Carille admite que time 'entrou na pilha' após catimba do Racing: "A gente perdeu a cabeça"

Treinador ainda indicou que entendeu arbitragem da partida como tendenciosa

Carille admite que time 'entrou na pilha' após catimba do Racing: "A gente perdeu a cabeça"
(Foto: Agência Corinthians)

Não deu para o Corinthians na Copa Sul Americana 2017. Em partida de volta, fora de casa, válida pelas oitavas de final da competição, o Racing-ARG segurou o empate em 0 a 0 e avançou na competição, deixando o time brasileiro pelo caminho. Rodriguinho e , foram expulsos e deixaram o campo mais cedo.

Após o jogo, Fábio Carille, técnico do Corinthians, admitiu que o time acabou caindo na catimba dos argentinos e perdeu a cabeça.

“Entramos um pouquinho na pilha, sim. Trabalhar no banco ali era ruim para tentar acalmar, eu não conseguia passar as informações. A gente perdeu um pouco a cabeça, sim. É um aprendizado de jogo catimbado para esse grupo. Nem no Chile (contra La U, na primeira fase) foi assim, foi um jogo tranquilo. Temos de ter a cabeça tranquila e boa para esses momentos”, declarou Carille.

Carille também se mostrou surpreso ao ver o Racing jogando atrás da linha da bola. Mesmo em casa, a equipe argentina optou por se defender. Ainda lamentando o placar da partida em São Paulo, o treinador também sentiu falta de finalizações da sua equipe:

“Num confronto de 180 minutos, tivemos a chance de matar em casa, de fazer mais ou até de vir aqui com 1 a 0, em vantagem. Eles não se preocuparam em jogar, o Cássio não fez uma defesa. Sabemos que jogar aqui é sempre pressão. Queríamos encontrar o Rodriguinho mais perto do Jô, ele chega mais na área, a busca era por isso, mas infelizmente não deu tempo”, avaliou o treinador.

Os jogadores do Corinthians saíram de campo reclamando da arbitragem da partida. Os atletas falaram que Leodan González, árbitro da partida, não seguiu um critério nas faltas mais duras e cobraram cartões para os jogadores do Racing. Ainda sem analisar as imagens, Fábio Carille também falou sobre a situação:

“Achei que o árbitro foi tendencioso, deixou de fazer coisas para um lado e deu para outro. Minha opinião no calor do jogo, depois verei as imagens. Jogo muito pegado, conseguimos rodar bem a bola, mas tinha de ser mais agressivo se quisesse a vitória”, analisou.