Chapecoense vence clássico local e deixa Figueirense perto do rebaixamento

Kempes marca três minutos após sair do banco e Chape, com um jogador a mais desde os 26 do primeiro tempo, praticamente rebaixa rival à Série B

Chapecoense vence clássico local e deixa Figueirense perto do rebaixamento
Foto: Giba Pace Thomaz/Chapecoense
Chapecoense
1 0
Figueirense
Chapecoense: Danilo; Caramelo, Thiego, Filipe Machado, Dener; Josimar, Gil (Hyoran, min. 36/1ºt), Cleber Santana; Ananias (Lucas Gomes, min. 22/2ºt), Tiaguinho (Kempes, min. 27/2ºt), Bruno Rangel. Técnico: Caio Júnior
Figueirense: Gatito Fernández; Ayrton, Marquinhos, Werley, Marquinhos Pedroso; Josa, Jackson Caucaia, Ferrugem (Renato, min. 24/2ºt), Bady (Rafael Silva, min. 32/2ºt); Lins (Éverton Santos, min. 32/2ºt), Rafael Moura. Técnico: Marquinhos Santos
Placar: 1-0, min. 31/2ºt, Kempes
ÁRBITRO: Wagner do Nascimento Magalhães, auxiliado por Rodrigo Henrique Correa e Luiz Claudio Regazone, todos do RJ. Amarelos: Josimar (CHA); Marquinhos Pedroso, Bady, Rafael Silva (FIG). Vermelho: Marquinhos Pedroso (FIG)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, na Arena Condá, em Chapecó, SC. Público: 9.075 torcedores; Renda: R$ 101.120,00

Em uma partida rodeada de rivalidade, a Chapecoense bateu o Figueirense por 1 a 0, se livrou matematicamente do rebaixamento e deixou o rival muito perto do retorno à Série B. Kempes, aos 31 do segundo tempo, marcou o único gol do jogo. Com 46 pontos, a Chape ocupa a 10ª colocação. Já o Figueira para em 33, no 18º lugar, seis pontos atrás do Vitória, primeiro time fora do Z-4, a apenas quatro rodadas do fim do Campeonato Brasileiro.

As equipes agora só entram em campo após a data Fifa. A Chapecoense visita o Botafogo, no dia 16 de novembro, às 19h30, na Arena Botafogo. No mesmo dia, mas às 21h45, o Figueirense recebe o Corinthians.

Figueirense equilibra partida mesmo com um a menos

Apesar da distância dos times na tabela, o Figueirense, mesmo jogando fora de casa, tomou a iniciativa do jogo, até pela necessidade de vitória. Até pelo desgaste da Chapecoense, o Figueira conseguiu afastar o ataque rival de sua área e criar algumas oportunidades.

Aos 11, Rafael Moura recebeu pela esquerda e cruzou para a área. Ferrugem apareceu na segunda trave e bateu forte, mandando com perigo à esquerda. O jogo teve um capítulo importante aos 26. Marquinhos Pedroso derrubou Ananias com um carrinho na intermediária de defesa do Figueira, tomou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Diferente do esperado, o Figueirense não se retraiu e manteve o equilíbrio na partida. Aos 28, Ayrton cruzou da lado direito e Rafael Moura cabeceou na pequena área, mas em cima de Danilo. Aos 36, o técnico Caio Júnior perdeu o volante Gil por problemas musculares e colocou o meia-atacante Hyoran, tentando melhorar a produção ofensiva da Chape.

Aos 38, Ferrugem recebeu de Lins nas costas da defesa e bateu cruzado, mas Danilo deu um tapa e Thiego afastou o rebote. Na sequência, em contra-ataque da Chape, Hyoran saiu de frente para o gol, mas Gatito fez a defesa em dois tempos. 

Já perto dos acréscimos, a Chapecoense teve ótima chance para sair na frente. Hyoran avançou pela esquerda e cruzou fechado para Tiaguinho, que finalizou de canhota, mas mandou, com desvio, por cima do gol e a partida na Arena Condá foi para o intervalo no 0 a 0.

Chapecoense domina e complica rival

Logo aos 4, Rafael Moura recebeu dentro da área após ótima jogada de Bady, mas perdeu o ângulo e, quando finalizou, já estava abafado por Danilo, que mandou para escanteio. Esse início deu a entender que o Figueira poderia manter o nível do primeiro tempo, mas não foi o que seu viu na Arena Condá. A Chapecoense terminou com 22 a 10 em finalizações e 57% de posse de bola, pressionando durante toda a segunda etapa.

Aos 6, Hyoran recebeu na entrada da área, ajeitou para o pé esquerdo e bateu forte, mandando no travessão de Gatito. O camisa 10 da Chape sempre foi perigoso e teve várias chances para marcar. Aos 12, Caramelo cruzou da direita e Hyoran desviou de cabeça na direção do gol, mas Ayrton aparecer para cortar a trajetória da bola. Dois minutos depois, Dener levantou do lado esquerdo e encontrou Hyoran livre na pequena área, mas o meia cabeceou para fora e perdeu grande chance para abrir o placar.

E não parou por aí. Aos 21, Hyoran recebeu de Tiaguinho na entrada da área e chutou rasteiro no canto direito, mas Gatito mandou para escanteio. Dois minutos depois, o camisa 10 arriscou da entrada da área e novamente parou no goleiro do Figueirense. Enquanto a Chape pressionava, o Figueira não tinha mais as mesmas forças do primeiro tempo e, mesmo precisando da vitória, não chegava nem perto do gol rival.

Aos 25, Lucas Gomes roubou a bola de Bruno Alves na intermediária, avançou pela direita e bateu cruzado, mandando muito perto da trave direita. Já aos 31, finalmente a Chape conseguiu seu gol. Após cruzamento de Dener, Lucas Gomes bateu para o meio da área, Gatito deu um tapa e a bola bateu na trave. No rebote, Kempes, que havia entrado a poucos minutos, dominou na pequena área e, com muitos defensores à sua frente, bateu de canhota e a bola passou por todo mundo para morrer nas redes, abrindo o placar em Chapecó.

O técnico Marquinhos Santos, do Figueirense, logo após o gol, colocou Rafael Silva e Éverton Santos nas vagas de Bady e Lins, mas nenhum efeito positivo aconteceu no time. Aos 39, nova chance da Chape. Cleber Santana cruzou para a área e Bruno Rangel desviou, com perigo à direita do gol. Sem encontrar resistência, a Chapecoense garantiu a vitória para garantir sua permanência na Série A e, de quebra, deixou o rival muito perto da Série B de 2017.