Mano Menezes vê própria expulsão como "justa" e pede desculpas a árbitro por reclamação

Expulso pouco antes do fim da partida contra o Internacional, treinador do Cruzeiro reconhece boa atuação da arbitragem e lamenta oportunidades perdidas pela sua equipe

Mano Menezes vê própria expulsão como "justa" e pede desculpas a árbitro por reclamação
Mano Menezes não irá comandar a Raposa, diante do Corinthians, no próximo domingo (4) (Foto: Lucas Uebel/Light Press)

O Cruzeiro saiu de Porto Alegre com o dissabor da derrota para o Internacional, neste domingo (27), por 1 a 0, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. A Raposa terminou a partida sem o técnico Mano Menezes, expulso pelo árbitro Marcelo de Aparecido de Souza Lima após reclamação, aos 48 minutos da segunda etapa.

O lance que gerou a reclamação de Mano, veio dos pés do meia Marcos Vinícius, que, ao arriscar de fora da área, viu a bola acertar o braço de Alex. A reclamação por parte do Cruzeiro foi instantânea. Os jogadores celestes, além do treinador, pediram a marcação do pênalti. Já no vestiário, o técnico viu o lance novamente, reconhecendo o mérito do árbitro, pedindo desculpas na entrevista coletiva.

"A reclamação foi veemente porque nós tínhamos certeza que era pênalti. Mas nos enganamos. Como procuro ser justo e correto com todo mundo, quero pedir desculpas ao Marcelo. Ele fez uma arbitragem da qual nós não temos nada para reclamar. Só pensamos naquele momento que teria um lance, mas olhei pela televisão e vi que não foi pênalti. E a minha expulsão foi justa, pois reclamei com a veemência que naquele momento do jogo não poderia ser permitido", disse o treinador.

Mano ainda lamentou as oportunidades perdidas pelo Cruzeiro, sobretudo, na segunda etapa, quando Robinho e Ramón Ábila perderam chances claras rente ao gol. O treinador também chamou a atenção para o lance do tento colorado, quando o meia Valdívia percorreu por 60 metros, sem que tenha sofrido faltas. 

“Na minha avaliação, não aproveitamos bem para definir as oportunidades ou criar a ultima etapa delas com qualidade. A gente teve muito volume, muito espaço, mas conclusões foram poucas. No intervalo, a melhor chance tinha sido do Internacional, na falta que o Rafael defendeu. O segundo tempo ficou mais aberto. Ao Inter só interessava a vitória e nós também fomos para cima. Sofremos um gol no contra-ataque, em que avaliamos mal o rebote, corremos atrás 60 metros sem fazer a falta e ainda tomamos o gol. Criamos duas oportunidades, com Robinho e Ábila, mas não fizemos. Saímos com a derrota em um jogo que poderíamos ter vencido”, concluiu.

O Cruzeiro segue na busca da vaga para a disputa da Copa Sul-Americana. Agora, o adversário da vez é o Corinthians, no próximo domingo (4), no Mineirão, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O auxiliar de Mano, Sidnei Lobo, estará no comando da Raposa neste duelo.