A vida pós-2007: os caminhos que Corinthians e Internacional traçaram até hoje

Após os acontecimentos de 2007 quais foram os caminhos que Corinthians e Internacional traçaram? Os títulos, jogos marcantes e resultados

A vida pós-2007: os caminhos que Corinthians e Internacional traçaram até hoje
Foto: Getty Images/FotoArena

O começo da rivalidade interestadual entre Corinthians e Internacional começou em 4 de dezembro de 1945, quando a equipe alvinegra goleou o clube gaúcho por 4 a 1. A tensão nesse jogo começou aumentar ao longo dos anos e principalmente em 2005, por conta dos escândalos relacionados à Máfia do Apito no Campeonato Brasileiro, vencido pelo time paulista.

Com as polêmicas de 2005, as coisas continuaram a aumentar e o próximo ano de rivalidade foi 2007: o Timão brigava com o Goiás para escapar da queda rumo a Série B. O Inter chegou para enfrentar a equipe de Goiânia totalmente sem pretensão e para evitar a queda do Corinthians precisava de uma vitória. Já o Timão enfrentava o Grêmio no Olímpico. Qual foi o resultado? Empate corinthiano e derrota colorada, fazendo assim o clube paulista ser rebaixado e até hoje com suspeita de que a equipe do Sul teria facilitado as coisas para a queda.

Hoje, em 2016, a situação pode se inverter: o Corinthians é quem pode rebaixar o Internacional caso vença. Porém vamos voltar e ver o caminho que cada equipe traçou até hoje.

2008

CORINTHIANS: 2008 foi um ano de reconstrução para o clube. Tendo de jogar a amarga Série B do Campeonato Brasileiro, o time se reformou e contratou vários atletas que futuramente se tornariam ídolos da torcida corinthiana ou seriam protagonistas de títulos, como Elias, Cristian, Chicão, William e Alessandro. O time foi campeão com 25 vitórias e apenas 3 derrotas, voltando assim a elite do futebol. Chegou a final da Copa do Brasil, onde foi vice-campeão, mesmo vencendo a primeira partida por 3 a 1, no jogo da volta o time perdeu por 2 a 0 e não levantou a taça.

INTERNACIONAL: A equipe colorada foi campeã da Copa Sul-Americana em 2008, vencendo o Estudiantes, por 1 a 0 no primeiro jogo, e empatando em 1 a 1 na segunda partida, tendo Nilmar e Alex como principais artilheiros. Já pelo campeonato nacional, ficou na sexta colocação, com 54 pontos.

2009

Em 2009 os times voltaram a se encontrar em mais uma decisão: a Copa do Brasil. As equipes fizeram seu caminho rumo à final do campeonato. No primeiro jogo, o Corinthians venceu a equipe colorada por 2 a 0, com gols de Jorge Henrique e Ronaldo, em São Paulo. Na volta, o jogo ficou empatado em 2 a 2, com gols de Jorge Henrique e André Santos pelo Timão e Alecsandro duas vezes pelo Inter. O confronto teve seus momentos tensos, como brigas e discussões. Desde 2005 as partidas entre ambos ficaram com uma tensão maior.

CORINTHIANS: No Brasileirão o time ficou na décima colocação; pelo Paulista o time foi campeão invicto (13 vitórias e 10 empates); Com o tri-campeonato da Copa do Brasil, o alvinegro garantiu vaga para a sonhada Copa Libertadores da América.

INTERNACIONAL: A equipe do Beira-Rio ficou na segunda colocação tanto na Copa do Brasil como no Campeonato Brasileiro, que foi vencido pelo Flamengo. O time também garantiu uma vaga para a Libertadores.

2010

CORINTHIANS: Em 2010 o clube passou em branco, ficando sem títulos: terceiro colocado no Brasileiro, indo para a Libertadores em 2011; foi eliminado nas oitavas de final da Libertadores pelo Flamengo; no estadual o time não avançou para a próxima fase da competição. Um detalhe importante foi a chegada de Tite, que futuramente se tornaria um ídolo do clube.

INTERNACIONAL: o time gaúcho conseguiu o seu bicampeonato da Libertadores da América tendo vencido o Chivas Guadalajara com placar agregado de 5 a 3 (1º jogo: 2 a 1; 2º jogo: 3 a 2). No campeonato nacional o time ocupou a sétima posição, mas novamente foi a competição sul-americana graças ao título vencido no ano; acabou sendo eliminado na fase preliminar do Mundial de Clubes pelo Mazembe, por 2 a 0.

2011

CORINTHIANS: Esse foi o ano em que o time acabou sofrendo com um imprevisto que até hoje preocupa o torcedor quando a equipe joga a pré-Libertadores: a eliminação diante do Tolima. O primeiro jogo, em casa, foi marcado com um empate, e com isso, a tensão para a segunda partida era grande. O jogo da volta aconteceu e uma derrota por 2 a 0, tirando assim a chance do título mais importante que a equipe buscava por tanto tempo; no Paulista o time chegou a final e ficou em segundo lugar.

O questionamento também foi pelo atual treinador, Tite, que muitos pediram para o mesmo sair, porém o atual presidente Andrés Sanchez o manteve no cargo e futuramente o resultado apareceu: a equipe foi campeã do Nacional, conquistando o pentacampeonato e garantindo vaga para a Libertadores 2012.

INTERNACIONAL: Já o time gaúcho levou dois títulos para casa: a Recopa Sul-Americana, quando venceu o Independiente, pelo agregado de 4 a 3 (1º jogo: 2 a 1 para o clube argentino; 2º jogo: 3 a 1 para o time brasileiro). Foi a segunda conquista colorada na competição;

O outro título foi o campeonato gaúcho (trigésimo nono título), quando venceu o rival Grêmio nos pênaltis por 5 a 4.

2012

CORINTHIANS: 2012 foi o ano que nenhum corinthiano se esquece. O ano em que a tão sonhada Libertadores foi conquistada de forma invicta e no fim do ano o bicampeonato mundial de clubes, também invicto, sob o comando do técnico Tite; pelo Brasileiro o time ocupou a sexta colocação

INTERNACIONAL: O Fluminense eliminou o Internacional na Libertadores, por 2 a 1 no jogo da volta; pelo nacional ocupou a décima colocação e o único título do ano foi mais um campeonato gaúcho (41º título) frente ao Caxias.

2013:

CORINTHIANS: as conquistas não pararam. O clube ganhou a Recopa Sul-Americana derrotando o rival São Paulo por 2 a 1 fora de casa e depois por 2 a 0 em casa, garantindo o 1º título. Ganhou também o Paulista frente ao outro rival, o Santos, conquistando seu vigésimo sétimo título e sangrando-se o maior campeão Paulista

INTERNACIONAL: a hegemonia no campeonato gaúcho continuou com mais um título no estadual, o quadragésimo segundo tento no campeonato. Pelo Brasileiro o time ficou com o 13º lugar

2014:

Para ambas as equipes o ano foi um tanto quanto em branco. O Timão não conquistou nenhum dos três campeonatos que disputou (Paulista, Brasileiro e Copa do Brasil). O Inter conquistou uma boa posição no Brasileirão e o único título foi mais um gauchão, o de número 43 da equipe.

Mais um confronto histórico aconteceu. Foi contra o Internacional que o Timão conseguiu a primeira vitória em sua Arena, de virada, logo após o Mundial no Brasil.

2015:

O time paulista foi a glória novamente conquistando o hexacampeonato brasileiro sob o comando de Tite, que em 2014 deixou o comando do clube, e agora retornou. Disputaram Libertadores, Paulista e Copa do Brasil e em todas não obteve sucesso. Já a equipe do sul do país ficou na quinta colocação, disputou a Libertadores e chegou a semi-final, sendo eliminado pelo Tigres do México.

Novamente tivemos dois jogos bem interessantes pelo Brasileiro. No turno, na Arena, o Corinthians virou pra cima do rival. A resposta foi no returno, em partida marcada pelo drible lindo de Paulão em Edílson, começando a virada.

2016:

CORINTHIANS: o atual ano corinthiano tem sido de pesadelos. Um desmanche quase que completo da equipe campeã no ano anterior, eliminações no Paulista, na Libertadores e na Copa do Brasil, além da falta de bons resultados para a equipe que ainda luta por uma vaga da maior competição das Américas. Atualmente o time ocupa a sétima posição.

INTERNACIONAL: Um começo de ano que não se iguala ao atual momento. Com mais um campeonato gaúcho conquistado e uma liderança provisória, o torcedor colorado começou a confiar em um possível título. Porém com o passar das rodadas o clube foi caindo de produção, derrotas atrás de derrotas, uma grande série delas e hoje a equipe briga para não cair. Faltando duas rodadas para o término, o time corre risco da queda para a Série B, lugar de onde o time nunca foi.

Ao todo, Corinthians e Internacional, se enfrentaram por 65 jogos, com 24 vitórias do Corinthians, 17 do Internacional e 24 empates. Nesta segunda-feira mais um capítulo será escrito e possivelmente com um desfecho ruim para um dos lados.