Vetado por Roberto de Andrade, Mano elimina Corinthians e dá volta por cima no Cruzeiro

Presidente do Timão teve oportunidade para contratar o treinador, que estava de saída da China, mas optou por Cristóvão Borges e enfatizou: "Mano Menezes não trabalha comigo"

Vetado por Roberto de Andrade, Mano elimina Corinthians e dá volta por cima no Cruzeiro
Mano possui contrato com o Cruzeiro até o fim de 2017 (Foto: Washington Alves/Light Press)

O mundo do futebol é muito pequeno. É uma caixinha de surpresas. No dia 15 de junho, quando o técnico Tite se despedia do Corinthians para assumir a seleção brasileira, o presidente do Timão, Roberto de Andrade, declarou que não havia um substituto para o cargo, mas vetou um único nome para assumir a função: Mano Menezes.

Nesta quarta-feira (19), o Cruzeiro, de Mano Menezes, eliminou o Corinthians na Copa do Brasil, por 4 a 2. O Timão está sendo comandado por Oswaldo de Oliveira, que fez sua segunda partida à frente da equipe. Oswaldo, no entanto, é o terceiro treinador do clube, desde que Tite saiu. Cristóvão Borges e Fábio Carille foram as outras duas apostas de Roberto.

Quando Roberto de Andrade concedeu entrevista para traçar o perfil do novo treinador, o nome de Mano Menezes ganhou força pela identificação que tinha com o Corinthians, após ter faturado a série B em 2008 e o Paulistão e a Copa do Brasil em 2009, além de ter colocado o Timão na Copa Libeertadores da América de 2015. No entanto, o presidente alvinegro foi enfático ao rejeitar o nome de Mano, que estava de saída do futebol chinês.

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

"O Mano Menezes não vem trabalhar comigo. Não gostaria. Não quero. Não tem o perfil de que gosto. Respeito o Mano, mas quero novidade, outras coisas", declarou o mandatário, que, na época, também rejeitou Fábio Carille, que veio a assumir o time após a demissão de Cristóvão Borges, em setembro: "Tudo pode. Não é a língua que vai definir. Vamos trazer por competência, não pela língua”, disse Andrade na época.

Se no Corinthians Mano era rejeitado, no Cruzeiro já era o contrário. Após tirar o time da incômoda zona de rebaixamento, em 2015, e quase classificar a Raposa para a Libertadores, o treinador aceitou oferta milionária do Shandong Luneng-CHN, onde ficou até junho, após ser demitido. Em Minas, o clube celeste enfrentava fase turbulenta, após apostar em Deivid e no português Paulo Bento, que deixou o clube em julho. Porta aberta para Mano, que retornou reverenciado pela torcida.

"Não tenha dúvida que pesou isso [o bom trabalho em 2015]. Também a maneira como eu fui tratado, o respeito, o carinho da torcida. Então, quando o Cruzeiro precisar, sempre vou dizer sim", disse o treinador, após retornar para o Cruzeiro.

No dia 19 de outubro de 2016, quatro meses e quatro dias após as declarações de Andrade, Mano Menezes aumentou a expectativa da torcida do Cruzeiro relação ao pentacampeonato da Copa do Brasil. E foi diante do Corinthians, presidido por: Roberto de Andrade.