Riascos nega ter ofendido Cruzeiro: "Disse aquilo porque estava cheio e queria sair do clube"

Em entrevista ao programa colombiano "El Corrillo de Mao", atacante repercutiu a polêmica declaração depois da derrota para o Fluminense, no último domingo (17), e segue com futuro indefinido

Riascos nega ter ofendido Cruzeiro: "Disse aquilo porque estava cheio e queria sair do clube"
Em sua segunda passagem pelo Cruzeiro, Riascos revela nunca ter se sentido satisfeito no clube (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O Cruzeiro foi derrotado pelo Fluminense na última rodada do Campeonato Brasileiro, se complicando na competição. Mas o que se estende da derrota não são somente os erros da equipe, que devem ser analisados a fins de correção, mas uma polêmica à parte, protagonizada pelo atacante celeste Riascos. Na saída de campo, o colombiano deu uma declaração infeliz, manisfestando sua insatisfação com o momento que vive no clube mineiro.

Ao ser questionado sobre sua fase no Cruzeiro, Riascos foi incisivo. “Não está normal. Não estou feliz com isso que está acontecendo. Tem que encontrar uma solução, porque não podem tirar minha felicidade para jogar essa 'merda' aqui”, comentou o colombiano, que nem voltou para Belo Horizonte com os demais colegas depois do jogo no Rio de Janeiro. Em entrevista ao programa colombiano El Corrillo de Mao, o atleta comentou a repercussão da afirmação e lamentou pelas poucas oportunidades na equipe, citando os novos reforços do ataque cruzeirense.

“Falei para que me liberassem. Estava cheio de muitas coisas e disse que haviam tirado minha felicidade para trazer-me a esta ‘merda’, pela situação que estávamos vivendo. Não disse que o clube era uma ‘merda’, só que um dirigente disse que havia agido mal. No Cruzeiro não me davam a oportunidade de jogar, ficava treinando ou em casa. Não posso dizer nada do Cruzeiro como instituição. Disse aquilo porque estava cheio e queria sair do clube. Contrataram dois atacantes [Rafael Sóbis e Ramón Ábila] e já haviam cinco lá, e eu estava no banco. Por isso ocorreu aquilo”, relatou Riascos.

Em um comunicado oficial na última terça-feira (19), o Cruzeiro anunciou a manutenção do afastamento do atleta, apontando ainda para uma agilidade em sua negociação. Para Riascos, a situação dentro do clube não é e nunca foi agradável para sua permanência. “Continuo pertencendo ao Cruzeiro, mas estamos chegando a um acordo para que me deem a oportunidade de sair. Não posso estar em um lugar onde não me sinto feliz, nem cômodo. No Cruzeiro, nunca me senti satisfeito e se criou uma polêmica porque disse a eles que não queria estar lá, mas nunca agi mal diante do clube ou da torcida”, apontou o colombiano.

Riascos está em sua segunda passagem pelo Cruzeiro, tendo defendido o Vasco no intervalo das duas, por empréstimo. O futuro do atleta segue indefinido e nem mesmo seu retorno ao clube carioca, onde teve boa passagem, é dado como certo. “Não tive contato com equipes da Colômbia, estou esperando ganhar a liberação do Cruzeiro.  Recentemente, não há nada conversado sobre eu ir para o Vasco, mas sempre houve essa possibilidade. Eles [Vasco] não queriam que eu fosse. Eles querem que eu volte, porque tive uma boa relação com a torcida e com as pessoas do clube. Mas se isso não acontecer, há outras equipes que estão interessadas”, completou Riascos.

Diretor Thiago Scuro trata como inaceitável a conduta de Riascos

Logo após a derrota para o Fluminense, quando o áudio da delcaração de Riascos foi repassado ao diretor de comunicação do Cruzeiro, Guilherme Mendes, o diretor de futebol Thiago Scuro declarou que a manifestação do colombiano ofendeu o clube e que, mesmo vivendo uma situação complicada no Brasileirão, condutas como essa, vindo dos próprios jogadores, são inaceitáveis. Confira o posicionamento de Thiago:

“Diante de todos os acontecimentos, nós tivemos acesso ao áudio no final da partida, que foi uma declaração e um posicionamento infeliz e extremamente inaceitável por parte do nosso atleta Riascos, ofendendo a instituição, ofendendo a sua história. Não é esse tipo de conduta que a gente espera de atletas profissionais de futebol que tem as condições de trabalho que o Cruzeiro oferece. Um Clube que cumpre com todos os compromissos, que fez um grande investimento na contratação deste atleta, veio para o Clube e não teve as oportunidades que imaginava no ano passado, foi cedido e viveu um bom momento. Enfim, diante dessa postura do Riascos, nós não aceitamos de forma alguma a participação de atletas com essa conduta e com esse posicionamento, e a partir de agora ele está fora da delegação do Cruzeiro e passa a ser um problema administrativo e jurídico. E desde já eu digo que o Cruzeiro vai até o final para que ele pague da forma legal prevista e da forma mais dura possível pelo comportamento que teve. Nós não vamos admitir, em hipótese nenhuma, que qualquer atleta tenha esse tipo de tratamento com a instituição. O Cruzeiro, sim, vive um momento difícil, de reorganização, mas é só respeito, trabalho e honestidade que vai nos colocar no local que merecemos estar. O atleta foi desligado da delegação ainda no vestiário e não volta com time para Belo Horizonte”, analisou Thiago.