Corinthians quebra sina, vence Assoeva e está na final da Liga Nacional de Futsal

Após seis anos batendo na trave, alvinegro consegue vencer equipe de Venâncio Aires e fará final inédita pela primeira vez na história

Corinthians quebra sina, vence Assoeva e está na final da Liga Nacional de Futsal
Foto: Yuri Gomes/Divulgação
Corinthians
5 2
Assoeva

Sai, zica! Após seis anos chegando nas semifinais e sendo eliminado de forma dramática em todas, o Corinthians finalmente conseguiu quebrar a sina. Na noite dessa sexta-feira, o Ginásio Wlamir Marques recebeu a Fiel e lotação máxima para empurrar o alvinegro mais uma vez rumo à decisão. E se não for sofrido, não seria Corinthians. Após empate no primeiro jogo, o duelo contra a Assoeva marcaria o primeiro finalista da Liga Nacional de Futsal. O placar foi de 5 a 2, mas não diz o que foi o duelo. 

Apertado do começo ao fim, com enorme equilíbrio, a força da Fiel e a juventude aliada com a experiência, o Corinthians exorcizou o fantasma da eliminação, muitas delas em casa, e agora espera o rival que sai do duelo entre Sorocaba x Marechal Rondon. O jogo da ida deu Marechal e apenas um empate basta para o time chegar a mais uma final.

Equilíbrio e medo

Seis anos apostando em medalhões na linha e na comissão técnica. Pra essa temporada, o Corinthians preferiu diminuir os custos, apostar na base e ter André Bié no banco para comandar o time. Comandado por Deives, o alvinegro começou se impondo e marcava forte, na pressão e sem deixar o rival respirar. Essa ação surpreendeu a Assoeva, que não conseguia sair jogando e era facilmente dominado no Parque São Jorge.

A velocidade aliada ao talento fez o Corinthians já ter a vantagem das faltas. A marcação de Venâncio Aires afroxou e permitiu descidas corinthianas perigosas. Numa delas, Leandro Caires conseguiu furar o bloqueio rival e abriu o placar. Mas pouco depois, o time do Sul chegou ao empate e assim seguiu até o final, com os dois times perdendo boas chances de gol. No finalzinho da primeira etapa, Foglia teve boa chance num chute direto, mas parou no goleiro rival. O drama atormentava o torcedor corinthiano.

Chuva de gols e emoção no final

A volta do intervalo decidiria de vez qual seria a realidade dos dois times. Menos intenso, mas mais inteligente, os dois times trabalharam mais taticamente e o jgo caiu de produção. Nas arquibancas, a Fiel dava show novamente e empurrava o time, mesmo com um pé atrás do passado recente.

Até o momento que o experiente Vander Carioca recebe no pivô, girou, bateu e mandou na travel. O rebote voltou com o próprio, que mandou no gol vazio, explodindo o Parque São Jorge.

A tranquilidade ficou maior, quando um contra-ataque mortal puxado por Leandro Lino, terminou com Rocha finalizando na rede. O Timão tinha 3-1 e pouco mais de cinco minutos para carimbar a vaga.

Só que o corinthiano tem sofrimento no DNA. Thiaguinho marcou um golaço de letra e colocou mais emoção no jogo, mas era o dia do Corinthians acabar com a sina. O veterano Índio recebeu na direita, encheu o pé cruzado e praticamente selou a classificação. Já com goleiro-linha e muita raça de Leandro Caires, o quinto gol matou a partida. 

Após o apito final, muita emoção no ginásio corinthiano. Após perdeu seu filho recentemente, Guitta, goleiro alvinegro, teve seu nome gritado pela Fiel e muitos se emocionaram. As lágrimas de emoção, de desabafo e alívio tomaram conta da Fiel, que terá mais uma guerra pela frente, agora, valendo a taça final.