Corinthians sai na frente, mas cede empate ao Cruzeiro no Pacaembu

Cruzeirenses ainda reclamaram um pênalti existente cometido pelo goleiro Cássio em cima do atacante Ramon Ábila.

Corinthians sai na frente, mas cede empate ao Cruzeiro no Pacaembu
Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro
Corinthians
1 1
Cruzeiro
Corinthians: Cássio, Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto (Guilherme); Romero (Marlone) e André. Técnico: Cristóvão Borges.
Cruzeiro: Lucas França; Lucas, Bruno Rodrigo, Manoel e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Willian), Robinho e Arrascaeta (Rafinha); Rafael Sobis e Ramón Ábila (Marcos Vinícius). Técnico: Mano Menezes.
Placar: 1-0, min. 1, Giovanni Augusto e 1-1, min. 65, Ramon Ábila.
ÁRBITRO: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA/Fifa).Auxiliares: Marcio Gleidson Correia Dias (PA/Asp.Fifa) e Helcio Araujo Neves (PA/CBF)
INCIDENCIAS: 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP). Público: 33.416 pagantes. Renda: R$1.326.456,00

O Corinthians até flertou com a vice-liderança durante vários minutos, mas acabou levando o gol de empate do Cruzeiro. Em partida disputada no Pacaembu, o confronto dos dois extremos da tabela terminou em 1 a 1, valendo pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

O gol inicial do Corinthians até demonstrava que a partida poderia ser favorável ao time paulista, mas o Cruzeiro demonstrou poder de reação forte o suficiente para fazer do Pacaembu seu mando de campo. Além disso, as atuações dos atletas celestes, como Rafael Sóbis e, principalmente, do centroavante Ramon Ábila, que novamente mostrou ter um faro de gol apuradíssimo, fizeram toda a diferença pelo lado mineiro.

Na próxima rodada, início do segundo turno, o Corinthians visita o Grêmio, na Arena do Grêmio, domingo (14), às 11hs. No mesmo dia, só que às 16h, o Cruzeiro recebe o Coritiba, no Estádio Independência. 

Corinthians surpreende com gol no início, mas Cruzeiro reage

O Cruzeiro entrou em campo com um desfalque de peso. O goleiro Fábio, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, não jogou e deu lugar ao jovem Lucas França. No entanto, o Corinthians iniciou o jogo em cima dos celestes e foi premiado com gol logo a um minuto. Giovanni Augusto aproveitou o rebote da zaga e arrematou para vazar a meta cruzeirense. 

No decorrer da partida, o Cruzeiro demonstrou não sentir o gol tomado nos instantes iniciais da partida, mantendo a tranquilidade e buscando o jogo ofensivo durante todo o tempo. Aos cinco minutos, Henrique, que retornou ao time após lesão testou o goleiro Cássio emn chute de longa distância. Logo em seguida, Ábila recebeu lançamento, passou pelo goleiro Cássio e foi tocado pelo camisa 12 do Corinthians. O árbitro deu sequencia ao jogo e amarelou o centroavante celeste, causando indignação por parte dos cruzeirenses.

Disputa de bola entre Cássio e Ábila mostra a penalidade não marcada pelo árbitro: Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Aos 17 minutos, O Cruzeiro perdeu Arrascaeta lesionado, promovendo a entrada de Rafinha. Mesmo com a mudança, o time celeste não mudou sua forma de jogar. Dentro de campo, os cruzeirenses eram melhores, tinham maior posse de bola, arrematavam seguidamente ao gol de Cássio. Foram seis finalizações mineiras contra quatro dos paulistas. Por outro lado, o Corinthians aparentava não saber como sair de tanta pressão. 

Cruzeiro mantém pressão e é premiado com gol de empate

A etapa final começou como terminou o primeiro tempo. O Cruzeiro mais agressivo e o Corinthians mais passivo dentro de campo. O domínio celeste era grande, aparentando que os cruzeirenses estavam jogando em Minas Gerais. Até os 15 minutos, os celestes haviam finalizado quatro vezes enquanto os corintianos levaram perigo apenas uma. 

Sentindo que o empate era uma questão de tempo, o técnico Mano Menezes sacou Ariel Cabral e colocou Willian, deixando o Cruzeiro ainda mais ofensivo. Por sua vez, Cristóvão Borges tirou Giovanni Augusto e promoveu Guilherme. Aos 20 minutos, os celestes finalmente marcaram o gol de empate. Após cruzamento de Rafael Sóbis, Ábila mostrou que tem intimidade com as redes e bateu de primeira, estufando o barbante de Cássio. 

Após o gol, o Corinthians passou a ser mais agressivo, tornando a partida ainda mais aberta. O Cruzeiro passou a agredir menos, mas sem deixar de ser incisivo como foi durante toda a partida. Aos 33 minutos, Marlone entrou em lugar de Ángel Romero. A entrada do meia agradou, mas a saída de Romero arrancou gritos de "burro" em direção a Cristóvão Borges.

O Cruzeiro se mostrava ofensivo e acreditava que a vitória poderia sair. Se por um lado as tentativas eram interessantes, por outro deixa a defesa cruzeirense desprotegida. Pensando nisso, o técnico Mano Menezes tirou Ábila, cansado, e promoveu Marcos Vinícius. A alteração não mudou o panorama da partida. Em compensação, o último lance de perigo do jogo foi dos cruzeirenses. Willian dominou o lance e chutou a bola que bateu no travessão.