Especial Derby: Em 2011, Alessandro marca, Tite ganha fôlego e inicia campanha histórica

Após trauma da eliminação na pré-Libertadores, Corinthians venceu líder do Paulistão 2011, Palmeiras; a vitória deu sobrevida a Tite

Especial Derby: Em 2011, Alessandro marca, Tite ganha fôlego e inicia campanha histórica
Foto: Keiny Andrade / Getty Images
Palmeiras
0 1
Corinthians
Palmeiras: Marcos, Cicinho, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Rivaldo (Max Santos); Márcio Araújo, Marcos Assunção, Tinga (Adriano Michael Jackson) e Luan; Dinei (Patrik) e Kleber. TÉCNICO: Luiz Felipe Scolari.
Corinthians: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos (Marcelo Oliveira); Ralf, Jucilei, Ramírez (Morais) e Danilo; Jorge Henrique e Edno (Willian). TÉCNICO: Tite.
Placar: 0-1, min. 37, Alessandro.
ÁRBITRO: Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado. Auxiliares: Rafael Ferreira da Silva e Maiza Teles Paiva
INCIDENCIAS: Local: Pacaembu, em São Paulo. Público: 23.714 pagantes. Data 06/02/2012.

O clássico entre Corinthians e Palmeiras é o de maior rivalidade no Estado de São Paulo e um dos maiores do mundo. A história mostra que o time em melhor fase nem sempre vence. O derby é conhecido como "acaba e gera crises". No Paulistão de 2011 não foi diferente: o Corinthians, após eliminação para o Tolima, enfrentou o líder do estadual que vinha de cinco vitórias consecutivas, o rival Palmeiras no Pacaembu e venceu por a 1 a 0.

A temporada de 2011 começou com uma grande expectativa no Corinthians. Com jogadores como Ronaldo Fenômeno e Roberto Carlos o Timão tinha a sua frente o primeiro obstáculo: pré-Libertadores contra o desconhecido Tolima da Colombia. A eliminação vexatória causou a revolta da torcida alvinegra, que recebeu o onibus do time a pauladas e pedradas no CT Joaquim Grava. O episódio acabou por encerrar a carreira de Ronaldo, que anunciou a aposentadoria dias depois. 

Na ocasião, o técnico era Tite, que mesmo protagonizando uma das mais dolorosas derrotas do clube e a cinco jogos sem vencer, foi bancado pelo então presidente do Corinthians Andrés Sanchez. Um clássico contra o Palmeiras, numa situação tão adversa é o que deu sobrevida ao comandante do Timão. O Verdão vinha de cinco vitórias consecutivas no Paulistão e era líder isolado. A partida foi disputada no Pacaembu com mando do Palmeiras. 

Provocação e festa corinthiana

Nas arquibancadas, camisas do Tolima e mosaico "HaHaHa" ironizando a desclassificação na Libertadores. Em campo, o time comandado por Felipe Luis Scolari, Felipão, dominou a partida e viu Julio Cesar brilhar e fechar a meta do Corinthians. O goleiro fazia milagres debaixo das traves alvinegras, mas também viu Marcos brilhar do outro lado, principalmente quando Jucilei saiu cara-a-cara e parou no pé esquerdo do santo alviverde.

A partida era muito tensa e amarrada. As bolas paradas do Palmeiras faziam enorme estrago e o Timão se sustentava do jeito que o momento deixava. A pressão pra cima dos corinthianos quase fazia a bola queimar no pé. Mas nesse clássico, só o apito final decide.

Reta final de partida. Hora de aparecer o craque, o diferencial. Só que quem apareceu foi um coadjuvante, típico daquela geração que Tite montou no Timão, sem craques, mas com muitos voluntários. O gol da vitória saiu dos pés de Alessandro, ex-lateral direito, hoje gerente de futebol do Corinthians.

Após trama com Moraes, o capitão do Corinthians apareceu livre pela direita da grande área. Marcos saiu, mas o capitão foi firme, deu um tapa cruzado e fez a pequena, mas festiva, massa da Fiel no Pacaembu fazer a festa. Na comemoração, Alessandro empurrou as placas de publicidade bem na frente da torcida palmeirense, e acabou motivando uma confusão dentro de campo. 

A vitória no clássico deu moral e confiança ao time do Corinthians que chegou a final do Paulistão daquele ano, vencendo o mesmo Palmeiras nos pênaltis na semifinal, mas caindo diante o Santos de Neymar na Villa, na grande final. O clássico foi uma faísca para acender a chama do time que viria a ser penta campeão brasileiro de 2011, fazendo a última partida, contra o mesmo Palmeiras, no mesmo Pacaembu em dezembro. 

Nesta quarta-feira mais um capítulo dessa grande história será escrito, desta vez com o Corinthians numa boa fase impressionante, líder isolado do Brasileirão e há 26 jogos sem derrotas. Contra um Palmeiras recheados de estrelas e de um altíssimo investimento na temporada. A segunda partida do Derby Centenário será no Allianz Parque, às 21h45.

Sport Club Corinthians Paulista