Coritiba inicia preparação para clássico diante do Atlético-PR com treinos em período integral

Sandro Forner aproveitou para testar formações, além de integrar jogadores da base Coxa Branca

Coritiba inicia preparação para clássico diante do Atlético-PR com treinos em período integral
(Foto: Divulgação / Coritiba)

No último domingo (28), o Coritiba conseguiu alcançar sua primeira vitória no Campeonato Paranaense 2018, após ter empatado nas duas rodadas anteriores. A vitória foi essencial, já que agora o Coxa tem um difícil confronto no clássico contra o Atlético-PR. Por isso, o descanso dado durou apenas um dia, com o time voltando a treinar com o grupo completo nesta terça-feira (30).

Pensando no Atletiba, o técnico Sandro Forner decidiu trabalhar em dois períodos. No primeiro, foi feita a recuperação física dos jogadores que atuaram contra o União-PR, já no segundo, realizou trabalho tático, priorizando posicionamento de ataque contra defesa, trocando bastante a formação, para poder testar os jogadores que estarão disponíveis para o clássico.

Sandro também aproveitou esse trabalho no CT Bayard Osna para realizar a integração de três atletas que se destacaram pelo clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior, competição em que a equipe alviverde foi eliminada na terceira fase pelo campeão Flamengo. São eles o zagueiro Henrique Vermudt, o lateral esquerdo Vinicius Araujo e o meia Matheus Bueno.

Autor do gol que deu a vitória ao Coritiba na última rodada, o atacante Alecsandro concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (30), enfatizando a importância do primeiro triunfo na temporada não só para ele, como para o grupo, que é formado por muitos jogadores jovens. Além disso, ele falou mais sobre um fator muito importante no que tange ao extra-campo ao jogo do próximo domingo (4).

"A gente sabe que o clássico acaba naquela expectativa do torcedor das duas equipes, de todo mundo envolvido. Antes de querer algum resultado, o maior é fora de campo. Que os nossos torcedores e os do adversário, não briguem na rua, que a gente não tenha cenas lamentáveis que a gente viu em outros clássicos. Poderia ser realmente um clássico da paz", afirmou Alecsandro.