Chapecoense vence, se afasta e empurra Botafogo para zona de rebaixamento do Brasileirão

Resultado fez a equipe subir para a 10ª posição do Campeonato Brasileiro

Chapecoense vence, se afasta e empurra Botafogo para zona de rebaixamento do Brasileirão
(Foto: Divulgação/Chapecoense)
Chapecoense
2 1
Botafogo
Chapecoense: Marcelo Boeck, Gimenez, Thiego, Filipe Machado, Dener, Sergio Manoel (Biteco 45'), Josimar, Ananias (Lucas Gomes 54'), Cleber Santana, Kempes, Hyoran (Martinuccio 64')
Botafogo : Sidão, L. Ricardo, Emerson, Joel Carli, Diogo Barbosa; R. Lindoso, Bruno Silva, Fernandes (Neílton 45'), Camilo; Canales (Luís Henrique 67') e Salgueiro (Núñez 75')
Placar: 1-0, min. 24, Hyoran. 1-1, min. 86, Camilo. 2-1, min. 88, Lucas Gomes.
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS). Cartões Amarelos: Sergio Manoel (min. 44), Bruno Silva (min. 64) e Luis Henrique (min. 69).
INCIDENCIAS: partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, jogado na Arena Condá, em Chapecó, Santa Catarina.

A Chapecoense bateu o o Botafogo por 2 a 1 em partida disputada na tarde deste domingo (24), em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro na Arena Condá. Apesar de não ter feito uma grande partida, a equipe catarinense contou com uma boa eficiência de seu setor ofensivo. 

Com o resultado, a Chapecoense espantou a má fase e conseguiu uma grande recuperação no campeonato subindo para a décima posição. Já o Botafogo foi passado por Coritiba, Sport e Santa Cruz e assim voltou para a zona de rebaixamento, na 17ª colocação. 

O próximo compromisso da Chapecoense pelo Campeonato Brasileiro é contra o São Paulo no próximo domingo (31) no Morumbi. Já o Botafogo enfrenta o Palmeiras na segunda-feira (1º). 

Na primeira etapa, Chapecoense conseguiu abrir o placar

Na tarde ensolarada de Chapecó, os torcedores do time local viram a Chapecoense sofrer o primeiro susto na partida logo aos quatro minutos. Salgueiro recebeu na entrada da área e tocou para Canales, que chutou por cima do gol. Se no último sábado os torcedores botafoguenses vaiaram um ex-jogador - William Arão, do Flamengo - desta vez foi um jogador do Botafogo que recebeu a vaia daqueles que acompanhavam a partida nas arquibancadas. A cada toque na bola, Bruno Silva e Camilo, que atuaram durante dois anos na Chapecoense, recebiam uma pequena vaia. 

Pressionado pelo mau momento vivido nas últimas rodadas, a Chapecoense tentava furar a defesa alvinegra de modo abafado, causando assim pouca efetividade. Em um destes momentos, Ananias cruzou para a área, a bola bateu no braço de Emerson, mas o árbitro não marcou nenhuma infração, para desespero dos jogadores e torcida. 

Aos 14 minutos, Cleber Santana cruzou para Kempes. O jogador mergulhou e forçou o goleiro Sidão a fazer uma grande defesa, porém o lance já havia sido paralisado devido à marcação de impedimento. Após este lance, o jogo perdeu o ritmo de seu início e as duas equipes abusaram dos passes errados. 

Mais organizado em campo, o Botafogo mantinha o maior controle da bola e conduzia melhor a partida, porém sem conseguir achar o último passe para a finalização. Aos 20, quando conseguiu achar espaço com Diogo Barbosa pela esquerda, a bola caiu nos pés de Salgueiro, que chutou ao gol sem representar perigo ao gol de Marcelo Boeck.

Aos 24, a Chapecoense abriu o placar. Cleber Santana fez boa jogada pela direita e rolou para Hyoran, que chutou no canto de Sidão, sem abrir chances para o goleiro alvinegro pular. Chapecoense 1 a 0 Botafogo. 

A Chapecoense era inferior na posse de bola, apenas 33% contra 67% dos visitantes, mas conseguia chutar mais que o adversário. Até o momento do gol, foram três finalizações contra duas do time comandado por Ricardo Gomes. O gol deu confiança aos jogadores, que conseguira, chegar mais vezes ao campo ofensivo e assim criar uma pressão maior. 

O time da casa tinha como grande arma o desarme. Foram 11 contra apenas 1 do Botafogo até os 33 minutos. O Botafogo não chegava à finalização. Apenas aos 43 a equipe alvinegra conseguiu uma grande chance. Bruno Silva, de bicicleta, tentou na entrada da pequena área e quase marcou um golaço, mas a bola passou por cima do travessão. 

No minuto final do primeiro tempo, gol anulado do Botafogo. Salgueiro rolou para Canales chutar a bola no fundo da rede, porém o bandeira assinalou impedimento do jogador alvinegro. 

Botafogo conquista empate, mas logo a equipe da casa desempata na segunda etapa

Para a segunda etapa, as duas equipes fizeram alterações. Sergio Manoel deu lugar a Matheus Biteco na Chapecoense e, no Botafogo, Neilton entrou no lugar de Fernandes. Com o resultado parcial, a Chapecoense subia para a décima posição, enquanto o time carioca voltava para a zona de rebaixamento, agora na 17ª posição. 

Neilton teve sua primeira oportunidade na partida logo aos cinco minutos. O jogador conseguiu um bom chute de esquerda e a bola parou nas mãos de Marcelo Boeck. Aos 8 minutos, mais uma alteração na Chapecoense. Ananias, com dores no joelho após dividida com Bruno Silva, deu lugar a Lucas Gomes. 

O segundo tempo teve um ritmo inferior ao primeiro. Porém, o cenário era parecido. Botafogo com quase o dobro da posse de bola, mas sem achar espaço no setor ofensivo, enquanto a Chapecoense, abafada, não mantinha a bola no pé. As duas equipes continuaram a errar uma grande quantidade de passes. 

Para suprir essa falta de qualidade para a finalização, Ricardo Gomes decidiu colocar o jovem atacante  Luis Henrique no lugar de Canales, que não teve uma boa atuação na tarde deste domingo. 

Porém quem passou a atacar mais foi a Chapecoense. Com uma maior tranquilidade devido ao resultado, a equipe local conseguiu uma melhora na posse de bola principalmente no setor ofensivo. Mas, assim como o Botafogo, encontrava dificuldades para achar espaço para o chute. 

Gervasio Nunes, o Yacare, entrou no lugar de Salgueiro e assim o Botafogo usou as três susbsituições que tem direito. 

Aos 32, o jogo foi paralisado porque Cleber Santana se lesionou. Por já ter feito as três substituições, a Chapecosne ficou momentaneamente com um jogador a menos, já que o atleta teve que ser retirado de campo devido às dores. Três minutos depois ele voltou, porém visivelmente ainda sentindo. 

Se com a bola rolando o Botafogo não conseguia chutar, a oportunidade surgiu a partir de uma bola parada. Falta na entrada da área e Camilo, ex jogador da Chapecoense e que passou o jogo sendo vaiado, marcou para o time carioca. Chapecoense 1 a 1 Botafogo. 

Ainda sem ter conseguido nenhuma finalização no segundo tempo, o jogo parecia que terminaria empatado. Porém, logo no minuto seguinte, aos 43, a Chapecoense marcou mais um. Lucas Gomes, que entrou no segundo tempo tirou do goleiro Sidão e deixou a Chapecoense novamente em vantagem. 2 a 1 para o time da casa. 

Devido às interrupções médicas, o árbitro deu seis minutos de acréscimo. Não foi o suficiente para deixar a Chapecoense deixar escapar a vitória. Fim de jogo.