Retorno aos gramados: Alan Ruschel volta a ser relacionado após acidente

Após oito meses de recuperação, lateral sobrevivente de tragédia volta a campo para cumprir promessa

Retorno aos gramados: Alan Ruschel volta a ser relacionado após acidente
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Tradicionalmente, o Barcelona promove um amistoso de início de temporada para apresentar o seu elenco à torcida. O Troféu Joan Gamper, portanto, é disputado entre o clube catalão e um time estrangeiro. Em solidaridade à maior tragédia envolvendo um time de futebol, o clube convidado este ano foi a Chapecoense. A partida acontece na tarde desta segunda-feira (7), às 15h30 (de Brasília), no Camp Nou, na Espanha.

O jogo marca a volta de Alan Ruschel aos gramados. O jogador foi um dos seis sobreviventes do trágico acidente com o avião que transportava o time da Chapecoense para Medellín, onde seria realizada a final da Copa Sul-Americana entre o Verdão do Oeste e Atlético Nacional (COL). Entre jogadores, comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação, 71 pessoas foram vitimadas.

Foram oito meses de recuperação física e psicológica para Alan, enfim, ter condições de reestrear. O jogador, que fizera uma promessa na primeira coletiva de imprensa após o acidente, entra em campo nesta segunda para cumpri-la. Conheça a história de Alan Ruschel na Chapecoense. 

Antes do acidente, Ruschel já falava em retomar carreira na Chape

Em 2013, Alan Ruschel chegou a Chapecó como um dos reforços do time catarinense para a Série B do Campeonato Brasileiro. Promissor, o lateral-esquerdo até fez um gol em sua estreia. No entanto, devido ao uso de uma substância proibida (diurético), o lateral foi pego no exame anti-doping, recebeu uma suspensão de seis meses e acabou rescindindo o contrato com a Chapecoense.

(Foto: Divulgação/Chapecoense)
(Foto: Divulgação/Chapecoense)

Apesar do tempo sem jogar bola, o jogador recebeu uma proposta do Internacional no final daquele ano e assinou contrato. Pouco aproveitado no time gaúcho, Ruschel foi emprestado ao Atlético-PR, onde teve uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo.

O jogador não conseguiu se firmar no time colorado após a recuperação, e se viu novamente envolvido em uma negociação. Com propostas de Atlético-PR, onde fez apenas dois jogos, e Chapecoense, clube que o projetou, Alan escolheu o verde da esperança, com o objetivo de “retomar a carreira”.

Milagre da vida: jogador sobrevive à tragédia

O objetivo do jogador foi concluído com sucesso. Alan fez parte do elenco que encantou o Brasil na Copa Sul-Americana 2016. O time catarinense conquistou a vaga na decisão de forma heroica, após dois empates com o San Lorenzo. Entretanto, a final da competição não chegou a ser realizada. O avião que transportava a deleção da Chape caiu próximo ao aeroporto de Medellín, sendo a maior tragédia envolvendo um time de futebol na história.

Em meio aos destroços, Alan Ruschel foi o primeiro a ser resgatado com vida. O lateral-esquerdo sofreu uma fratura em uma das vértebras, uma lesão no abdômen e outros pequenos ferimentos. O atleta revelou ainda que, a pedido de goleiro Jackson Follmann, outro sobrevivente, mudou de lugar dentro da aeronave. Se estivesse sentado nas últimas poltronas na hora do acidente, fatalmente não teria sobrevivido.

O jogador recebeu a notícia do desastre através de um psicólogo, ainda na Colômbia, e precisou de duas semanas para ter condições de voltar ao Brasil. Dentre os sobreviventes brasileiros, Alan foi o primeiro a receber alta. Emocionado, o atleta voltou à Arena Condá para conceder a premira entrevista coletiva 17 dias após o acidente. Ruschel prometeu seguir em frente para honrar os jogadores que se foram.  

Primeira entrevista após o acidente (Foto: Divulgação/ Chapecoense)
Primeira entrevista após o acidente (Foto: Divulgação/ Chapecoense)

“Não tem palavras para explicar o que estou sentindo. É uma mistura de sentimentos, uma alegria grande por poder estar aqui de novo, sentado aqui. Mas ao mesmo tempo é um luto por ter perdido muitos amigos. Como eu postei foto esse dia, falando que seguirei em frente, honrando os que foram morar com Deus. Honrarei seus familiares que aqui ficaram, que hoje estão sentindo a dor", disse, em lágrimas.

Em surpreendente recuperação, Ruschel volta aos gramados

A promessa de Ruschel não ficou apenas nas palavras. Mostrando uma enorme força de vontade, em janeiro, o jogador iniciou os trabalhos de fisioterapia, reforço muscular e treinos leves para tentar voltar a jogar. Um mês depois, em pleno o Carnaval, o atleta começou a treinar com bola. A expectativa dos médicos do clube era de que Ruschel voltasse às atividades normais em maio.

Dedicado, o lateral surpreendeu os médicos no processo de recuperação. Em março, Ruschel já se apresentava normalmente aos treinamentos comandados por Vagner Mancini na Chapecoense. Embora ainda não pudesse jogar, o atleta foi inscrito pelo clube catarinense na Copa Libertadores.

No final de maio, 207 dias após o acidente aéreo, Ruschel foi completamente liberado pelo departamento médico da Chapecoense para voltar a jogar. O retorno ao campo, porém, aconteceu em um jogo treino diante do Ypiranga-RS. Alan participou apenas de 40 minutos da atividade e atuou como meio-campista no empate em 1 a 1 com o time gaúcho.

 Após decisão conjunta do atleta, do departamento médico e departamento de futebol, o clube anunciou que a reestreia de Ruschel seria no amistoso contra o Barcelona, no Camp Nou. Oito meses depois, Alan voltou à sala de coletiva, desta vez para reafirmar a promessa feita em dezembro do ano passado.

 “Não vou estar jogando só por mim. Vou estar jogando pelos meus amigos que não estão mais aqui. Pelo meu parceiro Follmann, pelo Neto. Pela minha família, pelos meus amigos. E por todos aqueles que oraram por mim. Através de mim, muitas pessoas vão estar realizando um sonho”, declarou.