Fábio critica postura do Cruzeiro na goleada para o Santa: "Todos têm sua parcela"

Goleiro não admitiu a derrota por goleada e declarou que apenas com trabalho que o Cruzeiro sairá da atual situação no Brasileiro

Fábio critica postura do Cruzeiro na goleada para o Santa: "Todos têm sua parcela"
Foto: Anderson Stevens/Light Press

O Cruzeiro ainda não sabe o que é vencer no Campeonato Brasileiro. O time celeste saiu derrotado por goleada diante do Santa Cruz por 4 a 1 e está na zona de rebaixamento do Brasileirão. O goleiro Fábio, capitão do Cruzeiro, expôs toda a sua indignação com o resultado negativo e diz que só com o trabalho que os cruzeirenses sairão da atual situação.

"Tem que trabalhar, não dá para falar nada. Absorver a derrota com "D" maiúsculo. O Santa teve todo o mérito para fazer o resultado, jogamos o primeiro tempo melhor e, infelizmente, não fomos felizes nas finalizações. Eles foram. As oportunidades que tiveram, fizeram com qualidade. A gente tem que trabalhar, chamar a responsabilidade, para vencer na próxima partida, que é o que a gente precisa", declarou.

Mesmo com a derrota e algumas falhas individuais dos jogadores em campo, que resultaram no placar dilatado a favor do Santa Cruz, o goleiro Fábio disse que todos precisam dividir a culpa pelo momento negativo do Cruzeiro.

"Somos um grupo. Todos os jogadores têm sua parcela, eu tenho minha parcela de culpa na penalidade. O árbitro viu que eu bati no Grafite, e não consegui defender o pênalti. Todos nós temos a parcela de responsabilidade. Todo mundo têm suas funções de recomposição, não somente a defesa. Trabalhar mais para sair dessa situação e alcançar a vitória", explicou.

O técnico Paulo Bento mal terá tempo para treinar a equipe. O Cruzeiro volta a campo no próximo sábado (28) e enfrenta o América-MG no clássico regional. O confronto acontece às 16 horas, no Mineirão. A situação das equipes é igual e desesperadora. Com um início ruim, Raposa e Coelho ocupam a zona de rebaixamento e somam apenas um ponto cada. O tradicional confronto é visto como uma boa oportunidade de reação no Brasileiro.