Willian nega ter ironizado torcida do Cruzeiro em substituição e lamenta falta de gols em 2016

Atacante, que vive fase ruim na temporada, prega respeito ao torcedor celeste e garante que trabalho está sendo feito com seriedade na Toca da Raposa II

Willian nega ter ironizado torcida do Cruzeiro em substituição e lamenta falta de gols em 2016
Willian garante seriedade e compromisso nos treinamentos na Toca II (Foto: Washington Alves/Light Press)

A temporada 2016, até o momento, não tem sido boa para o atacante Willian. Com apenas um gol até aqui, o camisa 9 do Cruzeiro se vê criticado a cada partida, principalmente pela equipe celeste estar em fase ruim no ano. 

Na derrota do Cruzeiro para o São Paulo, no último domingo (5), no Mineirão, Willian, que já havia perdido chance clara de gol no duelo, foi susbtituído pelo colombiano Riascos e saiu de campo vaiado por alguns torcedores e aplaudido por outros. O camisa 9 da Raposa respondeu também com aplausos, no entanto, alguns interpretaram a atitude do atacante como ironia.

Nesta terça-feira (7), na reapresentação do Cruzeiro na Toca da Raposa II, Willian esclareceu o episódio e lamentou a intepretação errada em matérias veículadas após a partida. O camisa 9 ressaltou sua história com a camisa celeste, pregou respeito ao torcedor e admitiu incômodo com o jejum de gols no ano.

“A gente sabe que pessoas que têm essa maldade. A pessoa que foi responsável por ter colocado essa pauta na matéria, dizendo que tive ironia. Vocês sabem da minha pessoa, meu caráter, vocês sabem da minha índole, e não vai ser por um momento ruim que vou desrespeitar, chutar o balde, dizendo que torcedor não pode vaiar. A gente fica triste, mas eles pagam ingresso, estão insatisfeitos, querem resultado. Mas estou ali, respeitando a camisa, o clube”, disse Willian.

Agora, o foco do atacante é ajudar o Cruzeiro a sair da incômoda zona de rebaixamento do Brasileirão. A oportunidade virá no domingo (12), quando a Raposa enfrentará o Atlético-MG, às 16h, no Estádio Independência. Willian quer atenção para não sair de campo com um resultado negativo.

“É um clássico, iguala tudo. Muita vontade, dedicação, respeito ao rival, mas dentro de campo vamos ter que se entregar, todo mundo muito mobilizado. Temos totais condições de vencer e ter um rumo diferente na competição, fortalecer. Isso vai dar mais moral ainda. É um clássico, precisamos de atenção para não ser surpreendidos. Vamos atrás de um resultado positivo para sair da zona de rebaixamento”, concluiu.