Roberto Cavalo celebra virada do Criciúma, porém reitera: "Tomamos gols bobos"

Contando com triunfo, Criciúma continua 100% em seus domínios

Roberto Cavalo celebra virada do Criciúma, porém reitera: "Tomamos gols bobos"
Cavalo celebra virada do Criciúma na etapa complementar (Foto:Divulgação/Criciúma)

Criciúma e Bahia, na noite desta terça-feira(14), protagonizaram um verdadeiro espetáculo no Heribelto Hülse. Um jogo verdadeiramente digno de duas equipes que buscam seu lugar no G-4 e que, apesar de um primeiro tempo sem graça, no segundo tempo correram atrás do prejuíso e conseguiram fazer uma partida eletrizante, com direito até a falhas, pênalti defendido, expulsão, carrinho no goleiro e virada.

Com o término da partida, o técnico Roberto Cavalo comemorou a entrega de seus comandados que, após sairem perdendo, na segunda etapa souberam se impor e virar o placar pra cima do tricolor. Porém ressaltou que alguns erros, principalmente nos gols sofridos, podiam ser evitados.

"Encontramos um adversário forte, um Bahia bem postado, um bom adversário. Conversamos muito. Jogamos bem no primeiro tempo. Teve bola na trave, uma boa disputa de bola. Mas a maneira que a gente tomou gol me preocupou de novo. Tomamos gols bobos. Deixamos o Hernane fazer a jogada que originou o gol e isso nos deixa preocupados", destacou o treinador. 

Segundo o mesmo, o erro cometido por Elvis na penalidade máxima não influiu nada em sua substituição, pois a troca já era prevista até mesmo antes da jogada, visando um péssimo momento do jogador. Para Cavalo, o nome da vez para arriscar era Gustavo, porém quando foi dar o recado, o mesmo já estava fora de campo.

"Não foi pelo pênalti. A gente ia fazer a troca antes, para colocar o João Afonso. O Elvis não estava num bom momento na hora do jogo. É normal cobrar o atleta, mas nos treinamentos eles têm batido muito bem esses pênaltis. Elvis se sentiu confiante e como é o batedor oficial foi lá e cobrou. Se der pênalti, a gente vai ter que analisar o momento do atleta. Na minha opinião, era o Gustavo para definir. Mas quando mandei o recado, o Gustavo estava fora de campo", esclareceu.

Contando com mais essa vitória em seus domínios, o Criciúma segue 100% no Brasileirão Série B. E, segundo o treinador, a vitória só veio graças a garra e a força depositada por seus torcedores que, de certa maneira, empurraram a equipe e, fizeram com que o Criciúma se reerguesse, corresse atrás e acreditasse na virada.

"Há muito tempo sem perder aqui dentro. Pega um Bahia que faz 1 a 0, depois de 2 a 1, e vence na garra, na raça, é isso que a torcida quer. Isso faz o atleta não desistir. A torcida apoiando é muito importante, empurra o time. É doído não vencer fora, mas uma hora vai chegar."

O tigre volta a campo no próximo sábado(18), diante do Tupi-MG, às 16h, novamente no Heribelto Hülse.