Cruzeiro vence Londrina sem dificuldades e avança à terceira fase da Copa do Brasil

Com gols de Bruno Rodrigo e Henrique, marcados na primeira etapa, Raposa consegue eliminar jogo da volta e agora aguarda o duelo entre Portuguesa e Vitória, visando a próxima etapa da competição

Cruzeiro vence Londrina sem dificuldades e avança à terceira fase da Copa do Brasil
Foto:Robson Vilela/Light Press/Cruzeiro
Londrina
0 2
Cruzeiro
Londrina: Marcelo Rangel; Igor Bosel, Silvio, Matheus e Paulinho; Bidía (Min. 00, Rafael Gava, 2ºT), Germano, Netinho e Zé Rafael (Min. 00, Jô, 2ºT); Paulinho Moccelin (Min. 21, Bruno Batata, 2ºT) e Itamar Técnico: Cláudio Tencati
Cruzeiro: Fábio; Lucas, Léo, Bruno Rodrigo e Sánchez Miño; Henrique, Lucas Romero, Elber (Min. 15, Douglas Coutinho, 2ºT), Pisano (Min. 25, Ariel Cabral, 2ºT) e Allano (Min. 32, Bruno Ramires, 2ºT); Willian Técnico: Geraldo Delamore
Placar: 1-0, Bruno Rodrigo, Min. 22, 1ºT; 2-0, Henrique, Min. 36, 1ºT
ÁRBITRO: Márcio Henrique de Góis, auxiliado por Márcia Bezerra Lopes Caetano e Alex Ang Ribeiro; Cartões amarelos: Germano, Jô, Sílvio e Matheus (Londrina); Sánchez Miño, Ariel Cabral e Lucas Romero (Cruzeiro)
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, disputada no Estádio do Café, nesta terça-feira (10), em Londrina/PR.

Nesta terça-feira (10), o Estádio do Café recebeu o duelo entre Londrina e Cruzeiro pela primeira partida da segunda fase da Copa do Brasil. O jogo teve um atraso de quase 20min, após o apagão de alguns refletores, devido ao estouro de um transformador do Estádio.

Ainda sem técnico e sob o comando do interino Geraldo Delamore, a equipe mineira construiu o placar que precisava para eliminar o jogo de volta. O triunfo de 2 a 0 esteve em concordância com o regulamento que prevê que, na segunda fase, vitórias dos visitantes por dois ou mais gols de diferença no primeiro jogo, inibem a realização do segundo duelo. Ao lado do Grêmio, o Cruzeiro é o maior vencedor da Copa do Brasil, com quatro títulos.

Após uma queda no último jogo contra o Campinense-PB, o uruguaio Arrascaeta sofreu uma concussão cerebral e deu lugar ao meia Matías Pisano, que foi muito bem na partida em Paraná. Dos pés dele, saiu a bola levantada na área para o cabeceio de Bruno Rodrigo aos 22min do primeiro tempo, abrindo o placar.

Este foi o último jogo em que o Cruzeiro usou o uniforme estampado pela marca Penalty, já que no sábado, contra o Coritiba, será a estreia do uniforme com a nova patrocinadora, Umbro. O lançamento do novo manto celeste será na quinta-feira (12), na Esplanada do Mineirão.

No próximo sábado (14), as duas equipes estreiam no Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro, pela Série A, enfrenta o Coritiba, às 21h, no Couto Pereira; e o Londrina recebe, no Estádio do Café, às 16h, o CRB, pela segunda divisão.

Resultado construído no primeiro tempo

Antes da partida começar, o Estádio do Café apresentou problemas com um dos transformadores, fazendo com que alguns refletores se apagassem. O conserto só aconteceu 20 minutos após o horário marcado para o começo da partida, 21h30.

A postura do time celeste dentro de campo foi diferenciada em relação as partidas anteriores. O meio-campo marcou melhor, as linhas em campo estavam mais adiantadas, o que ajudou aos cruzeirenses retomarem a posse de bola com mais eficiência e descer ao ataque com rapidez. O Londrina demonstrava uma burocraticidade quanto a sua postura dentro de campo.

O meio-campo criava muito pouco e era facilmente consumido pelo adversário, fazendo com que a bola não chegasse aos seus atacantes que não participaram da etapa inicial. Tanta pressão fez com que o Cruzeiro abrisse o placar aos 22 minutos. Pisano deu um passe excelente para Bruno Rodrigo cabecear a bola para as redes do goleiro Marcelo Rangel.

O gol não fez com que o Londrina acordasse, e muito menos o Cruzeiro reduzir sua vontade dentro de campo. Seguro em sua marcação e eficiente no ataque, contando com a velocidade de Elber, pela direita, e Allano, pela esquerda, chegou ao segundo gol sem demora. Henrique, que sempre se caracterizou por chutar bem de fora da área, voltou ao seus bons tempos com um lindo arremate da intermediária, marcando um belo gol. O tento anotado já era suficiente para eliminar a partida de volta, em Belo Horizonte.

Cruzeiro reduz ímpeto e Londrina cresce

O Londrina voltou à campo com duas mudanças. O técnico Cláudio Tencati tirou o meia Zé Rafael e colocou o atacante , e procedeu a saída do meia Bídia e a entrada de Rafael Gava. Com as mudanças, o treinador apostou na ofensividade para se recuperar dentro de campo. O Cruzeiro seguiu se mostrando seguro dentro de campo, mas sem o mesmo ímpeto da etapa inicial. Já o Londrina tentava apressar a partida, resultado em muitos erros de passe que irritavam os seus torcedores que foram a campo.

O técnico interino Geraldo Delamore colocou o atacante Douglas Coutinho e sacou Élber. O time celeste não baixava a marcação, dificultando o jogo do Londrina. Aos 21 minutos, o Cruzeiro teve boa oportunidade com Willian, mas errou batendo na bola por cima da trave. Aos 24, novamente Bigode, desta vez, cobrando falta, exigindo grande intervenção de Marcelo Rangel.

No decorrer da partida, Delamore fechou o time cruzeirense, sacando Pisano e Allano, e promovendo os volantes Ariel Cabral e Bruno Edgar. O Londrina se apresentava sem qualidade, com o goleiro Fábio sendo mero espectador do jogo. Mas para deixar o torcedor cruzeirense com os cabelos em pé, Sanchez Miño quase coloca a classificação imediata a perder nos últimos minutos. O argentino recua a bola de forma errada para Fábio. O atacante saiu frente a frente com o goleiro celeste, que salvou a meta cruzeirense.