Cruzeiro conquista novo triunfo diante do Vitória e avança às oitavas de final da Copa do Brasil

Ramon Ábila marca primeiro gol com a camisa celeste e garante mineiros na próxima fase do torneio nacional; Vitória torce por avanços de Botafogo, Fluminense e Santos para disputar Copa Sul-Americana

Cruzeiro conquista novo triunfo diante do Vitória e avança às oitavas de final da Copa do Brasil
(Foto: Washington Alves/Lightpress/Cruzeiro)
Cruzeiro
2 1
Vitória
Cruzeiro: Fábio; Lucas, Bruno Viana, Léo e Edimar; Ariel Cabral (Federico Gino, min. 77), Bruno Ramires (Bruno Rodrigo, min. 87) e Henrique; Arrascaeta, Ramon Ábila e Rafael Sóbis (Rafinha, min. 70). Técnico: Paulo Bento.
Vitória: Caíque; Diego Renan, Victor Ramos, Kanu e Euller; Willian Farias (José Welison, min. 81), Marcelo (Tiago Real, min. 46) e Vander; Marinho, Kieza e Dagoberto (Rodrigo Ramallo, min. 58). Técnico: Vágner Mancini.
Placar: 1-0, Bruno Ramires, min. 22. 2-0, Ramon Ábila, min. 46. 2-1, Marinho, min. 71.
ÁRBITRO: Thiago Duarte Peixoto (Aspirante FIFA/SP), auxiliado por Fábio Rogério Baesteiro (SP) e Herman Brumel Vani (SP) | Cartões amarelos: Rafael Sóbis (min. 19), Ramon Ábila (min. 40), Kanu (min. 86) e Bruno Ramires (min. 88).
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira fase da Copa do Brasil, disputada na noite desta quarta-feira (20), no Mineirão, em Belo Horizonte/MG.

Mesmo com a vantagem de ter vencido no primeiro confronto, o Cruzeiro entrou em campo determinado a não ter mais sustos e evitar o prolongamento de uma semana que começou bastante turbulenta por conta da sequência de maus resultados no Campeonato Brasileiro. Pela terceira fase da Copa do Brasil, a Raposa conquistou mais um triunfo diante do Vitória, novamente por 2 a 1, e avança às oitavas de final da competição considerada a mais democrática do país.

Bruno Ramires e Ramon Ábila assinalaram os tentos cruzeirenses. Foi o primeiro gol do volante na carreira profissional e o primeiro tento assinalado pelo centroavante argentino com a camisa celeste. Marinho descontou para os baianos. Com o resultado, os mineiros seguem na competição e conhecem seu adversário na próxima fase depois de sorteio a ser realizado no dia 1º de agosto. O Leão da Barra vai torcer para que Santos, Botafogo e Fluminense avancem na Copa do Brasil para disputar a Copa Sul-Americana.

Os times voltam a entrar em campo no próximo domingo (24) pelo Brasileirão. O Cruzeiro enfrenta o Sport às 16 horas, no Mineirão; enquanto o Vitória mede forças contra o Santos às 18h30, no Barradão.

Primeiro tempo aberto e o Cruzeiro sai na frente

Dentro de casa, o Cruzeiro entrou em campo com o objetivo de fazer valer o mando e partiu para o ataque, embora o Vitória tenha escalado uma formação bastante ofensiva. A primeira real oportunidade de perigo veio aos 13 minutos. Rafael Sóbis avançou pela ponta esquerda, entrou na área adversária e bateu cruzado. A bola passou por todo mundo e não entrou por pouco. Aos 20, Lucas recebeu sozinho na lateral direita e arriscou. O goleiro Caíque defendeu forte chute do ala.

Mas foi aos 22 minutos que os pouco mais de 10 mil presentes comemoraram. Lucas foi acionado mais uma vez na ponta direita e alçou bola na área rubro-negra. Kanu não alcançou e Bruno Ramires desviou de joelho para o fundo do gol. O placar estava aberto no Mineirão com o primeiro tento assinalado pelo volante no futebol profissional.

O jogo ficou mais equilibrado, mas o Cruzeiro ainda assim estava melhor em campo. Mas, nos minutos finais da etapa inicial, o Vitória ameaçou mais o setor defensivo da equipe da casa. Aos 36 minutos, Diego Renan lançou na área e Kanu emendou de primeira no bico da área. A bola passou perto da trave. Cinco minutos depois, Marinho avançou pela direita e chutou. O goleiro Fábio deu rebote e Marinho ficou com a sobra, mas a zaga do Cruzeiro afastou.

Cruzeiro sela vaga no primeiro lance da etapa final

No primeiro lance do segundo tempo, festa cruzeirense. Ramon Ábila recebey na entrada da área do Vitória, cortou Victor Ramos e chutou com a perna esquerda. O goleiro Caíque tentou tirar com os pés e não conseguiu. Foi o primeiro gol do atacante argentino com a camisa celeste. A amplitude da vantagem deu mais tranquilidade e os mandantes tiveram muitas chances de marcar mais tentos. Aos 12 minutos, Rafael Sóbis recebeu na ponta esquerda, cortou e bateu cruzado. A bola passou por todos, não desviou em ninguém e foi para fora.

O Vitória teve seus momentos de perigo e ficou perto de ameaçar a tranquilidade que o Cruzeiro impôs no confronto. Aos 14 minutos, Marinho dominou na esquerda, avançou por três marcadores e bateu forte da entrada da área, à direita do gol de Fábio. Os donos da casa tocavam a bola com paciência, controlavam o jogo, mas começavam a ceder alguns espaços.

Aos 21 minutos, o rubro-negro baiano teve excelente oportunidade de diminuir a diferença. Marinho foi derrubado na área por Henrique e a arbitragem assinalou penalidade máxima. O atacante ficou desacordado por alguns instantes, mas recebeu os atendimentos médicos emergenciais e se recuperou rapidamente. Na cobrança, Diego Renan bateu no canto direito de Fábio e o goleiro defendeu. No rebote, Rodrigo Ramallo finalizou forte e a bola foi por cima da meta. Mas o Leão da Barra conseguiu diminuir em seguida. Aos 26, Vander deu belo passe para Marinho, e o jogador finalizou no canto direito de Fábio para marcar o gol leonino.

Os visitantes tiveram chances de empatar e deixar a classificação mais possível. Aos 28, Diego Renan cobrou falta na área do Cruzeiro, Tiago Real ficou com a sobra e bateu, mas a bola desviou em Kanu e foi para fora, o que evitou a igualdade no marcador. Aos 37, Diego Renan foi acionado na direita, tentou cruzar, mas quase marcou belo gol por causa do efeito da bola. Fábio defendeu com a ponta dos dedos.

Na reta final do jogo, o cansaço físico prevaleceu, e o Cruzeiro aproveitou o buraco aberto no campo defensivo do adversário para tentar marcar o terceiro tento da equipe na partida. Aos 47, Kanu falhou, Ramon Ábila ganhou disputa com a marcação, entrou na área e bateu na trave. Na sobra, Rafinha dominou, avançou e finalizou. A bola acertou o travessão.