Após vitória suada, Mano Menezes comemora os três pontos com gosto de "reação"

Com a vitória, o Cruzeiro escapa do Z-4 e chega aos 33 pontos

Após vitória suada, Mano Menezes comemora os três pontos com gosto de "reação"
Apesar de sair da zona de perigo, apenas 2 pontos separam a equipe mineira do primeiro time do Z-4 (Foto: Washington Alves/Light Press)

Nada melhor do que sentir um alívio após momentos de "aperto". Castigado pelas últimas posições da tabela do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro respira na competição. Vencendo o Grêmio no Mineirão com gol de Henrique, a Raposa está "livre" da zona de perigo até o fim da rodada. Com 33 pontos somados, a diferença para o primeiro time do Z-4 é de apenas 2 pontos, com isso, todo cuidado é pouco. 

Autor do gol da partida, Henrique dedicou a vitória ao comprometimento coletivo. "É confiança, futebol hoje em dia é confiança, cabeça boa. Ninguém gosta de estar nesta situação, tem que ter esse espírito, essa luta, essa entrega, que só assim sairemos. Foi uma partida não tão brilhante, mas o resultado é o mais importante", declarou o jogador. 

"Acho que é isso, esse o espírito de todos, todos estão com essa luta, assim nos vamos sair dessa situação mais rápido, não pode ser menos que isso, tem que ser mais que isso. Se esforçando todo dia para sair dessa situação", completou. 

Contente, Mano Menezes acredita que apesar de complicada, a vitória mineira foi merecida. "Merecida. Embora tenha sido dramática, porque 1 a 0 deixa o jogo aberto até o final, porque o gol aconteceu aos 32 do segundo tempo. Então, torna as coisas mais dramáticas. Mas o Cruzeiro, tirando os primeiros dez minutos de jogo, talvez 15, teve a dificuldade de procurar o encaixe. O perigo do jogo é levar a bola nas costas. É a característica do Grêmio. Nosso mérito foi dar poucas oportunidades para isso acontecer. Foi com volume, persistência, determinação e raça, que fizemos o gol, que acabou sendo o gol da vitória. Já tínhamos feito jogos até melhores, mas em termos de comportamento, de superar dificuldades como superamos hoje, o jogo de hoje foi o melhor. Isso me deixou feliz", analisou. 

O treinador ainda exaltou a presença da torcida, que mesmo desanimada pelo atual momento, abraçou o time e empurrou os jogadores para a vitória. Adversário da Ponte Preta na próxima rodada, o pensamento após a partida já se encontrava no confronto que está por vir. 

"Não tenho dúvida que o torcedor que veio vai voltar. E os que não vieram, alguns vão se somar aos que vieram. O que eles viram em campo agrada. O torcedor olha para o campo e pode dizer que tem expectativa com este time. Estava faltando isso. O mandante tem como característica controlar mais o jogo, embora essa equipe do Cruzeiro faça isso muito bem fora de casa, melhor até que a equipe do ano passado. Até se empolga um pouco, como foi contra o Flamengo, saindo do lugar na hora errada. Tem hora que você tem que saber administrar a vantagem que construiu, o que faltou no jogo de Cariacica (quando levou a virada de 2 a 1 para o Flamengo). Isso vai influenciar o torcedor para o jogo com a Ponte Preta.", completou. 

O Cruzeiro enfrenta a Ponte Preta no sábado (8), às 21h00, no Mineirão.