Diretor do Cruzeiro reitera confiança em Paulo Bento mesmo com maus resultados

Thiago Scuro mostra insatisfação com irregularidade do time, mas acredita que equipe irá se acertar sob o comando do português

Diretor do Cruzeiro reitera confiança em Paulo Bento mesmo com maus resultados
Cartola diz que diretores, comissão técnica e jogadores se responsabilizam pelo momento ruim do time (Foto: Matheus Adler/VAVEL Brasil)

A derrota para o Atlético-PR na última segunda-feira (11), no Mineirão, fez a torcida do Cruzeiro perder a paciência com o treinador Paulo Bento. Xingamentos de burro e pedidos de saída ao português foram entoados por alguns torcedores no estádio. Entretanto, o comandante conta com o respaldo da diretoria e não deve deixar a equipe mineira.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (13), na Toca da Raposa II, o diretor de futebol do Cruzeiro, Thiago Scuro, reiterou total confiança no trabalho de Paulo Bento, cujo contrato vai até o final de 2017. Mantendo o mesmo tom de semana passada, o dirigente voltou a pedir tempo para o técnico desenvolver um trabalho eficiente à frente da equipe.

"Tanto torcedor quanto a imprensa entendam que o processo de construção de uma equipe vencedora demanda tempo. Quando a gente diz isso, não é um processo de tentar protelar ou jogar para frente; é porque, de fato, é necessário tempo para que o treinador trabalhe, tempo para que os atletas consigam assimilar a filosofia e metodologia de trabalho do comandante", disse.

O Cruzeiro passa por um momento turbulento no Campeonato Brasileiro. Na 15ª posição, com 15 pontos, a Raposa tem a mesma pontuação do primeiro time dentro da zona de rebaixamento. Scuro tirou o peso dos maus resultados das costas de Paulo Bento e dividiu entre diretoria, comissão técnica e elenco.

"A responsabilidade do momento que o Cruzeiro vive é compartilhada. Existe uma responsabilidade de direção, comissão técnica e atletas. Esse tem que ser o espírito e é esse o direcionamento que a gente tenta construir aqui dentro. O Paulo Bento desenvolve um trabalho de muita qualidade, coerência, transparência, tanto com a direção quanto com os jogadores. Então, não existe um questionamento por parte da direção, ou até mesmo dos atletas que estão dentro do Cruzeiro, com relação à qualidade do profissional Paulo Bento. Ele é o treinador do Cruzeiro e continuará sendo", afirmou o cartola, que seguiu defendendo o técnico luso.

"Paulo Bento e sua comissão vão fazer dois meses de Cruzeiro nessa semana. É muito pouco tempo. Por um lado, a gente tem o desejo de mudança por toda comunidade do futebol brasileiro, de melhoria, de profissionalismo. Só que ao mesmo tempo passar por esse processo, em alguns momentos, pode ser penoso. É isso que o Cruzeiro está vivendo. Quando você tem a contratação de jogadores como foi o caso do Ábila, Sóbis e Rafinha, é natural que gere uma expectativa imediata de uma mudança por parte do torcedor. Mas o processo nem sempre se desenrola dessa forma. São atletas que precisam conhecer a forma de treinar, de jogar, entender o papel deles dentro da equipe", observou.

Apesar da derrota por 3 a 0 diante do Atlético-PR, o Cruzeiro esteve superior ao Furacão durante o primeiro tempo do jogo. Scuro relembrou a atuação da equipe nos 45 minutos iniciais e ressaltou que a meta agora é repetir o bom desempenho durante uma partida inteira.

"A gente está procurando trabalhar dentro da disponibilidade de tempo que existe para que a equipe tenha a condição de fazer 90 minutos da forma que nós vimos os 60, 66 minutos do último jogo. Agora, a gente precisa tirar um pouquinho do lado passional. Está todo mundo incomodado, insatisfeito. Ninguém está feliz aqui, dentro da Toca II, com os resultados que o Cruzeiro está apresentando. Só que o nosso trabalho vai além disso, vai além do nosso sentimento. O nosso trabalho aqui é buscar solução para que a gente possa, o quanto antes, ser uma equipe mais consistente por 90 minutos e que isso produza um resultado melhor", encerrou.