SANTOS (PR) E VICTOR HUGO IMAZU (PR). Cartões amarelos: Mayke, Bryan, Willian, Pisano, Lucas, Bruno Viana (CRU), Gil, Ananias, Gimenez, Rafael Lima (CHA)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 12º rodada do Campeonato Brasileiro 2016, disputado na Arena Condá, em Chapecó-SC, às 21h, do dia 29 de junho, para um público de 6.774 torcedores.

Na noite desta quarta (29), a Chapecoense venceu o Cruzeiro pelo placar de 3 a 2, na Arena Condá, em Chapecó/SC, pela 12º rodada do Campeonato Brasileiro. A Raposa abriu o placar com Pisano, e, ainda na etapa inicial, Silvinho empatou para os donos da casa. O restante do placar foi construído no segundo tempo, onde, aos 23 minutos, Arthur Maia virou para a Chape com gol em cobrança de falta, Fabricio Bruno descontou, aos 38 minutos, e com a partida já caminhando para o empate, Kempes garantiu a segunda vitória alviverde em casa.

Com o triunfo, a Chapecoense subiu para a oitava posição, com 18 pontos, dois a menos que o Internacional, última equipe do G-4, e poderá cair somente uma posição até o fim da rodada, caso o Atlético-MG vença o Botafogo, nesta quinta. Já o Cruzeiro caiu um posição, mantendo seus 14 pontos, e, na combinação mais desfavorável dos jogos restantes, pode terminar na primeira posição fora da zona de rebaixamento.

O jogo contou com a estreia do técnico Caio Júnior no clube catarinense, depois de Guto Ferreira deixar a equipe para comandar o Bahia. Vindo de uma goleada sofrida por 5 a 1 para o Sport, a Chapecoense venceu um Cruzeiro que estava embalado pelas duas vitórias consecutivas diante da Ponte Preta (0-4) e do líder Palmeiras (2-1).

O próximo compromisso da Chapecoense é contra o Santos, na Vila Belmiro, em Santos/SP, no domingo (3), às 16h. Já o Cruzeiro volta para Belo Horizonte/MG para receber o Vitória, também no domingo, às 11h, no Mineirão.

Pisano marca seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro, e Silvinho empata para a Chapecoense

A primeira finalização do jogo foi justamente a abertura do placar, pelo Cruzeiro, aos 6 minutos. Arrascaeta recebeu longo passe pela esquerda, dominou no peito e cruzou para a área. A bola foi rebatida pelo goleiro Marcelo, e Pisano, já na pequena área, não perdeu a chance de abrir o placar, marcando seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro. A Chapecoense quase empatou, aos 26 minutos, quando Ananias chutou de fora da área, a bola desviou no Bruno Rangel, enganou o goleiro Fábio e balançou as redes. Mas o atacante estava em posição de impedimento, e o gol não foi validado.

O time do estreante Caio Júnior não se intimidou com o placar desfavorável e partiu para o ataque, mas a defesa do Cruzeiro conseguia se manter segura nos lances. Com a saída do volante cruzeirense Henrique, ainda no primeiro tempo, que foi levado para um hospital de Chapecó após pancada na cabeça, o Cruzeiro perdeu qualidade, no meio de campo, para fazer a ligação da defesa com o ataque, e começou a apelar para os lançamentos longos. Em alguns lances, Arrascaeta era quem tentava colocar a bola no chão e criar alguma jogada, mas a marcação em cima do meia era forte.

De tanto tentar, a Chapecoense conseguiu chegar ao seu gol de empate, aos 42 minutos. Gimenez fez um passe para Silvinho, que entrava livre na área, dominou a bola, limpou o lance e tocou por debaixo das pernas do goleiro Fábio. Já nos acréscimos da etapa inicial, Fábio tentou sair jogando, mas a bola caiu nos pés de Gil, que tocou para Silvinho. O autor do gol da Chape tentou fazer o cruzamento, e a bola quase enganou o goleiro Fábio, que viu o perigo passar bem perto.

Chapecoense vira no fim e Caio Junior vence em sua estreia no comando da equipe

Na volta para o segundo tempo, as equipes tentavam encontrar o caminho do desempate. Aos 13 minutos, em cobrança de falta na lateral, Arrascaeta chutou direto no gol, mas o goleiro Marcelo espalmou a bola. No minuto seguinte, foi a vez da equipe alviverde tentar a virada. Ananias aproveitou uma longa inversão de bola e finalizou para o gol de Fábio, exigindo uma bela defesa do goleiro cruzeirense. Não tardou para a Chapecoense virar o placar. Gimenez sofreu falta do zagueiro Bruno Viana perto da grande área, que recebeu cartão amarelo no lance. Em uma cobrança perfeita no ângulo, Arthur Maia, que tinha sido sacado do banco de reservas três minutos antes, por Caio Júnior, marcou o segundo gol da Chape.

Se Arthur Maia entrou na partida com fome de gol, Kempes também, depois de acionado deixar o banco de reservas, queria deixar o dele. Passados 34 minutos do segundo tempo, o atacante alviverde dominou um passe longo, fez o giro e arriscou de longe, e a bola passou muito perto do gol de Fábio. A Chape não conseguiu marcar e viu o Cruzeiro empatar o jogo, aos 38 minutos. Bryan cobrou falta na área, a zaga alviverde afastou, e a bola foi dominada por Lucas Romero, que tentou fazer um passe. O zagueiro Fabricio Bruno, adiantado por Paulo Bento, aproveitou a assistência desproposital do volante e marcou o gol de empate. Os jogadores catarinenses reclamaram do lance do gol, alegando ter havido um toque de mão no domínio do volante Lucas Romero.

Na resposta da Chapecoense, Silvinho avançou bem pela esquerda, e quase no limite do campo, cruzou a bola na área, que tinha direção certa ao gol de Fábio. O goleiro estava atento e, na ponta dos dedos, conseguiu evitar a virada da Chape. Por pouco tempo. Em uma falha da zaga do Cruzeiro, ao 43 minutos, Bruno Rangel conseguiu cabecear para a área, Rafael Lima alçou a bola para Kempes arrematar para o gol, no meio dos defensores celestes. A equipe catarinense virou o placar e segurou a pressão do Cruzeiro nos minutos finais, garantindo a vitória em casa.