O pedido do treinador de base que mudou o destino de Lourency, ex-atacante da Chapecoense

Hoje no Vila Nova, jogador seria relacionado para aquela decisão na Colômbia, mas pedido do técnico do time sub-20 salvou a vida do atleta

O pedido do treinador de base que mudou o destino de Lourency, ex-atacante da Chapecoense
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

Naquele dia 29 de novembro de 2016, enquanto o elenco da Chapecoense se preparava para viajar à Colômbia visando ao primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, vários outros jogadores não foram relacionados para aquela primeira decisão. Entre eles, o atacante Lourency. Mas por pouco, o jogador acabou não sendo mais uma das vítimas do acidente aéreo que chocou o futebol e o mundo.

A carreira de Lourency e o pedido que mudou seu destino

Maranhense nascido na cidade de Imperatriz, Lourency começou jogando nas categorias de base do JV Lideral, passando também pelo Sábia e o Internacional de Porto Alegre. Até que chegou à Chapecoense em 2015, batalhando até subir ao time profissional no ano seguinte.

Na temporada de 2016, Lourency já começava a despontar como um jogador importante para a Chapecoense ao lado dos vários outros que vieram a falecer no acidente na Colômbia. O atacante passou a ser uma peça muito utilizada pelo treinador Caio Júnior em jogos do Campeonato Brasileiro e também daquela edição da Copa Sul-Americana.

No dia 4 de junho de 2016, Lourency marcou seu primeiro gol como profissional. Foi o tento da vitória da Chapecoense em cima do Fluminense, pelo Brasileirão, e aquele momento proporcionou a Lourency um espaço muito grande no elenco do clube, fazendo com que o jogador fosse relacionado para vários jogos subsequentes.

No dia da final da Sul-Americana, Lourency estava na lista de relacionados de Caio Júnior para viajar à Colômbia. Mas um pedido e uma mudança de última hora de um profissional da Chapecoense poupou a vida de Lourency, evitando com que ele deixasse o Brasil com o restante do elenco.

Na mesma época da final Sul-Americana, a equipe Sub-20 da Chapecoense estava se preparando para a decisão do Campeonato Catarinense da categoria, e Lourency, com seus 20 anos, ficou para a decisão estadual a pedido do treinador Sub-20 ao técnico Caio Júnior.

Ele mal imaginava no que ele havia escapado. Depois do ocorrido, vários parentes e amigos do jogador comemoravam o fato do atleta não ter sido relacionado para o confronto contra o Atlético Nacional.

A vida de Lourency um ano após a tragédia mais chocante do futebol

Lourency seguiu na Chapecoense mesmo após a tragédia e fez parte de toda a reformulação que o clube passou após a perda de vários atletas, comissão técnica e membros da diretoria. Mesmo com todas as dificuldades, o jogador fez parte do grupo que conquistou o título catarinense de 2017 com o técnico Vágner Mancini.

Apesar disso, o atacante começou a ter poucas chances durante o Campeonato Brasileiro. Sem espaço, foi emprestado para o Vila Nova, que lutava para conquistar uma das vagas para a elite do futebol brasileiro na Série B.

O jogador chegou ao Tigrão em um bom momento do clube, e participou de algumas partidas, mas o único gol que marcou com a camisa colorada foi anulado pela arbitragem por impedimento. Mesmo lutando, o Vila Nova não conseguiu o acesso para a Série A nesta temporada, e Lourency deve retornar à Chapecoense em 2018 ou ser emprestado a outro clube.

Caso fique na Chapecoense para a próxima temporada, ele terá a oportunidade de jogar mais uma vez uma Série A de Campeonato Brasileiro e mais uma, tão comentada e histórica, Copa Sul-Americana.