Apesar do empate, Oswaldo de Oliveira comemora boa atuação contra Figueirense

Treinador exalta bom desempenho defensivo e também reclama de jogadas ríspidas cometida pelo adversário

Apesar do empate, Oswaldo de Oliveira comemora boa atuação contra Figueirense
Corinthians tropeça fora mas ainda se mantém vivo na luta pelo G6. Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

O gosto amargo do empate sofrido contra o Figueirense nos minutos finais pela cabeça de Rafael Moura não desanimou o técnico Oswaldo de Oliveira na luta pelo G-6 que garante vaga na Copa Libertadores na temporada que vem. 

Dono da 7ª colocação, um ponto atrás do Atlético-PR que vai conquistando a vaga atualmente o empate conquistado fora e a derapada do Fluminense deixa tudo em aberto para o Corinthians no Brasileirão. Pelo menos é assim que pensa o comandante: "Nós temos ainda três jogos e uma situação palpável, que a gente pode conquistar essa classificação ainda", afirmou o treinador ainda sonhando com a América.

Apesar do resultado ter sido ruim pelas circunstâncias de jogo, Oswaldo gostou do futebol apresentado em campo durante os 90 minutos: É muito fácil a leitura. Equipe firme na defesa, mantendo domínio e posse de bola, controlando a vontade do Figueirense, que precisava da vitória e lutou o tempo todo. Os dois meninos da zaga (Pedro Henrique e Léo Santos) fizeram uma partida irrepreensível, controlando tudo, sem temer nada, de igual para igual. A equipe foi bem, equilibrada, infelizmente teve um lance fora de trajetória no final, analisou sobre o desempenho em Santa Catarina.

Para finalizar ele se queixou do excesso de faltas cometidas pelo rival ao longo do cotejo e também questionou um pênalti não assinalado: "Eles fizeram faltas o tempo todo, um pênalti no primeiro tempo. A falta do pênalti foi muito mais falta do que as outras que ele marcou no meio-campo."