Yago é suspenso por 30 dias, mas poderá enfrentar Palmeiras no domingo

Zagueiro foi suspenso por 30 dias por uso de betametasona; a punição vai até quarta-feira (09); a suspensão valia desde o dia 9 de maio

Yago é
suspenso por 30 dias, mas poderá enfrentar Palmeiras no domingo
Foto: (Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

O zagueiro do Corinthians, Yago, foi julgado nesta segunda-feira (06), pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo após testar positivo no exame antidoping ainda pelo Campeonato Paulista. O empate no julgamento garantiu a pena mínima de 30 dias. O julgamento aconteceu na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), em São Paulo.

Na partida contra o Santos, na Villa Belmiro, a joia da base alvinegra testou positivo para betametasona. A substancia não é proibida, desde que não seja aplicada de forma intravenosa – diretamente na veia. O médico Joaquim Grava também estava presente no julgamento, ele se responsabilizou pela utilização da substancia presente no anti-inflamatório usado contra dores no joelho do jogador. E na sua opinião, Yago deveria ter sido absolvido.

"Aplicação intramuscular é proibida, intra-articular não. O que eu fiz era permitido e assumo a total responsabilidade pela aplicação no Yago", assumiu o Grava.

"A via foi correta, o medicamento correto. Na minha opinião, ele tinha que ser absolvido. Não houve doping", completou.

Joaquim Grava alegou que o uso da substancia foi citada na sumula da partida, dia em que o zagueiro testou positivo. Yago já perdeu 6 jogos desde que foi punido preventivamente no dia 9 de maio. O zagueiro não deixou de treinar durante esse período, mas sumiu dos holofotes. Yago estava apreensivo antes do julgamento e não deu entrevistas enquanto estava punido.

"Eu confio muito em Deus, mas não conhecia um tribunal, fiquei assustando, mas deu certo", disse o zagueiro na saída. 

"Volto com a cabeça mais forte, mais preparado pscicologicamente para enfrentar as coisas", encerrou o jogador.

O jogador chegou apresentar contraprova, mas de nada adiantou. O advogado especialista em doping, Tomás Matos de Paula, defendeu o atleta e pediu sua absolvição.

"Fiquei muito triste de ver esse jogador ficar 30 dias suspenso. Suspensão, nesse caso, era opcional. Esse atleta está punido há quase 30 dias derivado de algo permitido pela regra. Isso está muito bem provado. Hoje peço a absolvição desse atleta. Não é infração, não existe processo disciplinar nesse caso" afirmou o advogado.

Dr. Luíz Roberto e Dr. Leandro Silva votaram por uma suspensão de 180 dias. Já Dr. Rodnei Jericó e Dr. Samuel de Abreu discordaram e votaram pela permanência dos 30 dias. Com o empate, Yago cumprirá os 30 dias, que se encerram nesta quarta-feira (09). O atleta estará liberado para jogar contra o rival Palmeiras, no Allianz Parque.