Caio Júnior se diz orgulhoso da Chapecoense, mas lamenta empate: "Pênalti foi decisivo"

Penalidade máxima que acarretou no segundo gol tricolor na partida foi alvo de muitas críticas por parte do treinador alviverde

Caio Júnior se diz orgulhoso da Chapecoense, mas lamenta empate: "Pênalti foi decisivo"
Caio Júnior destaca entrega da Chapecoense diante do São Paulo (Foto:Divulgação/Chapecoense)

Em uma partida quente, a Chapecoense teve o resultado nas mãos e não soube aproveitar, quando, no ínicio da primeira etapa, Kempes e Thiego marcaram para o Verdão do Oeste na manhã deste domingo (31). Porém, na complementar todo esforço foi pouco para deter o peruano, Cueva, o qual foi autor dos dois gols São paulinos. Fim de jogo, empate de 2 a 2.

Com o término da partida, Caio Júnior, avaliou o posicionamento de seus comandados que, contando com o empate de hoje, estão a cinco partidas sem perder, uma marca importantíssima para o decorrer do campeonato. Treinador mostrou-se orgulhoso e entusiasmado ao ver sua equipe jogando de igual para igual na casa do adversário.

"Maior orgulho de ser treinador desse clube e desse grupo de jogadores. São cinco jogos sem perder. Ver uma equipe impondo o jogo em cima do São Paulo e faz o 2 a 0. Óbvio que o São Paulo teve que ir para cima", disse.

Contudo, segundo Caio, o último tento do tricolor paulista poderia ter sido evitado pelo árbitro da partida. O mesmo aos 40min da segunda etapa assinalou pênalti de Josimar, quando, em cruzamento, a bola bate diretamente no braço do atleta. 

"O lance decisivo foi o pênalti. Inaceitável o que aconteceu. Óbvio que o Josimar não teve intenção. A regra é bem clara. Tem que ter intenção. Mas ele não tem. Qual o critério para dar esse pênalti? Foi a camisa do adversário? Ele deu o pênalti sem usar a regra. E temos que nos unir, porque ninguém vai nos ajudar, dar pênalti na dúvida para nós. Dependemos muito do nosso trabalho", argumentou.

Em uma ótima fase, como já dizia anteriormente, a Chapecoense está a cinco jogos sem saber o que é perder. Tudo isso graças a entrega, a competência e a eficiência dos comandados de Caio Júnior que, mais uma vez reiterou estar orgulhoso de ver o amadurecimento de seus atletas e a dedicação que demonstram em campo.

"Fica a frustração por um lado, porque poderíamos ganhar. Mas o que eu vejo. Realmente muito legal ver a entrega. Eles chegaram no vestiário praticamente mortos. Isso orgulha muito a gente", reiterou.

Com apenas um ponto na bagagem e a 11° colocação no Brasileiro, a Chapeocoense volta para Chapecó, onde dará início a sua semana de trabalhos visando o confronto desta quinta-feira(4), diante do então líder do campeonato, Palmeiras.