Com gols polêmicos, Corinthians vence derby contra Palmeiras e volta a disparar no Brasileirão

Timão venceu por 3 a 2 na Arena Corinthians e voltou a ter seis pontos de vantagem na liderança da Série A

Com gols polêmicos, Corinthians vence derby contra Palmeiras e volta a disparar no Brasileirão
Romero tirou "selfie" após marcar o primeiro gol do jogo (Foto: Getty Images)
Corinthians
3 2
Palmeiras
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana; Gabriel (Maycon), Camacho (Fellipe Bastos), Rodriguinho; Angel Romero, Clayson (Jadson) e Jô | Técnico Fábio Carille
Palmeiras: Fernando Prass; Mayke, Mina, Edu Dracena, Egídio; Bruno Henrique (Guerra), Tchê Tchê (Deyverson), Moisés; Keno (Roger Guedes), Dudu e Borja | Técnico Alberto Valentim
Placar: 1-0, Angel Romero (27' 1T) >> 2-0, Balbuena (29' 1T) >> 2-1, Mina (34' 1T) >> 3-1, Jô (37' 1T) >> 3-2, Moisés (22' 2T)
ÁRBITRO: Anderson Daronco, auxiliado por Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior >>> Cartões Amarelos: Angel Romero, Cássio, Fagner, Gabriel, Jadson e Maycon; Bruno Henrique, Dudu, Edu Dracena, Egídio e Tchê Tchê | Cartões Vermelhos: Deyverson
INCIDENCIAS: Partida válida pela 32° rodada da Série A do Campeonato Brasileiro

Faltam palavras para descrever o jogo entre Corinthians e Palmeiras  na tarde deste domingo (5). Com imposição, recorde de público em Itaquera e vontade de campeão, o Timão venceu por 3 a 2, com gols de Romero, Balbuena e Jô. Quem descontou para o Alviverde foi Mina e Moisés.

Agora, o Alvinegro volta a ter seis pontos de vantagem na liderança do Brasileirão, com 62. Já o Verdão fica agora na quarta colocação, com 54 pontos ganhos e perdendo para o Grêmio no saldo de gols.

O próximo compromisso do time de Fábio Carille é contra o Atlético Paranaense (11°), na Arena da Baixada, em Curitiba. Já o Palmeiras encara o Vitória (19°) no Barradão, em Salvador. Ambas as partidas são na quarta-feira (08), às 21h e 21h45, respectivamente.

Jogo aberto e chuva de gols em dez minutos

Com a Arena Corinthians pulsando, a partida começou no mesmo ritmo, com o Palmeiras tomando a iniciativa nos primeiros minutos, e já finalizando duas vezes logo nos primeiros dois, em cabeçada de Mina que passou à direita do gol e em chute de Borja, que girou em cima da marcação e arrematou por cima, agitando o jogo.

Passado o susto inicial, o Timão foi para o ataque, demonstrando uma atitude diferente dos últimos jogos, onde esteve apático. Jô tentou o chute a seis minutos, mas o grande lance veio logo após, em bela batida de Rodriguinho, que tabelou com Jô após bobeada da zaga palmeirense e viu Fernando Prass esticar-se todo para defender bonito no canto direito.

Mostrando-se mais ativo e veloz com a ausência de Jadson, o time de Fábio Carille estava bem melhor no jogo e conseguia marcar bem o Verdão, que buscava concentrar seus ataques apenas pelo lado direito, com Dudu

Em um dos lances de ataque, Dudu foi desarmado e a bola chegou até Clayson, que fintou dois marcadores e inverteu o jogo até Fágner. O lateral disparou uma pancada do bico da área e novamente Fernando Prass defendeu.

Mas se o Corinthians chegava no contra ataque, o Palmeiras também. Na sequência do lance ofensivo, o Alvinegro viu-se em situação de perigo quando Bruno Henrique puxou o lance e deixou para Keno, que acionou Borja e viu o colombiano bater de canhota, na rede pelo lado de fora.

A partir dos próximos minutos, a partida que antes era corrida e só tinha quatro faltas marcadas, começou a parar mais. Com ambos os times tentando jogar muito pelos flancos, a marcação foi mais intensa e Anderson Daronco teve de apitar mais.

Mesmo assim, o Timão ainda era melhor no jogo, e abriu o placar aos 27', quando Guilherme Arana achou Rodriguinho no meio da zaga palmeirense. O meia cruzou rasteiro para o meio da área e Angel Romero, em posição irregular, abriu o placar.

O gol incendiou o estádio, que nos próximos minutos viveria grandes emoções. Logo após o gol, o time da casa recuperou rapidamente a posse de bola e Rodriguinho arrancou contra três zagueiros. O meia achou um lindo passe para , que saiu cara-a-cara com Fernando Prass e bateu em cima do arqueiro Alviverde.

Na cobrança de escanteio, Clayson bateu no segundo poste e viu Edu Dracena furar na bola. Balbuena, que vinha correndo, desviou para o gol e fez a felicidade do Bando de Loucos.

Sentindo a necessidade de voltar para o jogo, o Palmeiras tratou de jogar com toda sua vontade e máximo ímpeto nos minutos seguintes. A pressão resultou em escanteio, que na cobrança chegou em Borja, na segunda trave. Ele tentou bater, mas foi travado pela defesa.

Pressionando muito por cinco minutos, o time de Alberto Valentim foi guerreiro e em novo escanteio, Dudu cruzou e viu o zagueiro Mina vencer dois corintianos e cabecear no canto esquerdo de Cássio para diminuir o marcador.

Se o gol poderia dar uma "segurada" no ímpeto do Corinthians, ele teve exatamente o efeito contrário. Pouco após o tento, Jô já estava novamente na área palmeirense, e, com a bola, foi derrubado por Edu Dracena. Pênalti que o artilheiro bateu no canto que Fernando Prass mandou, marcando assim o terceiro gol do Timão na partida.

Tentando responder, o Palmeiras pressionou pelos minutos seguintes, mas não obteve resultado. A defesa do time da casa se segurou e Anderson Daronco apitou aos 46' o final da primeira etapa.

Moisés desconta e Corinthians sai vencedor

Voltando para o segundo tempo após uma discussão entre jogadores de ambas as equipes no vestiário, o clima não poderia estar mais pesado. Em comparação ao primeiro tempo, os minutos iniciais do segundo realmente davam a impressão de que seria um jogo menos corrido.

As duas primeiras chances foram de Balbuena para o Corinthians e de Bruno Henrique para o Verdão. Na primeira, o zagueiro paraguaio desviou para fora o cruzamento de Clayson. Logo em seguida, o volante palmeirense arriscou de fora da área e mandou à direita do gol de Cássio.

Colocando Roger Guedes no lugar de Keno e avançando toda sua marcação, o técnico Alberto Valentim tentou encurralar o time da casa, que nos minutos seguintes viu uma quantidade imensa de cruzamentos para sua área.

E num desses "chuveirinhos", aos 22', a defesa do Timão acabou batendo a bola para trás, e Moisés girou batendo de primeira, no ar e marcando um lindo gol para descontar o placar no clássico.

Assim como no primeiro tempo, o gol sofrido não abateu o Alvinegro, que na saída de bola já quase marcou o quarto tento. Arana apareceu na área do Palmeiras e tentou passe para . A defesa cortou e a bola sobrou para Romero, que chutou mascado e forçou Prass a fazer a defesa.

A partida, que antes era corrida, aos 34' do segundo tempo já era de menos de 45% de tempo de bola rolando. Eram muitas faltas no meio de campo, e o Alviverde agora pressionava para tentar o empate, colocando Deyverson no lugar de Tchê Tchê para abrir o time.

Tentando segurar o resultado, o Corinthians começou a fazer faltas, ficando assim com seis cartões amarelos na partida. Os cruzamentos do Verdão eram incessantes, e a cada minuto que passava, o Bando de Loucos explodia nas arquibancadas. Clima de decisão.

Na pressão e após diversos lances de cartões, cruzamentos e faltas, como se podia resumir o fim do jogo, Anderson Daronco deu mais cinco minutos de acréscimo, elevando os nervos do Palmeiras. Em uma dividida entre Deyverson Fellipe Bastos no minuto final, o atacante do Alviverde deixou o braço na cara do adversário e acabou expulso. 

Diante do lance, o árbitro deu um minuto a mais de partida, mas de nada adiantou. Cássio segurou o último cruzamento da partida e garantiu os três pontos para o Corinthians, que acordou e mostrou porque é o líder do campeonato.