Mano avalia revés para o Corinthians: "Entre as derrotas, sofremos a menos pior delas"

Treinador ainda citou erros de arbitragem e elogiou o comportamento da equipe quando ficou em desvantagem no placar; Cruzeiro tem a missão de reverter placar de 2 a 1 feito pelos paulistas

Mano avalia revés para o Corinthians: "Entre as derrotas, sofremos a menos pior delas"
Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Em competições simultâneas e possibilidades diferentes, o Cruzeiro encontra na Copa do Brasil a única chance de levantar uma taça no restante da temporada. No entanto, o mau momento da equipe no Campeonato Brasileiro, com a difícil missão de deixar a zona de rebaixamento, fez com que o técnico Mano Menezes solicitasse contato com a imprensa, na última segunda (26), para destacar que se for para priorizar alguma competição, o foco é a permanência na série A do Brasileirão.  

Iniciando a disputa por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil, a equipe mineira foi derrotada pelo Corinthians por 2 a 1, em Itaquera, no jogo de ida. Apesar do resultado negativo, o comandante celeste destacou que a equipe soube se comportar e reagir bem ao placar de 2 a 0 aberto pelos paulistas, com gols de Léo (contra) e Romero. Essa reação foi sintetizada, principalmente, pelo gol marcado por Robinho, o que deixa o Cruzeiro na condição de jogar pelo placar simples de 1 a 0 em casa.

Quando estivemos em inferioridade no marcador, procuramos nos reorganizar, porque tomar dois gols muito cedo poderia tirar a tranquilidade da equipe. Havíamos abordado isso com os jogadores, que mesmo que estivéssemos em inferioridade no placar, teríamos que ter tranquilidade e não nos desorganizarmos, porque a qualquer momento teríamos capacidade de fazer o que fizemos no gol com o Robinho. Criamos boas oportunidades, e entre as derrotas, sofremos a menos pior delas. Levamos a condição de decidir na nossa casa”, avaliou Mano.

Depois das polêmicas de erros de arbitragem envolvendo o Corinthians nos últimos dias, principalmente nos confrontos com o Fluminense pelo jogo volta das oitavas de final da Copa do Brasil e pelo Brasileirão, essa questão voltou a ser acentuada.

No primeiro gol do time alvinegro sobre o Cruzeiro, Rodriguinho chutou de longe para uma bela defesa do goleiro Rafael, que cedeu rebote a Marquinhos Gabriel, em posição de impedimento. O meia tocou para dentro da área e o zagueiro Léo acabou desviando contra o próprio gol. Além disso, a equipe mineira ainda reclamou de um pênalti do volante corintiano Camacho, em lance onde a bola bateu no pé e voltou na mão do atleta. Polêmicas essas que não escaparam da análise de Mano.

Na minha opinião teve uma penalidade a favor que o árbitro interpretou como sempre se interpreta aqui contra o adversário. Já são várias equipes que têm batido nessa tecla. Pequenos detalhes que fazem diferença no mata-mata. Então é um primeiro pênalti aqui que se fosse para lado contrário certamente seria marcado. Depois vem um primeiro gol com o jogador em posição de impedimento, e só por isso o Cruzeiro sai com a derrota, senão certamente sairia com um resultado melhor, porque jogou para isso”, destacou o treinador.

Depois de indicar que não pouparia jogadores na Copa do Brasil, o técnico sacou duas peças do time que vêm figurando a equipe titular. Foram os atletas Arrascaeta e Ábila, que entraram no decorrer no jogo. O atacante chegou a fazer nove gols em 11 jogos, e não conseguiu balançar as redes nos últimos cinco compromissos da Raposa. No entanto, a justificativa de não iniciar a partida com ele foi feita por Mano sob o viés de ter sido uma escolha específica para as condições do jogo.

Não costumo individualizar muito, porque gosto de falar da equipe. O Cruzeiro tem um elenco de qualidade, e se vou escolher A ou B para iniciar o jogo, esse é o papel do treinador. Eu entendi que a melhor formação para o jogo era essa e precisávamos de uma participação como é a característica do Willian para fazer. Ele fez essa movimentação bem, inclusive chutou bola no travessão. Então não se trata de A ou B, se trata de Cruzeiro”, pontuou o comandante celeste.

Já olhando para o compromisso que terá em casa, o treinador apontou para uma decisão em aberto. “Sabemos que temos um grande adversário pela frente, mas também sabemos que podemos fazer o resultado no Mineirão, em uma condição muito melhor, com a torcida em nosso favor, em um ambiente que podemos e devemos construir daqui alguns dias para tentar reverter o resultado. [..] Tínhamos no mínimo que levar a decisão para Belo Horizonte e ela está aberta”, completou Mano.

Cruzeiro e Corinthians se enfrentam de novo no Mineirão, no dia 19 de outubro, valendo vaga em uma das semifinais da Copa do Brasil.