Delamore cita 'lado emocional' na classificação sofrida do Cruzeiro e quer manter esquema tático

Mesmo sem saber se continuará no comando interino do time diante do Londrina, pela Copa do Brasil, treinador acredita que equipe pode desenvolver no 4-2-3-1

Delamore cita 'lado emocional' na classificação sofrida do Cruzeiro e quer manter esquema tático
Geraldo Delamore afirmou que atuação do Cruzeiro não convenceu (Foto: Washington Alves/Light Press)

Foi dificil, mas o Cruzeiro avançou na Copa do Brasil, batendo o Campinense, por 3 a 2, nesta quinta-feira (5), no Mineirão. Sem um treinador fixo, a Raposa foi comandada pelo interino Geraldo Delamore, que justificou a dificuldade sofrida pelo clube celeste, por causa do momento de transição que os jogadores enfrentam.

"Esses jogos [contra equipes menores] trazem um componente emocional muito forte. Aliado a isso, tem o fato de estarmos em um momento de transição do clube. O componente emocional pesou muito neste jogo. No final do primeiro tempo, poderia ter ficado um pouco mais com a bola, para não ceder tantos contra-ataques. Acho que foi um jogo em que o emocional pesou muito”, declarou o técnico.

Agora, o Cruzeiro pensa na segunda fase da Copa do Brasil, pois, na terça-feira (10), enfrenta o Londrina, no estádio do Café, localizado no norte do Paraná. Perguntado se comandaria a Raposa na ocasião, Delamore deixou a decisão nas mãos da diretoria. No entanto, o treinador interino se colocou à disposição do clube para comandar o time novamente.

“Só tenho condições de pensar no próximo jogo se a direção entender que serei o técnico. Sou funcionário do Cruzeiro. Aquilo que é melhor para o Cruzeiro, é melhor para mim. Estou muito bem. Sigo a determinação da direção de acordo com a preferência dela”, disse Delamore.

A indefinição tem um motivo: o término dos Estaduais neste fim de semana, data na qual a diretoria espera anunciar o novo técnico. Caso permanença no comando da equipe, Geraldo Delamore pretende repetir o esquema tático que utilizou na vitória desta quinta, usando os meias mais abertos, tendo a oportunidade de liberar os laterais. O interino, inclusive, sugeriu ao futuro treinador a adotar o estilo de jogo, deixando claro que poderá haver alterações, se o novo profissional desejar.

"Houve vários ajustes táticos durante o Campeonato Mineiro. Agora, voltei para o 4-2-3-1. Existe sim espaço para aprimorar a evolução da equipe nesse sistema. Mas tudo isso passa pelo desenrolar da temporada. De repente, o novo treinador contratado pelo Cruzeiro pode optar por outro esquema”, observou.