Chapecoense bate Bahia e continua sonhando com a Libertadores

Em jogo de homenagens, time catarinense praticamente acabou com o sonho do tricolor baiano de disputar a Libertadores

Chapecoense bate Bahia e continua sonhando com a Libertadores
Chapecoense garantiu mais três pontos na busca pela vaga na Libertadores (Foto: Marcelo Malaquias/EC Bahia)
Bahia
0 1
Chapecoense
Bahia: Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Renê Júnior (Hernane, aos 34’/2°T), Allione (Régis, aos 20’/2°T), Zé Rafael, Vinícius (Edson, no intervalo) e Mendoza; Edigar Junio.
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas, Douglas Grolli e Reinaldo; Amaral, Canteros, Elicarlos (Fabrício Bruno, aos 40’/2°T), João Pedro (Nadson, aos 31’/2°T) e Luiz Antonio (Moisés Ribeiro, aos 28’/2°T); Wellington Paulista.
Placar: Wellington Paulista (CHA) (44’/1°T)
ÁRBITRO: Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE). Auxiliares: Cleberson do Nascimento Leite (PE) e Marcelino Castro de Nazaré (PE).

Neste domingo (26), o Bahia recebeu a Chapecoense pela penúltima rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. E com mais uma derrota – a segunda seguida – o time baiano praticamente deu adeus à vaga na Libertadores da América.  O placar final foi 1 a 0 para o Verdão de Santa Catarina, com gol de Wellington Paulista.

Com a vitória o time catarinense continua sonhando com a disputa da competição continental pelo segundo ano consecutivo. Já o Bahia ainda sonha, mas para isso se tornar realidade é necessário que o Grêmio e o Flamengo conquistem os títulos da Libertadores e da Sul-Americana, para abrir duas novas vagas para a Libertadores de 2018, assim o time baiano ainda pode sonhar com sua terceira participação na competição. 

Domingo de homenagens

A tarde também foi de homenagens às vitimas do acidente na antiga Fonte Nova, que completou 10 anos no último sábado. Além disso, foi feita uma homenagem às 71 vítimas do acidente aéreo do voo da Chapecoense, que completará um ano no próximo dia 28.

Wellington Paulista bota a Chape na frente

O time baiano começou pressionando o adversário, apesar de derrotado na última rodada, o time do técnico Paulo César Carpegiani sabia que a vitória deixaria o time ainda mais perto do “sonho da Libertadores”. E foi abusando das jogadas de Zé Rafael e Eduardo, que o time da casa buscava assustar o goleiro Jandrei.

Já pelo lado da Chape, o time de Gilson Kleina usava os contra-ataques para assustar o goleiro Jean. Antes de sair o gol da Chape, Jean apareceu duas vezes fazendo defesas importantes. Mas aos 44 minutos, nem Jean conseguiu salvar. Canteros cruzou para Wellington Paulista, que só tocou para o fundo das redes, fazendo 1 a 0 para a Chapecoense.

Bahia perde o controle e sai derrotado

No segundo tempo, o Bahia teve a chance de mudar a história do jogo logo aos sete minutos, quando o árbitro marcou pênalti para o time da casa depois de um toque de mão do zagueiro Douglas Grolli dentro da área. Na cobrança, o atacante Edigar Júnio acertou a trave, para decepção dos torcedores que estavam na Arena Fonte Nova.

Com os minutos passando, o time da casa foi ficando nervoso e tendo cada vez menos chances de empatar. Quando o jogo já seguia para seu final, Zé Rafael fez uma falta forte aos 39 minutos e acabou recebendo o segundo cartão amarelo e deixando o time da casa com um a menos. Antes disso, Feijão que estava no banco de reserva também foi expulso pelo árbitro.

Com um jogador a mais, a Chapecoense soube administrar a partida e viu o goleiro Jean fazer boas defesas e garantir o placar mínimo na Arena Fonte Nova.