Caio Júnior se desculpa com torcida da Chapecoense por expulsão contra Palmeiras

Técnico da Chapecoense elogiou atuação de seus comandados, entretanto, demonstrou revolta diante de pênalti duvidoso marcado para o rival paulista

Caio Júnior se desculpa com torcida da Chapecoense por expulsão contra Palmeiras
Foto: Laion Espíndula / Divulgação

Na noite desta quinta-feira (04), na Arena Condá, a Chapecoense poderia ter somado três pontos com merecimento em cima do Palmeiras, após ter aberto o placar ainda no primeiro tempo. Porém, o cenário foi outro. O time paulista chegou ao empate aos 39 minutos da etapa final, com um pênalti duvidoso marcado pelo árbitro. 

Diante da polêmica da penalidade máxima, o técnico Caio Júnior se exaltou e acabou sendo expulso de campo. Após o confronto, o comandante verde e branco pediu desculpas pela postura, mas criticou fortemente a arbitragem de Wilton Pereira Sampaio.

"O jogo foi bem competitivo. O Palmeiras tem a característica de marcar individualmente. Foi uma partida muito boa. Lamento minha expulsão. Não é do meu feitio. Acho um absurdo ser expulso, mas não tem como. A gente fica revoltado com isso. No Brasil falta seriedade. Aqui no clube sobra seriedade. Teve pênalti contra o São Paulo, o lance do Josimar, que não foi pênalti, e eles deram. Hoje não houve nenhum toque do Gil no Cleiton Xavier. Acho que pênalti tem que ser claro. Tem que ser um pênalti muito claro. E ali era para cartão amarelo, por simulação. Temos que estar unidos até o fim", comentou Caio. 

Questionado sobre a expulsão, Caio afirmou que foi o nervosismo do momento: "A gente tem que controlar isso. Lamento a expulsão, porque invadi o campo. Mas compromete o trabalho. Não pode dar um pênalti em uma situação clara de simulação. Ele toca na sua própria perna e cai no jogo". 

Ainda sobre o lance de penalidade, para o técnico da Chapecoense, o peso da camisa do Palmeiras foi decisivo: "Já tive ao lado de clubes com camisa mais forte. O peso para o árbitro é grande. Acho que é hora do auxiliar ajudar. Estamos no caminho certo. Tem muita coisa importante pela frente". 

O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, também demonstrou indignação pela arbitragem brasileira, e motivou o plantel a visar o próximo compromisso com seriedade: "Ninguém tem sangue de barata. Os caras vêm aqui, roubando da Chapecoense em casa. A gente fica triste e lamenta tudo isso. Vamos aguardar, levantar a cabeça. Tem um jogo difícil contra o Atlético-MG". 

O próximo compromisso da Chapecoense pelo Campeonato Brasileiro é na segunda-feira (08), diante do Atlético-MG, à partir das 20h.