Corinthians solta nota oficial em repúdio à revista policial após partida contra Flamengo

Diretoria se pronuncia afirmando seu repúdio e diz que ação da polícia carioca foi "covarde"

Corinthians solta nota oficial em repúdio à revista policial após partida contra Flamengo

O clássico das duas maiores torcidas do Brasil parece que ainda não acabou. Mesmo após o empate entre 2 a 2 na reabertura do Maracanã, a partida "ainda continuava" para a torcida corinthiana. Isso porque os torcedores não saíram do Maraca afim de uma enorme revista em busca dos culpados pela briga entre alvinegros e rubro-negros antes mesmo do começo da partida. O GEPE (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) foi acionado na confusão e alguns policiais ainda foram espancados por corinthianos. Antes da partida, cerca de cinco torcedores foram presos.

Após o jogo, já com flamenguistas retornando para suas casas, o tradicional protocolo de espera da torcida visitante teve um acréscimo e uma vistoria acirrada de policiais em busca dos briguentos. Todos os torcedores foram obrigados a tirar a camisa e mais de 40 corinthianos foram presos e encaminhados à delegacia.

Logo após a liberação dos torcedores, o Corinthians divulgou uma nota em repúdio à ação e definiu como atitude "covarde" e cobrou atitudes da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro e que novas ações como essa não se repitam.

Confira a nota na íntegra.

"O Sport Club Corinthians Paulista repudia a atitude covarde tomada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro após o jogo da tarde deste domingo (23) contra a equipe do Flamengo.

A fim de capturar 40 torcedores que supostamente se envolveram em briga com policiais, a PM aprisionou 3 mil torcedores do Corinthians no Estádio do Maracanã, fez com que todos eles tirassem a camisa e está liberando a saída de cinco em cinco pessoas.

É inaceitável que uma briga aconteça dentro do estádio entre alguns torcedores e a Polícia e a mesma não tenha capacidade de prender em flagrante os envolvidos, fazendo com que todos os outros corinthianos que lá estejam sejam agredidos como cidadãos.

A segurança dentro dos estádios já não está boa há muito tempo. Esta ação covarde e despreparada da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro é mais um triste episódio. A barbaridade cometida esta noite precisa ser avaliada pelas autoridades públicas competentes, a fim de que as pertinentes punições não se restrinjam aos torcedores envolvidos na briga.

O Corinthians exige uma atitude urgente do Secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro para punir o descalabro perpetrado esta tarde por policiais militares no estádio do Maracanã."