Letal, Cruzeiro goleia Botafogo e encaminha classificação na Copa do Brasil

Com show de Ábila, Raposa constrói goleada por 5 a 2 em cima do Glorioso e fica com um pé nas quartas de final do torneio nacional

Letal, Cruzeiro goleia Botafogo e encaminha classificação na Copa do Brasil
Foto: Alexandre Loureiro/Light Press
Botafogo
2 5
Cruzeiro
Botafogo: Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson, Diogo Barbosa; Airton (Min. 34, Canales, 2ºT), Bruno Silva (Min. 10, Leandrinho, 2ºT), Rodrigo Lindoso, Camilo; Neílton (Min. 29, Rodrigo Pimpão, 2ºT) e Sassá; Técnico: Jair Ventura
Cruzeiro: Rafael; Lucas, Bruno Rodrigo, Manoel, Edimar; Ariel Cabral (Min. 16, Lucas Romero, 2ºT), Henrique, Robinho; Sóbis (Min. 36, Rafinha, 2ºT), De Arrascaeta e Ábila (Min. 26, Willian, 2ºT); Técnico: Mano Menezes
Placar: 1-0, Min. 37, Sassá, 1ºT; 1-1, Min. 45, Ábila, 1ºT; 1-2, Min. 13, Emerson Santos (contra), 2ºT; 2-2, Min. 14, Neilton, 2ºT; 2-3, Min. 18, Ábila, 2ºT; 2-4, Min. 21, Robinho, 2ºT; 2-5, Min. 47, Henrique, 2ºT.
ÁRBITRO: Flavio Rodrigues de Souza, auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse e Herman Brumel Vani. Cartões amarelos: Emerson Santos (Botafogo) e Ábila (Cruzeiro)
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, disputada no Estádio Luso Brasileiro, no Rio de Janeiro/RJ

O Botafogo recebeu o Cruzeiro, na noite desta quinta-feira (1º), em sua arena, para o primeiro duelo das oitavas de final da Copa do Brasil. No entanto, foi a Raposa que levou a melhor, aplicando uma goleada por 5 a 2 em cima dos mandantes, com dois gols do argentino Ábila, um de Robinho, um de Henrique e outro contra do zagueiro alvinegro Emerson Santos. Sassá e Neílton descontaram para o Glorioso.

Com a goleada sofrida em casa, a missão do Botafogo é a mais dura possível: vencer o Cruzeiro, no Mineirão, no próximo dia 21, por quatro gols de diferença, ou por três, desde que seja a partir de 6 a 3. Caso o Glorioso volte o placar de 5 a 2, a decisão será levada para os pênaltis. 

Agora, Botafogo e Cruzeiro voltam suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Na quarta-feira (7), os alvinegros recebem o Fluminense, também no Luso Brasileiro, às 16h. Já na quinta (8), a Raposa mede forças contra o América-MG, no Estádio Independência, às 21h.

Cabeçada certeira de Sassá, penâlti para o Cruzeiro e muitos gols perdidos: primeiro tempo agitado

O primeiro minuto de jogo já dizia o que viria nos outros 89: um duelo eletrizante. Logo nos 60 segundos iniciais, Arrascaeta descolou ótimo lançamento para Ábila, que cortou o zagueiro e arrematou na rede pelo lado de fora. O Botafogo respondeu momentos depois com Sassá, que passou por Bruno Rodrigo e arriscou. No entanto, a bola sofreu desvio e foi pela linha de fundo. No escanteio, Bruno Silva cabeceou, levando perigo para Rafael.

No minuto seguinte, Ábila arriscou de canhota, da intermediária, mas a bola passou rente à trave do goleiro Sidão. Aos 26, o Cruzeiro armou contra-ataque que resultou na conclusão de Arrascaeta, que bateu de primeira para fora, assustando a torcida mandante. 11 minutos depois, o grande momento do Botafogo: cruzamento de Diego da esquerda e cabeçada certeira de Sassá, entre dois marcadores. Os donos da casa inauguravam o placar.

Aos 41, Camilo divide bola aérea com a zaga celeste e a redonda acabou sobrando para Bruno Silva, que bateu para fora. No minuto seguinte, Edimar cruzou da esquerda e a bola tomou a trajetória rumo ao gol, obrigando Sidão a espalmar para escanteio. Na cobrança, Henrique acabou empurrado por Renan Fonseca, dentro da área: pênalti para a Raposa, convertido por Ramón Ábila. Botafogo e Cruzeiro foram para os vestiários com 1 a 1 no placar.

Botafogo fica à frente, mas sente gol contra e acaba goleado pelo Cruzeiro

Os jogadores do Botafogo voltaram para o segundo tempo indignados com o pênalti marcado a favor da Raposa. O Cruzeiro, que pouco se importou com as reclamações, começou tomando as ações com Ramón Ábila, que tentou encobrir Sidão. A bola ficou fácil para o goleiro alvinegro. Dois minutos depois, Sassá recebe dentro da área e toca para o gol, mas o auxiliar flagrou impedimento do atacante.

Aos 13 minutos, o Cruzeiro virou a partida com um gol contra do zagueiro Emerson Santos, que empurrou contra o próprio patrimônio após Robinho bater prensado na bola. Mas no lance seguinte, Neilton empatava o placar após empurrar a redonda, de carrinho, para o fundo das redes. Na marca dos 18, Sóbis disparou pela direita e cruzou para Ábila, que, como um legítimo centroavante, cabeceou firme para o fundo das redes. A Raposa ficara na frente por 3 a 2.

Três minutos após o terceiro gol celeste, veio o quarto: Arrascaeta comandou o contra-ataque do Cruzeiro, passou para Robinho, que teve apenas o trabalho de tocar na saída de Sidão. Aos 39, Renan Fonseca cabeceia para o chão após cruzamento de Camilo, mas Rafael vai no canto para buscar a bola. No apagar das luzes, o capitão Henrique aproveitou rebote cedido pelo goleiro do Botafogo e estufou as redes pela quinta vez na partida.