Brasil de Pelotas tira invencibilidade de Winck em Criciúma e se distancia do Z-4

Xavante conquista importante vitória jogando em Criciúma e se afasta da zona de rebaixamento na Série B; Tigre perde primeira com técnico Winck no Heriberto Hülse

Brasil de Pelotas tira invencibilidade de Winck em Criciúma e se distancia do Z-4
Foto: Caio Marcelo / E.C. Criciuma
Criciuma
1 2
Brasil de Pelotas
Criciuma: Luiz; Diogo Mateus, Nino, Edson Borges e Márcio Goiano; Jonatan Lima, Ricardinho, Douglas Moreira, Caio Rangel e Silvinho; Lucão
Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol; Sciola, Teco, Camilo e Breno; Leandro Leite, João Afonso, Itaqui, Marcinho e Juninho; Lincom.

Cirúrgico. Assim foi o Brasil de Pelotas para conquistar importante vitória na Série B do Campeonato Brasileiro. O Xavante pelotense foi a Criciúma e derrotou os locais pelo marcador de 2 a 1. Lincom, voltando de lesão, e Eder Sciola, antes tão contestado pela torcida, balançaram as redes. O desconto do Tigre catarinense veio em gol contra do zagueiro Teco. O Xavante avança na tabela e agora soma 24 pontos. O Criciúma está um pouco acima, com 26.

Na próxima rodada, a abertura do returno marca o jogo entre Brasil de Pelotas e Guarani, no estádio Bento Freitas. Enquanto isso, o Tigre do técnico Luis Carlos Winck, técnico que perdeu a invencibilidade em casa, enfrenta o Santa Cruz, no estádio do Arruda, em Recife. Ambos os jogos começam às 19h15 da próxima terça-feira.

Brasil aproveita ataques e se defende para resultado positivo

O Criciúma tomou a proposta de atacar no jogo. Criou algumas chances no primeiro tempo, dando trabalho aos defensores e ao goleiro Marcelo Pitol. Na melhor das oportunidades, uma falta à frente da área gerava uma grande formação de barreira. Silvinho cobrou com categoria, Pitol desistiu de ir na bola e viu ela chocar-se contra a trave, aos 21 minutos de partida.

Aos 25 minutos, Caio Rangel recebeu passe de Lucão, chutou cruzado, mas mandou para fora. A blitz era dos catarinenses. Escanteio cobrado aos 28', o Xavante afastou na primeira bola, mas Lucão arriscou na sobra obrigando Pitol a defender firme. No minuto seguinte, outra bomba disparada pelo Tigre. Breno afastou mal e Ricardinho matou no peito para finalizar forte e Pitol espalmar para evitar a abertura do marcador.

Tanto insistia os locais que o Brasil foi quem aproveitou. E foi com estilo. O atacante Lincom, voltando de lesão para atuar com Clemer pela primeira vez, arriscou de fora da área, perna esquerda e alcançou o ângulo da meta: 1 a 0 ao Xavante.

O gol aos 31 minutos chamava ainda mais o Criciúma em busca de seu tento. Lucão trabalhava bem com Caio Rangel nas armações catarinenses. Porém, outra bola na trave no final da etapa foi disparada por Silvinho, o mesmo que havia acertado a moldura em cobrança de falta. Com duas bolas na trave e nenhuma na rede, o Tigre foi para o intervalo precisando reagir.

Xavante amplia, Teco tem lance infeliz, mas vitória é confirmada

Logo no começo da etapa complementar, o Brasil aproveitou ótima investida. Marcinho, um dos mais lúcidos do time nesta Série B, passou por marcadores e passou a bola para Eder Sciola entrar livre na direita. Dentro da área, o lateral tirou do alcance do goleiro Luiz e colocou no placar: 2 a 0.

A troca de Winck havia sido Erick Flores na partida no lugar de Jonathan. Em seguida ao gol, colocou Fabinho Alves na vaga do atacante Caio Rangel. Sem muito perigo criado, o gol de desconto foi contra. Cruzamento da esquerda e infelicidade do zagueiro Teco. O defensor tentou cortar e acertou um chute bizarro para trás, traindo o goleiro Pitol: 2 a 1.

Apesar do que poderia ser uma reação dos locais, o Brasil soube administrar o resultado. Segurou-se na defesa com raras investidas e procurava não dar espaços para finalizações do Tigre. Ganhando tempo sempre que possível, o jogo caminhou ao final. Numa escapada, Sciola tentou retribuir a assistência a Marcinho, mas o meia-atacante cabeceou para fora, já na marca de 44 minutos. Com tempo para mais nada, o Xavante confirmou a vitória e o Tigre perdeu a invencibilidade em casa sob o comando de Luiz Carlos Winck.


Share on Facebook