Mesmo com um a mais, Cruzeiro cede empate ao Vitória e permanecem iguais na tabela

Partida foi aberta, com inúmeras oportunidades para os dois clubes, e a Raposa levou a melhor dentro de casa

Mesmo com um a mais, Cruzeiro cede empate ao Vitória e permanecem iguais na tabela
(Foto: Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro)
Cruzeiro
2 2
Vitória
Cruzeiro: Fábio; Lucas (Willian - 39'/2ºT), Fabrício Bruno, Bruno Viana e Bryan (Allano - 20'/2ºT); Bruno Ramires, Lucas Romero, Arrascaeta, Élber (Alex - 04'/2ºT) e Alisson; Riascos. Técnico: Paulo Bento.
Vitória: Caíque; Victor Ramos, Kanu e Ramon; Amaral (Vander - 30'/2ºT), Willian Farias, Diego Renan e Euller; Dagoberto (Tiago Real - 12'/2ºT), Marinho e Kieza. Técnico: Vágner Mancini.
Placar: 1-0, Alisson, 23'/1ºT. 2-0, Arrascaeta, 08'/2ºT. 2-1, Diego Renan, 19'/2ºT. 2-2, Vander, 37'/2ºT.
ÁRBITRO: Péricles Bassols Pegado Cortez (FIFA/PE), auxiliado por Cleberson do Nascimento Leite (PE) e Bruno César Chaves Vieira (PE) | Cartões amarelos: Bryan (CRU - 12'/1ºT), Kanu (VIT - 28'/1ºT), Ramon (VIT - 45'/1ºT e 02'/2ºT), Lucas Romero (CRU - 01'/2ºT), Victor Ramos (VIT - 15'/2ºT) e Alisson (CRU - 18'/2ºT) | Cartão vermelho: Ramon (VIT - 02'/2ºT)
INCIDENCIAS: Partida realizada na manhã deste domingo (03), no Mineirão, em Belo Horizonte/MG, em jogo válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2016.

Uma partida bem movimentada, com muitas oportunidades para as duas equipes aconteceu na manhã deste domingo (03), no Mineirão, em Belo Horizonte/MG. Diante de um confronto tão equilibrado, o placar foi igual. Cruzeiro e Vitória mediram forças e empataram em 2 a 2. Alisson e Arrascaeta marcaram os gols celestes, enquanto Diego Renan e Vander assinalaram os tentos rubro-negros quando a equipe tinha um jogador a menos. O jogo foi válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2016.

Com o resultado, a situação dos clubes na tabela de classificação permanece inalterada. O Vitória ocupa o 13º lugar, com 17 pontos ganhos, e o Cruzeiro vem na sequência, com 15 pontos somados até aqui. As equipes voltam a medir forças na quarta-feira (06), pela terceira fase da Copa do Brasil, às 21h45, no Estádio Manoel Barradas, o Barradão, em Salvador/BA. Pelo Brasileirão, o Leão da Barra enfrenta o Fluminense às 19h30 do domingo (10), na capital baiana. A Raposa mede forças contra o Atlético-PR, às 20 horas da segunda-feira (11), no Mineirão.

Vitória pressiona, mas Cruzeiro abre vantagem

Mesmo fora de casa, o Vitória começou no ataque. A postura ofensiva do técnico Vágner Mancini ao escalar Dagoberto, Marinho e Kieza na frente parecia dar resultado. Logo no primeiro lance da partida, Dagoberto fez boa jogada pela esquerda, passou por um marcador e bateu cruzado. Diego Renan apareceu sozinho, mas errou a finalização. Em seguida, Marinho avançou mais uma vez, mas não acertou o cruzamento.

Quando o Cruzeiro respondeu, balançou as redes. Após cobrança de escanteio, Bruno Viana testa a bola e Riascos desvia para o gol. O lance foi anulado pela arbitragem ao alegar impedimento do centroavante. O jogo era muito aberto, e o Vitória levava muito perigo. Aos 16, Marinho recebeu bom passe no lado esquerdo e bateu cruzado. Kieza não chegou em tempo de desviar. No minuto seguinte, Marinho passou por dois marcadores azuis e bateu colocado. O goleiro Fábio se esticou todo e fez a defesa importante com a ponta dos dedos.

Com 20 minutos de jogo, o rubro-negro baiano era bem melhor em campo. Eram nove finalizações contra duas do time da casa. Mas a ineficácia em finalizar custou caro. Aos 23, Arrascaeta recebeu passe de Lucas e o lateral rolou para dentro da área. Sem marcação, Alisson dominou e bateu rasteiro no canto defendido por Caíque para abrir o marcador no Mineirão. O gol animou a Raposa, que equilibrou o páreo e começou a ameaçar com perigo, na busca de aumentar a vantagem imposta momentos antes. Aos 29, Élber foi derrubado na entrada da área. Na cobrança da falta, Arrascaeta executou com muita categoria, mas Caíque se esticou todo para defender.

O jogador mais destacado do Leão da Barra era Marinho, principal saída de velocidade pelos lados do campo, principalmente o direito. Aos 32, o jogador venceu corrida com os marcadores e bateu forte para a defesa de Fábio. Aos 35, Marinho tocou para Kieza, e o centroavante chutou forte. O arqueiro cruzeirense defendeu mais uma vez para manter a vantagem mineira no primeiro tempo.

Com um a menos, Vitória busca empate

Com a manutenção da postura ofensiva do primeiro tempo e atrás no placar, o Vitória certamente faria um jogo equilibrado e aberto, como nos 45 minutos iniciais. Mas o time baiano logo ficou em desvantagem em campo, com a expulsão do zagueiro Ramon aos dois minutos. Em casa, com a vitória parcial e com um jogador a mais, o Cruzeiro dominou a segunda etapa.

A primeira oportunidade foi leonina. Aos três minutos, Dagoberto chutou forte da intermediária, Fábio defendeu em dois tempos para impedir que Kieza marcasse no rebote. Os donos da casa aproveitaram para atacar. Aos oito minutos, Alex tocou para Riascos. O centroavante deu belo passe de letra e Arrascaeta ficou sozinho dentro da área e encheu o pé para marcar o segundo gol celeste.

Com o 2 a 0 no placar, o Vitória foi ao ataque para evitar uma maior desvantagem. Mas deu espaços para o Cruzeiro assinalar mais tento. Aos nove, depois de roubo de bola e contra-ataque armado, Riascos bateu cruzado dentro da área, mas o goleiro Caíque defendeu. Aos 13, Arrascaeta passa para Alex, que bate da entrada da área, mas o arqueiro rubro-negro defendeu.

O Vitória sentia dificuldades em atacar, mas conseguiu diminuir a diferença quando voltou a trabalhar a bola no campo ofensivo. Aos 17 minutos, Marinho fez boa jogada pela direita, driblou dois marcadores e foi derrubado na área. A arbitragem assinalou penalidade máxima. Na cobrança, Diego Renan cobra com categoria no canto direito defendido por Fábio e marcou o primeiro gol baiano.

Com o desgaste físico e o jogo mais equilibrado no placar, o Cruzeiro aproveitou os 15 minutos finais para segurar o resultado e a importante vitória conquistada dentro de casa. Mas o Vitória partiu para o ataque e voltou a dominar o confronto. Mesmo com dez jogadores em campo, os visitantes levaram muito perigo. E conseguiram buscar a igualdade no placar. Marinho fez boa jogada dentro da área, Vander - que entrou sete minutos antes - ficou com a sobra e finalizou colocado aos 37 minutos.

Os times não se contentaram com o empate. Aos 43 minutos, Euller cruzou no lado esquerdo, mas Kieza desperdiçou excelente oportunidade de conquistar uma virada histórica.  Aos 47, Willian recebeu a bola sozinho e aproveitou falha na saída de Caíque para mandar no gol, mas a arbitragem anulou o lance ao alegar impedimento e o confronto terminou empatado.