Diretoria do Cruzeiro justifica demissão de Paulo Bento e admite erros na temporada

Diretor de futebol da Raposa, Thiago Scuro, minimiza pagamento de rescisão contratual ao ex-treinador, e aposta na reação do clube celeste no Campeonato Brasileiro

Diretoria do Cruzeiro justifica demissão de Paulo Bento e admite erros na temporada
Thiago Scuro aposta em reabilitação do Cruzeiro na temporada (Foto: Matheus Adler/VAVEL Brasil)

Reorganização. Palavra de ordem na diretoria do Cruzeiro. Após um primeiro semestre de resultados ruins, fracassos no Campeonato Mineiro e na Primeira Liga, e um começo desastroso no Campeonato Brasileiro, é hora de colocar a casa em ordem. Para disso, os dirigentes celestes optaram pela demissão do técnico Paulo Bento, e apostaram no retorno de Mano Menezes, já que assumiu a Raposa, em 2015, em condições quase semelhantes.

Nesta terça-feira (26), o diretor de futebol do Cruzeiro, Thiago Scuro, assumiu os microfones da Toca da Raposa II para justificar a saída de Paulo Bento do comando do time. O dirigente elogiou a postura do português durante sua passagem pelo clube celeste, exaltando o profissionalismo do treinador. No entanto, faltaram resultados positivos para o time mineiro.

"Frustração talvez não seja esse termo. Tínhamos uma expectativa por melhores resultados. No trabalho, mostrou muito profissionalismo. O processo era organizado, profissional, etc. Mas não é uma coisa do futebol brasileiro, é do mundo. Qualquer modalidade de alto rendimento, a perspectiva é de bons resultados, de conquistas. E um clube do tamanho do Cruzeiro, quando há a dificuldade de construir bons resultados, a pressão é grande. Lamentavelmente não deu esse resultado”, lamentou.

Após a demissão de Paulo Bento, muito se falou sobre a rescisão contratual do português, que seria alta. No entanto, Thiago Scuro tratou a situação com normalidade, garantindo que o vínculo com o lusitano não fugia dos padrões com treinadores brasileiros. Apesar da afirmação, é certo que a Raposa pagará os salários de Bento até dezembro de 2017, data em que se encerra o contrato entre ambas as partes.

"A rescisão de contrato já tem umas previsões. Não tratamos de forma aberta. O que posso dizer é que não é nada muito diferente daquilo que os clubes brasileiros estão habituados. Cria-se um peso por ser um treinador estrangeiro. Ninguém queria interromper esse contrato, mas pelos fatores que enumerei, era o momento de organizar", declarou Scuro.

Agora, o Cruzeiro precisa de reagir no Campeonato Brasileiro, uma vez que é o vice-lanterna da competição, com apenas 15 pontos. Para isso, a Raposa promoveu o retorno de Mano Menezes ao comando do time. Thiago Scuro admitiu erros da diretoria durante a temporada, mas garantiu que todos estão trabalhando para corrigir.

"É muito difícil falar de possibilidades ou hipóteses. O Mano é o novo treinador do Cruzeiro. Seus resultados e seu histórico já dizem o quanto ele representa. Tem uma passagem recente pelo Cruzeiro que dá segurança maior. Todas as decisões do Cruzeiro foram para acertar, tivemos contra tempos no decorrer do processo. E o papel da diretoria também é corrigir", concluiu.