Fim do jejum, 40 anos: Ponte Preta, recorde e adiamento do grande sonho por alguns dias

Vivendo em uma fila de 23 anos, Timão teve a chance de quebrar jejum em tarde de recorde, mas Ponte adiou sonho

Fim do jejum, 40 anos: Ponte Preta, recorde e adiamento do grande sonho por alguns dias
Foto: Editoria de Arte/VAVEL Brasil

O ano de 1977 foi marcado como um ano histórico para o Corinthians e seu fiel torcedor. Isso se deve ao término de um longo jejum de vinte e três anos sem conquistar um título de algum campeonato. O último vencido foi em 1954 quando bateu o grande rival, o Palmeiras. O ano de 77 virou uma das marcas das conquistas do time, que não teve vida fácil até a conquista do sonhado título.

O Campeonato Paulista da época possuía regulamentos diferentes do estadual de hoje. Disputado em três fases, o Corinthians se garantiu na final pelo grande título na terceira fase, ficando na primeira colocação do grupo, sendo dois grupos participantes, e a Ponte Preta como líder do outro. Assim houve a final, que era disputada em dois jogos, no mínimo, e caso nenhum dos dois finalistas atinja uma marca de quatro pontos em dois jogos, haveria uma terceira decisão, que é o caso desse confronto.

Na primeira partida, no dia 5 de outubro de 1977, sob a arbitragem de Dúlcidio Wanderley Boschilia, o Corinthians venceu por 1 a 0, com gol do atacante Palhinha. A partida foi realizada no estádio Cícero Pompeu de Toledo, popularmente conhecido como Morumbi, para um total de 65.806 pagantes.

Faltavam apenas noventa minutos para soltar o grito entalado de “É campeão” para o clube do Parque São Jorge. O nervosismo fazia parte de cada torcedor e para aqueles que acompanharam tiveram de aguentar o sofrimento por mais algum tempo. No segundo jogo, no dia 9 de outubro, realizado também no Morumbi, a Ponte Preta venceu por 2 a 1 e adiou o tão sonhado título para a terceira partida, já que ambos os times não alcançaram a meta dita anteriormente de quatro pontos para o título (Ponte Preta e Corinthians ficaram com três pontos cada em dois jogos). Os gols foram marcados por Vaguinho, pelo Timão, Dicá e Rui Rei pela Macaca. O árbitro do confronto foi Romualdo Arppi Filho.

Vale notar que nesse confronto estabeleceu-se um recorde de público que bem improvável ser batido: 146.083 pessoas, sendo 138.032 pagantes. É um recorde mantido até os dias de hoje e nem mesmo o clube dono do estádio, o São Paulo Futebol Clube conseguiu alcançar.

O grito de campeão viria dias depois, novamente no Morumbi e novamente com enorme tensão. Mas a hora, os dias pareciam não passar. O torcedor parecia viver sob a angústia e as decepções recentes, tanto que o público da grande final foi abaixo do recorde. 

E por falar em recorde, a casa do São Paulo tem grandes feitos do Timão. A equipe alvinegra lidera os recordes de maior público, maior número de títulos e até mesmo maior número de vitória sobre o São Paulo, dono do Morumbi. O feito permanece impressionante e não tão perto de mudar.

Sport Club Corinthians Paulista