Retrospectiva VAVEL: os 10 melhores jogos do Corinthians em 2017

Vitórias em clássicos, fora de casa, domínio internacional.... O Corinthians não só carimbou dois títulos, mas mostrou ótimos jogos em 2017

Retrospectiva VAVEL: os 10 melhores jogos do Corinthians em 2017
Corinthians-17: os dez melhores jogos na temporada

O torcedor corinthiano sorri de orelha a orelha. De desacreditado ao título do Paulistão e do Brasileiro, a Fiel torcida aprendeu a confiar em Fabio Carille e seus jogadores. A equipe bem organizada, e forte na defesa, superou adversários melhores na tabela e no gramado, com um estilo de jogo bem próprio e já conhecedor da torcida.

Até pelas glórias conquistadas no ano, não poderia faltar o Top-10 de jogos corinthianos no ano de 2017. A lista é especial, tendo vitórias contra Palmeiras, São Paulo, duelos memoráveis contra grandes camisas no Brasil, e ainda triunfo fora de casa. Confira abaixo.

1º: Corinthians 3 x 2 Palmeiras (05/11/17)

O jogo que definiu o hepta. O Corinthians entrava com a pressão de ver a vantagem de quase 20 pontos, ser apenas de cinco. Uma derrota para o embalado Palmeiras colocaria o arquirrival de vez na briga pelo título e poderia fazer ainda mais estragos na vida corinthiana no final da temporada.

No entanto, o Timão foi empurrado pela torcida, que colocou quase 35 mil pessoas no treino anterior, e mais de 46 mil no dia do jogo. A Fiel fez sua parte e foi recompensada. O alvinegro dominou o jogo, amassou o Palmeiras e abriu 3 a 1 ainda no primeiro tempo.

Nem o gol palmeirense na segunda etapa mudou o rumo do jogo e o Timão colocou uma mão na taça após a grande partida feita.

2º: Corinthians 1 x 0 Palmeiras (22/02/17)

Não foi uma atuação de encher os olhos pela qualidade técnica, mas o Corinthians mostrou a raça, o suor e toda a tradição que lhe é dada após superar um absurdo erro da arbitragem ainda no primeiro tempo, quando expulsou o volante Gabriel.

O Palmeiras vinha embalado, começo da temporada e time já mais encaixado. O Timão seguia como incógnita e precisava vencer para provar que tinha algo a dar. E o que se viu no primeiro Dérby do ano centenário, foi duas equipes entregues e se doando ao máximo.

No entanto, a disposição, a entrega e a vontade alvinegra falou mais alto. Nos minutos finais, Jô tocou livre na saída de Prass e carimbou a vitória corinthiana contra o maior rival, com um a menos. A Fiel era uma festa que impressionava e essa vitória mudou de vez o ano de 2017, tanto para o lado alviverde - que terminou como grande decepção - quanto para o Corinthians, vitorioso em todos os clássicos no ano.

3º: Ponte Preta 0 x 3 Corinthians (30/04/17)

A primeira partida da final do Paulistão. A Ponte chegou até ali após massacrar o Palmeiras na semifinal, enquanto o Timão passou pelo São Paulo em dois Majestosos.

A Ponte parecia com a maior chance de conquistar um título de sua história. O Corinthians não tinha tanta consistência e enfrentaria toda a pressão do Moisés Lucarelli. Só que o Timão se manteve frio, calculista e não tomou conhecimento do rival.

Se 40 anos antes o Corinthians batia a Ponte para quebrar o jejum de 23 anos, em 2017 a história se repetiu. E foi definida ainda em Campinas, quando Rodriguinho gastou a bola, decidiu o confronto e praticamente deu o 28º título paulista. 3 a 0 sem choro e nem vela.

4º: Vasco 2 x 5 Corinthians (07/06/17)

Não um primor técnico, mas fazer cinco gols no Vasco em pleno São Januário, é um feito e tanto. Era apenas a quinta rodada do campeonato e o Corinthians assumiria ali a liderança, para nunca mais perder.

O Timão tomou um sufoco danado no primeiro tempo, mas foi ao intervalo com 2 a 0 na frente, em dois ataques mortais. Só que a vantagem construída logo foi ao chão em poucos segundos da etapa final, onde Luis Fabiano empatou em duas bolas cruzadas.

O que parecia um vexame, se tornou vitória maiúscula. Maycon recolocou o Timão e Clayton marcou dois para fechar o caixão carioca e deixar o time paulista na liderança pela primeira vez.

5º: Universidad de Chile 1 x 2 Corinthians (10/05/17)

Com a vantagem após vitória por 2 a 0 em Itaquera, o Timão chegava à Santiago com certa tranquilidade. A boa fase era esperança, mas a Universidad de Chile era um time de qualidade e contava com o Estádio Nacional lotado.

A pressão não intimidou o Timão, que conseguiu atacar, envolver o time chileno e dominar as ações. Até que Rodriguinho fez lindo lance individual, bateu cruzado de esquerda e praticamente matou o duelo.

Ainda coube a Jadson marcar mais um, para carimbar a atuação gigantesca com vitória enorme na capital chilena. Um dos melhores jogos tecnicamente desse ano.

6º: Palmeiras 0 x 2 Corinthians (12/07/17)

O gigantismo do Dérby se faz presente na lista. Em 2017 foram três confrontos, onde o Corinthians venceu todos e dominou o ano que marcou o centenário do encontrou entre alvinegros e alviverdes.

No primeiro turno do Brasileiro, o Allianz recebia um enorme público e a expectativa de um Palmeiras quebrando a invencibilidade corinthiana. Até ali, o Timão tinha mais dez pontos à frente do rival, além de estar invicto no turno.

Em campo, um Palestra pressionante, mas sem organização e afobado, nervoso. Já o Corinthians foi o que sempre foi. Frio, calculista e mortal, logo calou a casa rival ao ter Jadson marcando em batida de pênalti, cavada por Guilherme Arana, grande personagem do jogo.

Personagem porque foi dele o pênalti sofrido e o gol que matou de ve o rival. Romero lançou, Arana recebeu, bateu cruzado de canhota e desempatou o histórico de vitórias nas novas arenas paulistas.

7º: Grêmio 0 x 1 Corinthians (25/06/17)

A primeira final do campeonato. Na décima rodada, o duelo entre líder invicto contra vice com futebol mais vistoso. A Arena Grêmio recebia o maior público do ano para o que se desenhava um jogão.

E realmente foi. O Grêmio partiu ao ataque, mas viu um Corinthians corajoso, sem ficar retraído em seu campo. Paulo Roberto, questionado volante, surpreendeu e criou o melhor lance na primeira etapa.

Mas foi no segundo tempo que as coisas esquentaram. Primeiro porque Paulo Roberto novamente apareceu, passou para Jadson, que bateu de canhota e furou Marcelo Grohe. Dali em diante, a pressão gremista aumentou, com direito a pênalti defendido por Cássio contra Luan, já nos instantes finais.

8º: São Paulo 0 x 2 Corinthians (16/04/17)

Semifinal do Paulistão. O Tricolor enchia o Morumbi com torcida única para furar a forte defesa corinthiana. O time de Ceni entrava como favorito e tentava abrir vantagem. Em campo, um ofensivo time da casa contra um visitante frio e calculista.

E o Timão contou com a enorme fase de Rodriguinho para sair com enorme vantagem. Na primeira etapa, a decisão do confronto. Rodriguinho recebeu pelo meio, viu e enfiou na medida para Jô, que entrou livre pelo meio da zaga, bateu firme de esquerda e calou o estádio.

O mesmo Rodriguinho, pouco depois, recebeu pelo meio, armou o chute de direita e mandou ver. A bola nem foi tão forte, mas foi bem colocada, no cantinho, indefensável.

Dali em diante, o Timão foi aquilo que sempre fez. Cozinhou o jogo, sofreu pouco, obrigou o rival a cruzar bolas na área e instaurou a crise no Morumbi.

9º: Corinthians 3 x 1 Fluminense (15/11/17)

O jogo do hepta. A festa e o palco estavam armados, mas ninguém pareceu ter combinado com o Fluminense. Isso porque, já nos primeiros segundos de jogo, o time carioca marcou após escanteio batido.

E o Timão, que não tinha virado nenhum jogo no torneio, precisou correr atrás do prejuízo. E não fez bom primeiro tempo. A equipe sofreu na armação, parecia nervoso e cedia contra-ataques ao rival. Até que o intervalo veio e a situação mudou de vez.

Jadson entrou para a segunda etapa e comandou o rolo-compressor alvinegro. Em menos de cinco minutos, Jô virou o jogo em dois lances de centroavante e tranquilizou a Fiel. O Corinthians seguiu amassando, dominando o rival e mostrando quem seria o campeão de 2017. Já no final, Jadson bateu cruzado, fechou o caixão do jogo e o Brasileiro e começou a festa do hepta.

10º: Corinthians 3 x 1 Sport (05/08/17)

O fim do primeiro turno histórico do Corinthians chegou ao fim com uma atuação mágica. O Timão enfrentava o emergente Sport, que tentava uma Libertadores com Luxemburgo. E o alvinegro nem tomou conhecimento.

Já no começo, um bombardeio corinthiano, parando em Magrão. Mas Arana abriu o placar após batida cruzada de fora da área. O domínio seguiu alto, mas o placar só foi ampliado na segunda etapa, quando Pedro Henrique marcou de cabeça e coroada com uma pintura de Rodriguinho, mandando um balaço de canhota na gaveta de Magrão. Era a coroação do melhor primeiro turno da história.