Mano valoriza organização tática do Cruzeiro e lamenta não ter vencido Corinthians

Treinador celeste minimiza erros de arbitragem e salienta que a entrega total em campo é fundamental para cativar o torcedor e contornar a situação na competição

Mano valoriza organização tática do Cruzeiro e lamenta não ter vencido Corinthians
Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

O empate entre Cruzeiro e Corinthians, por 1 a 1, nesta segunda-feira (8), no Pacaembu, em jogo válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, agradou o técnico Mano Menezes, que reconheceu uma crescente da equipe celeste nos três últimos jogos. Ele deu os créditos à entrega dos jogadores em campo, fato que, segundo ele, além de conquistar a torcida, resgata a confiança do grupo para escapar da fase incômoda.

“O que o torcedor quer é uma demonstração de vontade de superar os obstáculos que aparecem na frente e uma entrega total dos jogadores para fazer isso. É exatamente isso que vi nesses três primeiros jogos. Eu tenho certeza que o torcedor do Cruzeiro vai estar do nosso lado e cada vez em maior número para que a gente consiga superar os adversários que tem pela frente. Sem entrega total, hoje você não ganha. A paridade é grande. Então, você precisa ser bem organizado. A partir disso, os jogadores se sentem mais confiantes e próximos um dos outros”, analisou.

O Cruzeiro saiu em desvantagem no marcador logo no início do primeiro tempo. Na etapa complementar, a Raposa empatou com um gol de Ramón Ábila. Com amplo domínio no segundo tempo, a equipe mineira teve a chance de sair com a vitória, mas o jogo terminou em igualdade no placar. O técnico cruzeirense reconheceu o empenho da equipe.

“Saio parcialmente satisfeito com o rendimento da equipe, quase que na totalidade. Só não saio na totalidade, porque não vencemos, mas fizemos por merecer contra um adversário da ponta da tabela, que estava jogando pela liderança”, disse.

Assim como no jogo diante do Internacional, a equipe mineira tomou gol nos minutos iniciais. O técnico celeste não classificou como falha defensiva e destacou o mérito do adversário: “Novamente levamos um gol muito cedo, mas a jogada foi muito bem executada. Não temos uma falha de posicionamento no gol que tomamos. Eles rodaram bem a bola e a gente sabia que essa possibilidade existia, porque eles chegam bem pelos lados”, analisou.

Um dos lances capitas da partida foi a não marcação de um pênalti de Cássio em Ramón Ábila. Para Mano Menezes, caso houvesse sido marcado, o jogo tomaria outro rumo: “Não deram uma penalidade máxima indiscutível, me parece, não precisamos entrar nos méritos, que prejudicou muito, porque era uma possibilidade de empate naquele momento, o que nos daria outra condição para o jogo”, apontou.

Na segunda etapa o Cruzeiro dominou. E a atuação da equipe foi vista com bons olhos por Mano: “No segundo tempo, dominamos amplamente o jogo até a marcação do gol de empate. Poderíamos ter feito mais, mas aí entramos numa parte do jogo onde o Corinthians, com apoio de sua torcida, pressionou, mas tivemos o mérito de saber administrar no mínimo para sair com esse empate, que ainda não nos tira da condição de estar entre os últimos quatro, mas que mostra uma evolução de rendimento da equipe que faz a gente acreditar que se continuarmos assim, logo na frente vamos estar fora dessa situação”, disse.

Apesar de estarem em posições opostas na tabela, além de atuar fora de casa, o Cruzeiro se portou de igual para igual diante do Corinthians. Fato exaltado por Mano Menezes: “Esse tipo de jogo eu falo que é o jogo grande. Eles vêm, nos atacam um pouco, nós vamos lá e atacamos um pouco. Quem é mais competente, geralmente vence a partida. O que eu quero do Cruzeiro é que ele saiba se comportar nas diferentes situações de um jogo de futebol. A segunda parte foi mais jogada no campo do adversário e nós soubemos nos comportar e não dar o contra-ataque”, analisou.

“O Corinthians é muito bom. Essa organização para as diversas situações é que me deixa contente com o rápido entendimento dos jogadores. É lógico que não partimos desse entendimento do zero, já tínhamos uma base do ano passado com um grande número dos jogadores. Isso acelerou o processo de retomada e eu espero que continuemos assim. É bom ver o sentimento dos jogadores pós-jogo, de saber que fizeram uma boa partida e que a gente está evoluindo a equipe para ambicionar resultados melhores e uma situação melhor”, completou.

O próximo compromisso do Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, é diante de um adversário direto na fuga do rebaixamento. Ele enfrenta o Coritiba, no domingo (14), às 16h, na Arena Independência. Enquanto o Coxa carrega a vantagem de ter dois pontos a mais, a Raposa tem do seu lado o fator campo, pois joga em Belo Horizonte. A equipe paranaense está na 15ª posição, com 21 pontos, e o Cruzeiro na 18ª, com 19.