Cruzeiro encara Fluminense buscando garantir permanência na elite nacional

Sem conquistar títulos na temporada, Raposa busca encerrar Campeonato Brasileiro com "dignidade"; sem vencer há um mês, Levir Culpi está ameaçado no comando do Tricolor Carioca

Cruzeiro encara Fluminense buscando garantir permanência na elite nacional
Foto: Paulo Sérgio/Light Press
Cruzeiro
Fluminense
Cruzeiro: Rafael, Ezequiel, Bruno Rodrigo, Léo, Edimar, Henrique, Lucas Romero, Alisson, Arrascaeta, Rafael Sóbis e Ramon Ábila. Técnico: Mano Menezes
Fluminense: Julio Cesar, Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus (Giovanni); Edson, Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa; Richarlison e Wellington. Técnico: Levir Culpi
ÁRBITRO: Elmo Alves Resende Cunha, auxiliado por Christhian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha
INCIDENCIAS: Partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, a ser disputada neste domingo (6), às 17h, no Mineirão, em Belo Horizonte/MG

Enquanto um pensa em assegurar vaga na Série A do próximo ano, o outro, pressionado, sonha em se classificar para a próxima Copa Libertadores da América. É assim que Cruzeiro e Fluminense irão se encontrar neste domingo (6), às 17h (Brasília), no Mineirão, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Eliminado da Copa do Brasil, no meio de semana, contra o Grêmio, o Cruzeiro agora concentra suas atenções no Brasileirão. Na 13ª colocação com 41 pontos, a Raposa precisa de uma vitória e um empate para assegurar permaência na Série A. Na última rodada, a equipe celeste enfrentou o Atlético-PR, na Arena da Baixada, e perdeu por 1 a 0.

Confortável, mas, pressionado. Este é o resumo do Fluminense. Na 9ª colocação com 48 pontos, o Tricolor Carioca está a três pontos do G-6. No entanto, a equipe não vence há mais de um mês, o que coloca o emprego do técnico Levir Culpi em xeque. Na última rodada, os cariocas ficaram em um empate por 2 a 2, diante do Vitória, no Maracanã. Em caso de derrota nesta tarde, a situação do treinador fica praticamente insustentável no clube.

Fluminense e Cruzeiro se enfrentaram na 15ª rodada no primeiro turno. Na ocasião, a Raposa ainda estava sofrendo ajustes e era comandada pelo técnico Paulo Bento. Mas o Tricolor Carioca foi mais eficiente na partida e venceu por 2 a 0, com gols de Cícero e Marcos Júnior.

Baixo número de gols sofridos nas últimas partidas anima Cruzeiro

O técnico Mano Menezes, como vem fazendo nos últimos jogos, prezou pelo mistério e não divulgou a equipe que enfrentará o Fluminense, nesta tarde. A ordem na Toca da Raposa II é esquecer a eliminação na Copa do Brasil, no meio de semana, diante do Grêmio, e tentar emplacar uma série invicta nestas últimas rodadas do Brasileirão.

Neste domingo, a expectativa é que Mano retorne com seus principais jogadores para a titularidade, casos de Rafael Sóbis e Ramón Ábila. Quem também deverá voltar para o time é o lateral-direito Ezequiel, que não entrou em campo no meio de semana por ter vestido a camisa do Criciúma no início da Copa do Brasil.

O certo é que o treinador não contará com o meio-campo Robinho, que sofreu uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda. Alisson e Lucas Romero estão na briga pela vaga do camisa 19. Já o lateral-esquerdo Edimar, sequer foi relacionado. O jogador, que mais atuou sob o comando de Mano Menezes, foi poupado por causa de desgaste. Assim, Bryan, substituto imediato do camisa 31, irá começar jogando.

Apesar da irregularidade do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, chama a atenção o fato do baixo número de gols que a equipe sofreu nas últimas partidas, como no meio de semana, por exemplo, quando a Raposa ficou no 0 a 0 com o Grêmio em Porto Alegre. Mano Menezes quer uma defesa confiante nesta tarde, bem posicionada, para impedir o rápido ataque Tricolor.

"A gente tem enfrentado muitos ataques rápidos ultimamente. Alguns deles com referência, outros sem. É exatamente a questão do Fluminense, que às vezes coloca o Richarlison ou o Marcos Júnior na frente. Precisamos estar bem posicionados, com postura, saber propor o jogo, pois são jogos grandes. A equipe deu demonstração de força na quarta-feira. Embora não tenha conseguido passar na Copa do Brasil, o time mostrou perspectiva de possibilidade. Se voltar a ter isso em termos de postura e posicionamento, as chances vão acontecer e temos a possibilidade de vitória", declarou o treinador.

Há cinco rodadas sem vencer, Fluminense vive clima de apreensão

A situação do Fluminense na tabela de classificação, a primeiro momento, pode ser confortável. No entanto, a equipe enfrenta uma seca de vitórias há mais de um mês. Fato este, inclusive, que poderá custar o emprego do técnico Levir Culpi, caso o triunfo não venha nesta tarde, no Mineirão. Apesar do apoio do presidente Peter Siemsen, as eleições que irão ocorrer no fim do mês poderão ser cruciais para o futuro do treinador.

Assim como Mano Menezes, Levir também adotou o mistério nas Laranjeiras e não deu sinais da equipe titular. A única dúvida da tarde fica na lateral esquerda. William Matheus voltou a treinar normalmente e viajou para Belo Horizonte. Assim, Giovanni irá iniciar a partida como opção. O volante Pierre é desfalque certo, mas Edson entrará como titular.

A ideia inicial de Levir Culpi é terminar o Brasileirão, para depois pensar no futuro. Mas, no momento, a situação está completamente em aberto. O treinador, inclusive, mesmo tendo o apoio do presidente Peter Siemsen, foi cobrado pelo mandatário por bons resultados. Apesar de toda pressão, o comandante Tricolor descartou pedir demissão.

"Faltam cinco jogos para terminar. A minha ideia é completar o campeonato. Essa é a minha ideia. Sou único. Penso pela minha cabeça. Não sei o que vai acontecer, não tenho planos ao futuro. É até engraçado. Quando menos se espera, você recebe um convite para ser demitido. E, de repente, surge um convite da China, da Arábia Saudita ou sei lá de onde. Está em aberto. Não tenho pensado sobre isso. Quando assino o contrato, começou a pressão", disse.